Primo de fundadora do Black Lives Matter morre após receber choque em ação policial

Enviado por / FonteDa Folha de S. Paulo

Keenan Anderson foi atingido por disparos de arma taser e sofreu parada cardíaca

Um homem negro de 31 anos, primo de uma das fundadoras do movimento antirracista Black Lives Matter (Vidas Negras Importam), morreu horas depois de receber choques em uma ação policial na cidade de Los Angeles, nos Estados Unidos.

O caso aconteceu no último dia 3 e se tornou público nesta semana, quando foram divulgadas imagens registradas por câmeras corporais dos agentes envolvidos na ação.

Keenan Anderson aparece correndo dos policiais depois de se envolver em um acidente de carro no bairro de Venice, em Los Angeles. Agitado, ele não obedece à ordem para encostar em uma parede. Depois, os agentes conseguem imobilizá-lo e, já com o homem deitado no chão, disparam choques com arma do tipo taser.

Anderson grita por ajuda. Ele diz que os policiais estavam tentando matá-lo e fazer com ele a mesma coisa que fizeram com George Floyd, homem negro assassinado em 2020 por asfixia em Minneapolis, após um policial ajoelhar em seu pescoço.

“Os policiais lutaram com Anderson por vários minutos, usando um taser, o peso corporal e chaves de braço para superar a resistência”, informou a polícia de Los Angeles em comunicado.

Anderson foi detido e, horas depois, sofreu uma parada cardíaca. Ele chegou a ser levado para um hospital, mas não resistiu. O caso tem provocado indignação. “Ele foi morto pela polícia”, disse Patrisse Cullors, prima de Anderson e uma das fundadoras do movimento Black Lives Matter.

A perfeita de Los Angeles, Karen Bass, pediu a suspensão imediata dos policiais até o desfecho da investigação.

Nas redes sociais, usuários comparam o caso ao de Floyd, que gerou forte comoção nos EUA e deu impulso a uma onda global de combate ao racismo. O ex-segurança teve o pescoço prensado contra o chão por mais de oito minutos e disse “não consigo respirar” mais de 20 vezes antes de ser morto.

No ano passado, três ex-policiais que estavam presentes no momento do assassinato foram considerados culpados de crimes federais por privarem o ex-segurança de seus direitos constitucionais ao não fornecerem assistência médica a ele. Antes, o ex-policial Derek Chauvin, que sufocou Floyd com o joelho, recebeu pena de 22 anos e meio de prisão.

+ sobre o tema

Por que as altas desigualdades persistem?

Com o fim da escravidão, nutria-se a esperança de que...

A indiferença e a picada do mosquito

Não é preciso ser especialista em saúde para saber que condições...

Capitalismo é incompatível com democracia, afirma escritor Achille Mbembe

Um dos mais importantes pensadores do mundo, o camaronês Achille...

para lembrar

Regina Casé, a Globo e a suposta denúncia da violência policial

A mãe de DG foi ao Esquenta, mas não...

Parlamento branco comprova que ‘mentira cívica’ não foi desfeita

Em 2013, somente 55 (10,7%) dos 513 deputados federais...

A favela, a polícia e a violência que se inverte

A cultura de corrupção que envolve hoje parte da...
spot_imgspot_img

Superior Tribunal Militar julga recurso de condenados pela morte do músico Evaldo Rosa e do catador de latinhas Luciano Macedo, no RJ

O Superior Tribunal Militar (STM), em Brasília, julga nesta nesta quinta-feira (29) um recurso contra a condenação de oito militares do Exército pelas mortes do músico Evaldo Rosa e do...

Posicionamento: pela divulgação do Relatório de Monitoramento de Violações na Baixada Santista

Geledés -Instituto da Mulher Negra apoia a Comissão Arns e as organizações da sociedade civil no repúdio às execuções sumárias e com exigência de...

Entidades denunciam execuções, invasões ilegais de casas e abusos durante operação da PM na Baixada Santista

Entidades de defesa dos direitos humanos e institutos ligados à segurança pública entregaram na noite desta segunda-feira (26), ao procurador-geral de Justiça, Mario Sarrubbo, um...
-+=