Primeira negra a ganhar ouro olímpico, Alice Coachman morre aos 90 anos

Americana conquistou medalha no salto em altura nas Olimpíadas de 1948,
em Londres. Alice estava entre as 100 maiores figuras olímpicas da história

Alice Coachman entrou para a história das Olimpíadas em 1948. Durante os Jogos de Londres, o primeiro após a Segunda Guerra Mundial, a americana nascida em Albany, estado da Georgia, tornou-se a primeira mulher negra a conquistar um ouro olímpico. Eternizada na história, Alice faleceu nesta segunda-feira, aos 90 anos. Em abril, a vencedora do salto em altura em Londres sofreu um AVC e desde então sua condição de saúde era precária.

Alice está no Hall da Fama do atletismo norte-americano desde 1975 e foi nomeada em 1996, nas Olimpíadas de Atlanta, como uma das 100 maiores figuras olímpicas da história. Ela também foi precursora na área da publicidade entre os atletas. Em 1952, assinou um contrato de patrocínio com a Coca-Cola, sendo a primeira mulher negra a conseguir tal feito.

alice-coachman_medalha3_ap_95
Alice Coachman faleceu aos 90 anos. Ela é uma das 100 maiores figuras olímpicas da história (Foto: AP)

Sua medalha olímpica veio aos 24 anos, em sua primeira e única Olimpíadas. Ela venceu a prova do salto em altura com 1,68m como marca, e ganhou a medalha das mãos do Rei George VI. Um ano depois, se aposentou do atletismo. Alice conquistou 34 títulos americanos e foi campeã por 10 anos seguidos.

Alice Coachman durante uma prova do salto em altura, quando jovem (Foto: AP)
Alice Coachman durante uma prova do salto em altura, quando jovem (Foto: AP)

Fonte: Globo Esporte

+ sobre o tema

Sérgio Pererê – Serafim

"Para ser universal, basta cantar o seu quintal". No...

Gilberto Gil adapta canções de O Rei Leão

Por: Thiago Mariano   Foram anunciados na terça-feira, em São Paulo,...

Indicado ao Oscar, ‘O Som do Silêncio’ dá destaque raro à cultura dos surdos 

Paul Raci, indicado ao Oscar por interpretar um mentor...

para lembrar

Naná Vasconcelos faz show com jovens de projeto social

''Trabalhar com as crianças me agradou muito, pois...

Ronaldo pede clareza de “roubalheira” e para ser preso se receber verba do COL

Membro do comitê, ex-atacante se posiciona a favor de...

“Nossa geração não sabe o que é morrer por uma causa”, diz Wagner Moura

De volta ao Festival de Berlim, onde brilhou com...

Seedorf: ‘Racismo é falta de educação e cultura’

Ao LANCENET!, meia abordou problemas que afetam o mundo...
spot_imgspot_img

Nota de pesar: Flávio Jorge

Acabamos de receber a triste notícia do falecimento do nosso amigo e companheiro de militância Flávio Jorge, o Flavinho, uma das mais importantes lideranças...

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=