Prêmio sobre Patrimônio Cultural Negro prorroga inscrições

Estão abertas, até o dia 19 de julho, as inscrições para o Prêmio Patrimônio Cultural dos Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

Patrimônio Cultural Negro

 

De acordo com o edital, o prêmio vai distribuir R$ 1 milhão, sendo dez prêmios no valor de R$ 40 mil e R$ 25 mil, no valor de R$ 24 mil à iniciativas que valorizem o patrimônio desses povos. A proposta é reconhecer ações de preservação, valorização e documentação relacionados as comunidades de matriz africana. As iniciativas serão avaliadas conforme sua originalidade, excepcionalidade ou caráter exemplar, que mereçam divulgação e reconhecimento público.

De acordo com Alexandro Reis, diretor do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro da Fundação Cultural Palmares (DPA/FCP), a iniciativa está na linha de esforços do governo federal para a promoção de políticas públicas pelo desenvolvimento sustentável dessas comunidades.

“Para que esse esforço apresente resultados e se efetive nos governos estaduais e municipais, é necessário que as associações, grupos e lideranças representativas desses povos participem dos editais e fiscalizem a execução das ações pactuadas”, enfatiza. Phelipe Cunha Paz, do Grupo de Trabalho Interdepartamental para Preservação do Patrimônio Cultural dos Povos de Terreiro do Iphan, explica que este é o primeiro edital da instituição direcionado aos povos de terreiro e destaca que a ideia é alcançar o maior número possível de comunidades em cada região do país.

“Uma oportunidade que valoriza a diversidade da matriz africana: candomblé, jurema, umbanda, entre outros”, diz. Ele reforça ainda que é mais um entre outros esforços do Instituto que visa a preservação do patrimônio.

“É uma forma de reconhecimento ao que já vem sendo feito, mantendo vivas as tradições que constroem a identidade dessas pessoas”, afirma. Como concorrer As inscrições devem ser feitas na ficha disponível no site do Instituto. O processo seletivo será dividido em duas etapas.

A primeira, de habilitação, será conduzida por uma Comissão Técnica composta por técnicos do Iphan. A segunda fase, de avaliação, será conduzida por uma Comissão de Seleção, composta por técnicos do Iphan, representante da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (SEPPIR/PR) e representantes da sociedade civil.

No ato da inscrição, os participantes deverão escolher entre duas categorias e linhas de ação específicas em cada uma delas. Na Categoria 1 serão oferecidos dez prêmios de R$ 40 mil para ações realizadas de preservação do Patrimônio Cultural Tombado pelo Iphan ou em Processo de Tombamento pelo Iphan, que tenham sido desenvolvidas pelas associações representativas dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana.

Outros 25 prêmios de R$ 25 mil serão destinados à Categoria 2, premiando ações de preservação do Patrimônio Cultural que tenham sido desenvolvidas pelas associações representativas dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana sediados em qualquer parte do território nacional.

 

 

Fundação Cultural Palmares

+ sobre o tema

Emoção no adeus a Armando Nogueira

Por: Thiago Lavinas Jornalista é enterrado no Rio de...

De férias, Kobe Bryant dá aulas para garotos no Harlem

Por: Anderson Giorge   Melhor jogador em atividade na NBA, Kobe...

Novo DVD de Beyoncé terá cenas dos shows no Brasil.

  O novo DVD da superstar Beyoncé já está pronto...

para lembrar

Mãe Beata de Iemanjá: ‘Vou entrar nessa briga’

Mãe Beata de Yemonjá, avisa: " Vou entrar nessa...

‘Por que não me respeitam?’, indaga menina agredida por ser do Candomblé

“Eu não entendo por que está acontecendo isso tudo,...

Religiões africanas promovem ato contra intolerância e racismo em São Paulo

O Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa será...

Em isolamento, devotos do Candomblé evocam orixá da cura

Com celebrações suspensas nos terreiros, povo de santo faz...
spot_imgspot_img

Umbanda completa 115 anos em meio à intolerância religiosa

O Dia Nacional da Umbanda será comemorado neste 15 de novembro, mas existe uma questão forte a enfrentar. A intolerância religiosa é uma preocupação...

Contra a intolerância religiosa: Niterói terá Encontro de Terreiros de Umbanda

Com o intuito de promover a identidade cultural da religião de matriz africana criada no Brasil e de combater a intolerância religiosa, a primeira edição do...

Mãe de santo aponta falta de diálogo e intolerância em demolição de terreiro na Grande SP

Mãe de santo em Carapicuíba, Grande São Paulo, Odecidarewa Mãe Zana Yalorixa está sem local para morar desde que o seu terreiro de candomblé de 200 m²...
-+=