Programa de Educação

Artigo produzido por Redação de Geledés

O Programa de Educação de Geledés constituiu-se numa estratégia de:

  • Sistematizar todo o conhecimento e experiência produzidos por Geledés, colocando-os à disposição do movimento social, através de cursos e outras atividades de formação;
  • Subsidiar professores para a discussão e o trabalho com relações raciais e de género na instituição escolar, tendo como eixo a discussão do racismo e a escola enquanto espaço sócio-cultural, onde os sujeitos envolvidos no processo educativo fazem dialogar as suas identidades;
  • Problematizar os rituais pedagógicos, conteúdos de livros didátieos e posturas pedagógicas que reproduzem o racismo e a discriminação racial, bem como contribuem para a reprodução de papéis socialmente construídos para mulheres e homens e as várias etnias;
  • Contribuir para a construção de novos sujeitos políticos na escola, através do fomento das discussões e necessidades levantadas pelo alunado, especialmente negro, politizando-as e tentando propor encaminhamentos e soluções para que a escola compreenda a diversidade étnico-cultural em seu interior;
  • Estabelecer parcerias com o movimento social, no sentido de formar lideranças capazes de fazer os recortes raciais e de género em todas as suas discussões e atividades;
  • Contribuir para a produção do conhecimento através da educação a partir da inserção das categorias raça e género, quer através da sistematização e análise crítica da produção já existente, quer através da pesquisa inovadora;
  • Produzir material de apoio (publicações e audiovisuais) que subsidiem as atividades de formação do Múcleo, bem como os beneficiários de cursos, seminários, parcerias e demais interessados;
  • Convergir toda a ação e acúmulo das diferentes atividades do Múcleo para nos subsidiar na assessoria e administrações de todos os níveis de formulação de políticas públicas que tenham como eixo de intervenção as necessidades educacionais de alunos negros.

+ sobre o tema

“Se nós somamos 54% da população, então somos o poder”

Não há como não se impressionar com o magnetismo...

“Trabalhar a literatura de Carolina Maria de Jesus foi imprescindível para descolonizar olhares”

Silene Barbosa mergulhou na história da escritora negra Carolina...

para lembrar

“As violações sistemáticas e históricas se agravaram no Brasil e a população afrodescendente é uma das mais afetadas”

A pergunta invocada no subtítulo do encontro “Violação de direitos humanos da população negra no Brasil – o que fazer?”, promovido pela Coalizão Negra...

“Em 2018, a contratação de uma mulher grávida não deveria ser algo extraordinário”, diz Grazi Mendes

Empregar uma mulher grávida de nove meses é uma raridade. Mas não deveria ser, segundo Grazi Mendes, integrante do "hire team"  no processo de...

Formação de agentes populares de saúde: uma ação eficaz contra a pandemia

Desde os primeiros casos registrados de coronavírus no país, já era possível prognosticar que a pandemia iria impactar 97% dos 13,6 milhões de moradores...
-+=