Polícia do Rio prende 7 por estupro coletivo de menina de 16 anos

A prisão foi feita em flagrante e entre eles está o ex-namorado da vítima, de 16 anos

Do Catraca Livre

Quatro homens foram presos e três menores apreendidos por suspeita de terem participado do estupro coletivo Quatro homens foram presos e três menores apreendidos por suspeita de terem participado do estupro coletivo em Ricardo de Albuquerque, zona norte do Rio de Janeiro. A prisão foi feita em flagrante por agentes da 31ª DP na terça-feira, 4 e todos possuem idades entre 15 e 20 anos.

A perícia foi feita por volta das 10h30 na casa onde o crime ocorreu. A menina é vítima de abusos desde os nove anos, mas segundo a polícia, não há detalhes sobre quem teria cometido o primeiro abuso. As informações são do “G1”.

Segundo as investigações, o estupro coletivo ocorreu em uma casa em construção que fica a menos de 500 metros da delegacia. O delegado Renato Perez contou que a vítima aceitou ir ao local com o ex-namorado de 16 anos, mas foi surpreendida pelos outros quatro jovens que já estavam no local. Depois disso, dois homens chegaram e assistiram ao estupro. Apesar de não participarem ativamente, também foram presos. A polícia não sabe se o crime foi filmado ou fotografado.

A vítima saiu do bairro com a família por conta das ameaças que receberam dos parentes dos presos já que ainda não está no programa de proteção à testemunha. “A vitima veio à delegacia por volta de 2h, 3h da manhã. Durante o registro, ela, fragilizada, não conseguiu identificar todos, mas conseguimos correr atrás de todos eles. Os primeiros presos passaram as informações de todos eles”, contou o delegado titular da 31ª DP.

O delegado também disse que havia preservativos no local, mas por segurança a vítima tomou o coquetel anti-HIV. “A alegação deles é a de praxe: que foi sempre consentido e que só depois ela reclamou”, acrescentou. A polícia acredita que o ex-namorado arquitetou tudo porque os quatro meninos que já estavam na casa disseram que foram chamados.

+ sobre o tema

Internado há 10 dias, paciente denuncia transfobia em atendimento no HGE

Ele denuncia desrespeito ao nome social e descaso médico Por Victor...

Redes de saúde terão 24h para notificar casos de violência contra a mulher

Lei já obrigava notificação, mas não estipulava prazo. Projeto...

A homofobia em primeira pessoa

Um professor usa seu próprio caso para explicar o...

para lembrar

Após sofrer racismo na escola, Kheris Rogers de 10 anos cria linha de roupas empoderadora

Você precisa conhecer Kheris Rogers, uma menina de 10...

Naomi Campbell abre Semana de Moda em Paris com discurso sobre racismo

Feito pela primeira vez online, a Semana de Moda...

Com infância marcada pelo racismo baiana é 1ª Miss Black Power no RJ

'Nunca participei de um desfile', diz Maria Priscila dos...

Feminismo me ensinou que, como mãe, não preciso me desculpar

Em sua nova coluna, Isis Vergílio fala sobre a...
spot_imgspot_img

Instituto Mãe Hilda anuncia o lançamento do livro sobre a vida de matriarca do Ilê Aiyê

O livro sobre a vida da Ialorixá Hilda Jitolu, matriarca do primeiro bloco afro do Brasil, o Ilê Aiyê, e fundadora do terreiro Acé...

Centenário de Tia Tita é marcado pela ancestralidade e louvado no quilombo

Tenho certeza que muitos aqui não conhecem dona Maria Gregória Ventura, também conhecida por Tia Tita. Não culpo ninguém por isso. Tia Tita é...

Julho das Pretas: celebração e resistência

As mulheres negras brasileiras têm mais avanços a celebrar ou desafios para travar? 25 de julho é o Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-americana e...
-+=