Proclamação de Obama sobre o Mês da História Afro-Americana 2012

PELO PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

UMA PROCLAMAÇÃO

A história dos afro-americanos é uma história de resistência e perseverança. Retrata um povo que se recusou a aceitar as circunstâncias nas quais chegou a esta terra e regista em crónica as gerações que lutaram por uma América que reflita verdadeiramente os ideais contidos nos nossos documentos fundadores. É a narrativa de escravos que guiaram outros na senda da liberdade e de pregadores que se organizaram contra as regras de Jim Crow, de jovens que ocuparam cafetarias como forma de protesto e de homens e mulheres comuns que correram riscos extraordinários para mudar o nosso país para melhor. Durante o Mês Nacional da História Afro-Americana, celebramos o rico legado de afro-americanos e honramos as contribuições notáveis que eles deram para melhorar o nosso país.

O tema deste ano, “Mulheres Negras na Cultura e na História Americana” convida-nos a prestar um tributo especial ao papel que as mulheres afro-americanas desempenharam na moldagem do caráter da nossa nação – muitas vezes perante discriminação racial e de género. Como visionárias corajosas que lideraram a luta para acabar com a escravatura e ativistas tenazes que lutaram para alargar os direitos civis básicos a todos os americanos, as mulheres afro-americanas há muito que são defensoras da mudança social e política. E de gigantes literários que deram voz às suas comunidades a artistas cujas harmonias e pinceladas captaram dificuldades e aspirações, as mulheres afro-americanas enriqueceram para sempre a nossa herança cultural. Hoje, estamos apoiados nos ombros de inúmeras mulheres afro-americanas que venceram obstáculos invisíveis e fizeram avançar os nossos objetivos comuns. Em reconhecimento ao seu legado, vamos honrar os seus atos heroicos e históricos nos próximos anos.

As realizações das mulheres afro-americanas não se limitam às registadas e recontadas nos nossos livros de história. O seu impacto faz-se sentir nas comunidades em que são heroínas silenciosas que cuidam da sua família, em salas do conselho de administração em que são líderes da indústria, em laboratórios onde descobrem novas tecnologias e nas salas de aula onde estão a preparar a próxima geração para o mundo que esta irá herdar. Ao celebrarmos os sucessos das mulheres afro-americanas, lembramos que o progresso não foi fácil e que o nosso trabalho para alargar o círculo da oportunidade a todos os americanos ainda não terminou. Com os olhos postos em novos horizontes, devemos continuar em busca de ensino de boa qualidade para todas as crianças, de um emprego para cada americano que quiser um e uma possibilidade justa de prosperidade para cada indivíduo e cada família por todo o nosso país.

Durante o Mês Nacional da História Afro-Americana rendemos homenagem aos contributos das gerações passadas e reafirmamos o nosso compromisso de manter vivo o sonho americano para a geração seguinte. Em honra dessas mulheres e desses homens que abriram caminho para nós e com grandes expectativas para os que seguem, vamos prosseguir com a causa justa de fazer da América o que deve ser: uma nação que seja mais equitativa e igual para todo o seu povo.

PORTANTO, EU, BARACK OBAMA, Presidente dos Estados Unidos, em virtude do poder que me foi concedido pela Constituição e pelas leis dos Estados Unidos, por meio deste instrumento, proclamo fevereiro de 2012 Mês Nacional da História Afro-Americana. Apelo a todos os funcionários públicos, educadores, bibliotecários e a toda a população dos Estados Unidos que celebrem este mês com programas, cerimónias e atividades apropriadas.

EM TESTEMUNHO DO QUE, apus a minha assinatura ao trigésimo primeiro dia do mês de janeiro no ano de Nosso Senhor de 2012 e ducentésimo trigésimo sexto da Independência dos Estados Unidos da América.

BARACK OBAMA

 

 

Fonte: IIIP Digital

+ sobre o tema

Pesquisa revela constante racismo a imigrantes no Brasil

A noção de que o Brasil é um país...

Menos de 1% dos municípios do Brasil tem só mulheres na disputa pela prefeitura

Em 39 cidades brasileiras, os eleitores já sabem que...

Prostituição e direito à saúde

Alexandre Padilha errou. Realizar campanhas de saúde pública é...

Dilma sobre a campanha: ‘Sou outra pessoa, muito melhor’

Esbanjando bom humor, candidata petista diz que campanha foi...

para lembrar

Cristovam propõe bolsa de estudo para filhos de descendentes de escravos

Fonte: Agência Senado   O presidente da Comissão...

Cortes no Bolsa Família impulsionam aumento da extrema pobreza no Brasil

Em cinco anos, o Bolsa Família —programa de transferência...

Quanto vale a dignidade humana?

Os gastos da Prefeitura por cada animal que foi...

Vestibular 2010: UEAP divulga novos cursos

Fonte: Corrêa Neto - Engenharia Química, Engenharia Ambiental e...

Barack Obama elege seus filmes favoritos de 2023; veja lista

Tradicionalmente, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, escolhe seus filmes, músicas e livros favoritos do ano. Nesta quarta-feira (27), Obama compartilhou em suas...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=