Polícia matou 134 na Grande Salvador em 2009

fonte: A Tarde- 10/07

 

Levantamento de A TARDE revela que 134 pessoas foram mortas pelas polícias civil e militar durante ações policiais, de janeiro até a sexta-feira, 10, em Salvador e região metropolitana. O Centro de Documentação e Estatística Policial (Cedep) da Secretaria de Segurança Pública (SSP) não divulgou os dados oficiais, apesar de a solicitação ter sido feita desde a última terça-feira.

Os números de A TARDE ainda indicam que nos primeiros dez dias deste mês, pelo menos 14 suspeitos já foram mortos. Neste ritmo, ao final de julho, teríamos 42 óbitos, mais de um por dia, média maior que a mensal dos seis primeiros meses deste ano, de 20 a cada 30 dias.

 

Sessenta e nove dos 134 mortos em ações policiais foram durante operações comandadas pelas polícias especializadas da PM e PC, as Rondas Especiais da PM (Rondesp), Tático Móvel da PM (Rotamo), Batalhão de Choque da PM, Departamento de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), Delegacia de Homicídios (DH) e Comando de Operações Especiais (COE).

 

Policiais –  Em contrapartida, de janeiro a junho deste ano, quatro policiais militares, um agente da Polícia Civil e um policial federal foram mortos por bandidos, os dois últimos a serviço da Secretaria de Segurança Pública (SSP) e Polícia Federal.

O capitão Marcelo Pita, coordenador do Setor de Comunicação da Polícia Militar, explicou que a declaração de auto de resistências não exime o policial militar de punição se a ação for caracterizada como excessiva. “Ou seja, se for diagnosticado algum tipo de anormalidade na operação dos servidores, eles são punidos pelas ações”, garantiu.

De acordo com ele, quando diagnosticado que as ações não seguiram os padrões normais de mortes em resistência à prisão, os policiais são alvos de investigações pelo Ministério Público do Estado (MP), Corregedoria da PM e Polícia Civil.

 

Contraponto –  Para a integrante do grupo gestor do Fórum Comunitário de Combate à Violência (FCCV), a pesquisadora Tânia Cordeiro, muitos jovens inocentes morrem nos alegados confrontos.

“Meninos que não têm histórico de ações violentas são acusados de atirarem contra a polícia. São jovens que acompanhamos e sabemos que não são capazes disso”, afirmou.

Ela atribui as ações seguidas de morte “ao despreparo dos PMs” e a um fator específico que ela denomina de elemento de componente ideológico. “Esse tipo de atitude acontece contra jovens de comunidades de baixa renda, de origem afrodescendente”, concluiu.

 

matéria original: Polícia matou 134 na Grande Salvador em 2009


 

 

+ sobre o tema

Coletivo Luiza Bairros: conheça grupo que atua no combate ao racismo institucional na UFBA

A principal estratégia utilizada é na exigência do cumprimento...

Após reivindicação do movimento negro, sítio arqueológico no centro do Rio será preservado

Diferente das ossadas humanas descobertas durante escavações próximas à...

Agenda única de eventos em novembro celebra a consciência negra na UFMG

Iniciativa, que une comunidade e gestão, integra formação, informação...

para lembrar

spot_imgspot_img

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Levantamento mostra que menos de 10% dos monumentos no Rio retratam pessoas negras

A escravidão foi abolida há 135 anos, mas seus efeitos ainda podem ser notados em um simples passeio pela cidade. Ajudam a explicar, por...

Racismo ainda marca vida de brasileiros

Uma mãe é questionada por uma criança por ser branca e ter um filho negro. Por conta da cor da pele, um homem foi...
-+=