Polícia de SC investiga PM que admite em vídeo ser racista e ameaça bater em mulher: ‘Macaca do c…’; assista

Em gravação que viralizou nesta sexta-feira, homem afirma que tem ódio e que 'não suporta negro'; inquérito foi instaurado para apurar o caso

A Polícia Civil de Santa Catarina instaurou nesta sexta-feira um inquérito para investigar um homem que, em vídeo que viralizou nas redes, admite ser racista e ameaça bater em uma mulher. Na gravação, ele diz que não suporta negro e chama a interlocutora de “macaca do c…”. O GLOBO confirmou que o suspeito é um policial militar da reserva, do município de São Ludgero, a cerca de 180 km da capital Florianópolis.

— Teu filho é um maldito de um negro desgraçado, que é pirracento — diz o homem, que é questionado pela mulher por que motivo tem tanto ódio de “moreno”.

— Porque eu tenho ódio, porque eu sou racista, porque eu não suporto negro. Eu tenho amigo negro, mas amigo decente, não essa negrada do c…, que é marrento que nem tu — responde.

Diante do tom agressivo, a mulher pede para que ele não bata nela. De imediato, o policial militar retruca, pegando um chinelo na mão:

— Quer ver? Fala de novo. Fala de novo, sua macaca do c… Demônio, desgraçada.

Segundo o delegado Éder Matte, responsável pelas delegacias de Braço do Norte e São Ludgero, foi instaurado hoje um inquérito para apurar o crime de racismo, de acordo com o artigo 20, Lei nº 7.716 / 1989. O artigo dispõe sobre “praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional”. A polícia vai investigar as circunstâncias e a autoria do suposto crime.

Procurada, a PM-SC confirmou que o homem que aparece nas imagens é um sargento da corporação que está na reserva desde março de 2016. O órgão afirmou que o caso será encaminhado à Corregedoria-Geral para apuração. Em nota, disse ainda que repudia “todo e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo”.

Veja a nota na íntegra:

A respeito do referido vídeo divulgado recentemente em redes sociais, a Polícia Militar de Santa Catarina (PMSC), por meio do Centro de Comunicação Social vem esclarecer que:

– A PMSC repudia toda e qualquer tipo de violência contra a mulher ou vulnerável, bem como qualquer tipo de racismo. Diante deste fato, a referida ocorrência deverá ser apurada com rigor por todos os processos legais;

– O homem que aparece no vídeo é sargento da PMSC, que está na reserva desde 9 de março de 2016.

– Todo policial militar, seja de ativa ou da reserva, deve seguir em conformidade com os dispositivos previstos no Regulamento Disciplinar da PMSC, Código Penal Militar e legislação penal geral. O caso identificado será encaminhado à Corregedoria-Geral da PMSC. 

+ sobre o tema

Uma análise do filme Judas e o Messias Negro

Segundo a Bíblia, Judas Iscariotes foi um dos doze...

É Carnaval: mais branco do que preto, será?

por Sérgio Martins Bom, estamos ás vésperas do carnaval. Daqui...

Se os privilegiados estão cansados, imagine os negros

   Não venho armado de verdades decisivas.      ...

para lembrar

Denúncia é peça-chave contra crimes de racismo

Até novembro de 2016, Minas Gerais anotou 301 processos...

Para entender o nosso racismo

Documentário da professora Ana Luiza Flauzina, uma das lideranças...

Ativistas acusam palestrante de racismo na Flica

  Ativistas do movimento negro protestam na Festa...
spot_imgspot_img

Uma supernova

No dia em que minha irmã nasceu, a Nasa fotografou uma supernova no universo. Quando minha irmã nasceu, foi uma das maiores alegrias da minha...

Número de crianças e adolescentes mortos pela polícia cresce 58% sob governo Tarcísio, apontam dados da SSP

O número de crianças e adolescentes mortos pela polícia aumentou 58% entre 2022 e 2023 — primeiro ano do governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos) —,...

A ‘inteligência artificial’ e o racismo

Usar o que se convencionou chamar de "inteligência artificial" (pois não é inteligente) para realizar tarefas diárias é cada vez mais comum. Existem ferramentas que, em...
-+=