Presidente do Haiti foi assassinado por tentar enviar aos EUA lista de pessoas ligadas ao narcotráfico

Segundo uma investigação do ‘The New York Times’, os assassinos de Jovenel Moïse retiraram vários documentos de seu quarto após matá-lo

Antes de ser assassinado em julho, o então presidente do Haiti, Jovenel Moïse, trabalhava em uma lista de poderosos políticos e empresários envolvidos no tráfico de drogas. Moïse planejava entregar aos Estados Unidos o arquivo detalhando seu grau de envolvimento em cada caso. Assim, os agressores que o mataram e feriram gravemente sua esposa saquearam sua casa em busca de documentos, como ficou conhecido mais tarde. A própria viúva Martin Moïse, que fingiu estar morta antes de os agressores partirem, admitiu em seu depoimento que, logo após o assassinato, os pistoleiros, em sua maioria colombianos, vasculharam a sala em busca de documentos.

Cinco meses após o assassinato do presidente do Haiti, a investigação sobre sua morte continua paralisada. Embora a maioria dos perpetradores, mais de vinte pistoleiros colombianos que chegaram ao país nos dias anteriores à detenção, o mandante continua um enigma. Meses antes de sua morte, Moïse havia denunciado em uma entrevista a este jornal que poderosos grupos empresariais queriam acabar com ele, e uma investigação do The New York Times acrescenta alguns nomes às suspeitas. O jornal norte-americano destaca que, nos meses anteriores ao seu assassinato, ele tomou uma série de medidas que não agradaram a seus inimigos. Entre eles, iniciou uma limpeza na alfândega, estudava a nacionalização de um porto marítimo que suspeitava ser a porta de entrada de mercadorias contrabandeadas, ordenou a destruição de uma pista de pouso clandestina usada por aeronaves leves da Venezuela e da Colômbia, e estava investigando o lucrativo comércio de enguias, identificado como um mecanismo de lavagem de dinheiro.

Leia a matéria completa aqui

+ sobre o tema

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a...

para lembrar

EXCLUSIVA: Entrevista do candidato Netinho para o Portal Geledés

Há duas semanas das eleições, Netinho de Paula,...

Marina Silva e o legado que virou moda

Por Sérgio Vieira   Se alguém achou que...

Negros e Espânicos sofrem mais com a Gripe, diz Estudo

Fonte: da Agência Universo de Noticias Negros e hispânicos...

No Pará, dois mil indígenas cobram direito de usar nome étnico

Projeto do núcleo de direitos humanos do Pará garante...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira (13) atos de movimentos feministas contra o projeto de lei que equipara aborto a homicídio,...

É sórdido condenar vítima de estupro por aborto

É sórdido e apequena a política o Projeto de Lei que ameaça condenar por homicídio meninas, jovens e mulheres que interromperem gestações, ainda que...
-+=