PM contabiliza 21 mortos em confrontos no Rio; entre as vítimas há 3 PMs e 3 moradores

Fonte: Folha Online –

A Polícia Militar confirmou nesta segunda-feira que ao menos 21 pessoas morreram durante os confrontos com traficantes ocorridos neste fim de semana em favelas da zona norte do Rio. Entre as vítimas estão três policiais militares, três moradores e 15 suspeitos.

 

Um dos PMs mortos é o cabo da PM Izo Gomes Patrício, um dos ocupantes do helicóptero abatido no último sábado (17) por traficantes e que morreu na manhã de hoje, no hospital. Outros dois PMs morreram na ocasião, quando a aeronave foi atingida por tiros e explodiu após um pouso forçado.

 

Os confrontos na zona norte do Rio começaram na madrugada de sábado. Em disputa pelos pontos de venda de drogas, traficantes do morro São João –controlado pelo Comando Vermelho– e aliados invadiram o morro dos Macacos, controlado pela ADA (Amigos dos Amigos).

Os tiroteios causaram pânico entre moradores das favelas atingidas.

 

No sábado, a violência se espalhou e, além dos confrontos no morro dos Macacos, ao menos 12 veículos foram incendiados em bairros da zona norte. De acordo com a polícia, o objetivo dos criminosos era desviar a atenção do morro dos Macacos.

 

Segurança


Também nesta segunda-feira, o Ministério da Justiça negou que detentos do presídio de Catanduvas (PR) tenham ordenado a invasão ao morro dos Macacos.

 

A declaração do ministério contraria informação dada mais cedo pela Secretaria de Segurança Pública do Rio, que afirmou que a invasão ao morro foi articulada por chefes da facção CV (Comando Vermelho), que estão na unidade federal.

 

Após os confrontos, o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), afirmou que o Estado vai receber R$ 100 milhões da Senasp (Secretaria Nacional de Segurança Pública) nos próximos seis meses para equipar as forças de segurança e que a polícia vai ganhar novo helicóptero blindado.

 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva condenou nesta segunda-feira os atos de violência registrados no Rio e afirmou que o governo federal está disposto a ajudar o Estado no que for preciso para “limpar a sujeira que essa gente [criminosos] impõem ao Brasil”.

 

Desde o início da manhã de hoje, a Policiais militares do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) e de vários batalhões da corporação realizam uma operação nas favelas de Manguinhos, Mandela e Jacarezinho, na zona norte do Rio, para tentar prender os traficantes envolvidos nos ataques criminosos. Diversas vias foram bloqueadas para passagem de veículos e pedestres.

Matéria original

+ sobre o tema

Coalizão de entidades lança campanha por mais negros nos parlamentos

A Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de...

Kenarik Boujikian é nomeada para a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais da Presidência

A desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) Kenarik...

Precarização do trabalho rural impacta mais pessoas negras e mulheres

Um relatório da Oxfam Brasil indica que mulheres e pessoas negras...

Em Ceilândia, Anielle Franco anuncia R$ 1,6 milhão para organizações

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, anunciou, nesta...

para lembrar

Exclusivo: Lula fala ao iG sobre Erenice

Por: Eduardo Oinegue, Luciano Suassuna, Tales Faria "Quando a gente...

Propostas em trâmite no Congresso mostram que desistimos dos mais jovens

Há uma relação direta entre as propostas no Congresso...

‘Bolsa família’ entra em vigor na Itália em 1º de dezembro

Projeto pagará até R$ 1,8 mil (485 euros) para...

OABRJ levará absolvição dos policiais no caso João Pedro ao STF

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OABRJ) levará o caso da absolvição dos policiais na morte do jovem João Pedro...

O grande bazar de direitos

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, declarou nesta semana estar "muito entusiasmado com a iniciativa do STF  de, ao invés de simplesmente decidir pela inconstitucionalidade daquilo que...

Mães de vítimas da violência policial em SP, RJ e BA vão à Comissão Interamericana de Direitos Humanos denunciar o Estado brasileiro

Representantes de movimentos de mães de vítimas da violência do Estado e organizações de direitos humanos como Anistia Internacional, Conectas Direitos Humanos, Instituto Vladimir...
-+=