Primeiro edital da plataforma Ancestralidades é voltado à pesquisa em ciência e tecnologia a partir da perspectiva dos saberes afro-brasileiros

O Itaú Cultural e a Fundação Tide Setubal lançam este chamamento passados seis meses da estreia da plataforma de mesmo nome, que disponibiliza informações e reflexões sobre as heranças culturais do Brasil. O edital volta-se para o trabalho de pesquisadores negros em instituições acadêmicas e culturais, com um olhar sobre os saberes da população negra brasileira em diálogo com demandas urgentes da sociedade

FONTEPor Danielle Lobato, enviado ao Portal Geledés
Ilustração: Ildima Lima

Dando luz às perspectivas dos saberes ancestrais da população negra brasileira, dentro do campo da ciência e da tecnologia, o Itaú Cultural e a Fundação Tide Setubal abrem de 7 de junho, às 10h, até às 23h59 do dia 20 do mesmo mês, as inscrições para o edital inserido no programa Ancestralidades de Valorização à Pesquisa 2022 – Ciências e tecnologias em perspectiva com os saberes afro-brasileiros. O projeto é direcionado para pessoas físicas pretas e pardas maiores de 18 anos, com pesquisas concluídas ou em andamento dentro da proposta central, ligadas ou não à academia. 

O edital Ancestralidades é aberto a projetos divididos nas categorias Pesquisa em Andamento e Pesquisa Concluída. Os interessados podem fazer inscrições nos dois segmentos, separadamente, mas o regulamento não possibilita a premiação de mais de um trabalho da mesma pessoa. Ao todo, serão contemplados até 12 projetos – os selecionados na primeira categoria receberão R$ 10 mil, cada um, e R$ 15 mil os da outra. Gratuitas, as inscrições devem ser feitas no link que dá acesso direto ao edital dentro da plataforma Ancestralidades Link

Este programa é um dos primeiros grandes desdobramentos da plataforma Ancestralidades, lançada em novembro de 2021 pelas duas instituições reunindo informações e reflexões sobre a ancestralidade negra brasileira. Ao trazer para o tempo atual o olhar aos saberes ancestrais por meio de ações nos campos da ciência e da tecnologia, a proposta, agora, é mapear e contemplar pesquisas teóricas e aplicadas.

“A ciência e a tecnologia são áreas de conhecimentos sinérgicos, que se fazem presentes nos saberes ancestrais. Neste momento sensível, no qual estas áreas estão sendo expostas e questionadas, vimos a necessidade de mapear e difundir pesquisas para aprofundar o debate sobre as questões raciais e apresentar os pontos de fricção e de transformação entre saberes, território e algoritmo”, diz Jader Rosa, gerente do Núcleo do Observatório Itaú Cultural. “O objetivo da iniciativa é promover e reunir pesquisas e pesquisadores do campo das ciências e tecnologias e chegar aonde não estamos chegando. Queremos desdobrar e reverberar esses saberes”, complementa.

De acordo com Márcio Black, coordenador do Programa de Democracia e Cidadania da Fundação Tide Setubal, a iniciativa pretende visibilizar tanto os pesquisadores negros quanto as agendas relativas às ancestralidades. Ele explica, ainda, que a importância do edital está em dois pontos basilares, quando se fala sobre esse tema no Brasil. 

O primeiro, segundo ele, é valorizar o trabalho de pesquisadores negros a partir da perspectiva da ciência e de tecnologia. “Há uma exaltação da cultura e da arte negra, dos movimentos sociais e movimentos negros. Mas, quando se trata da ciência e tecnologia, esses cientistas ficam de certa maneira inviabilizados, porque há uma geração que está aparecendo mais publicamente agora”, aponta. “O segundo ponto é o fato de que não se trata apenas de premiar pesquisadores negros, mas de laurear estudiosos que estão olhando e buscando outras perspectivas territoriais, ancestrais, éticas e estéticas em relação à abordagem da ciência e da tecnologia”, conclui Black.

Chamamento

Os projetos inscritos neste edital devem ser voltados a uma de suas três temáticas. Em Tecnologias ancestrais afro-brasileiras aplicadas à contemporaneidade, podem ser inscritas pesquisas multidisciplinares que subvertem as lógicas eurocêntricas e valorizam a perspectiva das ancestralidades negras brasileiras. 


Desenvolvimento territorial, regeneração ambiental, ecologia e revitalização urbana e rural é voltado para a conceituação, reflexão e expansão da ideia de território e de espaço do bem viver, com foco em tecnologias que impactam comunidades negras periféricas, quilombolas e tradicionais. Por fim, a temática Ética e justiça racial nas Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) é direcionada a pesquisas com resultados teórico-práticos de estudos dos sistemas de discriminação digitais.

As pesquisas inscritas podem ser diretamente ligadas à academia, como também podem estar associadas a coletivos, centros de pesquisas, instituições, observatórios e a organizações da sociedade civil. Não precisam obrigatoriamente seguir as metodologias tradicionais de pesquisa, podendo, ainda, ser trabalhos tanto textuais quanto audiovisuais. 

Seleção e premiação

Finalizado o período de inscrição, os projetos passarão por uma Comissão de Avaliação, composta por 14 integrantes. Estes farão um primeiro crivo dos inscritos a partir dos critérios norteadores do programa, da diversidade regional e de gênero, e por seu vínculo com a temática das ancestralidades negras brasileiras. 

Após essa etapa, fica a cargo da Comissão de Seleção a escolha de até 12 projetos a serem contemplados, abrangendo as duas categorias. Os vencedores em Pesquisas Concluídas receberão aporte no valor de R$ 15 mil, e os selecionados em Pesquisas em andamento, R$ 10 mil. O anúncio dos premiados está previsto para o dia 18 de novembro de 2022, também pela plataforma Ancestralidades, que receberá as inscrições.

Plataforma Ancestralidades

A proposta desta plataforma é difundir, gerar intercâmbios e potencializar diversos conteúdos sobre a temática que dá nome ao projeto. Ela é composta por três eixos temáticos – Arte e Cultura, Democracia e Direitos Humanos, e Ciência e Tecnologia.  Por meio de navegação amigável, disponibiliza, para consultas, verbetes sobre as raízes afro-brasileiras em um acervo que será acrescido ao longo do tempo. Com a proposta de formar e criar repertórios sobre o assunto, apresenta biografias e trajetórias de personalidades negras e suas histórias, listagem dos marcos históricos desde o início do século XVI e conceitos sobre o tema, como raça, gênero, quilombo, afrofuturismo, entre outros, assim como espaços para cursos.

Uma equipe de pesquisadores multidisciplinar do Afro (Núcleo de Pesquisa e Formação em Raça, Gênero e Justiça Racial), do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), assina parte da produção dos verbetes da plataforma. Trata-se de um núcleo de pesquisa, formação e difusão da temática racial que colabora para qualificar o debate público e fortalecer a agenda de direitos humanos e da democracia, sobretudo em relação à justiça e à igualdade racial e de gênero. A produção do conteúdo conta, ainda, com verbetes de arte e cultura da Enciclopédia Itaú Cultural. A coordenação geral é realizada pela Fundação Tide Setubal e o Itaú Cultural. 

SERVIÇO

Edital Ancestralidades de valorização à pesquisa

Inscrições:

Das 10h do dia 7 de junho até às 23h59 de 20 de junho de 2022 (horário de Brasília)

Resultado da seleção:

Dia 18 de novembro de 2022

Inscrições e informações na plataforma Ancestralidades

-+=