Projeção no Minhocão destaca o Dia da Defensoria Pública e campanha antirracista organizada por Defensoras e Defensores

No próximo dia 19 de maio, quarta-feira, a Associação Paulista das Defensoras e Defensores Públicos (APADEP) promoverá em São Paulo, a partir das 19h30, no Minhocão, uma projeção em alusão ao Dia da Defensoria Pública e também à campanha nacional da Associação Nacional das Defensoras e Defensores Públicos (ANADEP) que tem como tema em 2021 “Racismo se combate em todo lugar: Defensoras e Defensores Públicos pela equidade racial.”. A ação faz parte de um projetaço que acontecerá simultaneamente em diversas capitais do País, com apoio da ANADEP.

Desde 2008, a ANADEP, em parceria com as Associações estaduais e Defensorias Públicas dos Estados e do DF, lança no mês de maio – mês da defensora e do defensor público e Dia Nacional da Defensoria Pública – a campanha nacional. A iniciativa tem por objetivo apresentar o papel da Defensoria Pública e o trabalho da defensora e do defensor público como agentes de transformação social. A campanha tem por objetivo também conscientizar as pessoas sobre os seus direitos.

Em 2021, a campanha da ANADEP visa fomentar a necessidade de equidade étnico-racial no acesso a direitos e políticas públicas de pessoas indígenas, negras, quilombolas e povos tradicionais.

A APADEP, que tem realizado diversas ações com vistas à promoção dos valores essenciais de equidade de gênero e étnico-raciais, apoia integralmente a campanha. “O racismo precisa ser combatido em todas as suas vertentes: estrutural, institucional e individual. É um processo de desconstrução de uma estrutura social que gera desvantagens e graves prejuízos para pessoas negras, indígenas, quilombolas e povos tradicionais. A Associação e a Defensoria Pública têm o papel fundamental de promover esse movimento internamente e também são atores importantes para o combate ao racismo em toda sociedade”, afirma o presidente da APADEP, Augusto Barbosa.

 

Serviço

O projetaço simultâneo acontecerá no Dia Nacional da Defensoria Pública, 19 de maio, terá início às 19h30 e duração de 1 hora, com imagens e dados que revelam o racismo no Brasil. Em São Paulo, as imagens serão projetadas em um edifício localizado na av. São João e poderão ser vistas a partir do Minhocão, e também nas redes sociais da APADEP e da ANADEP.

Dados sobre o racismo

 

  • Dos 12 milhões de desempregadas/os no país, 65% são pretas/os ou pardas/os (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) do IBGE/2019);
  • Há falta de referência de negras/os em cargos de liderança em grandes empresas. As/os negras/os são de 57% a 58% das/os aprendizes e trainees, mas na gerência elas/es são 6,3%. No quadro executivo, a proporção é ainda menor: apenas 4,7% são negras/os. (Pesquisa do Instituto Ethos, 2019);
  • De acordo com o Mapa da Violência 2015: entre 2003 e 2013, no Brasil, o número de mulheres negras assassinadas em função da condição de gênero cresceu 54% enquanto o índice de mulheres brancas assassinadas caiu 10% no mesmo período;
  • Em 2018, 1.206 mulheres foram vítimas de feminicídio e 61% delas era negra – soma de pretas e pardas, de acordo com classificação do IBGE (Anuário Brasileiro de Segurança Pública);
  • O número de assassinatos de indígenas no Brasil cresceu 20%. Os dados mais recentes são de 2018, quando foram registradas 135 mortes. O Estado com maior número deste tipo de morte foi Roraima (RR), com 62 casos, seguido de Mato Grosso do Sul (MS) com 38 (Conselho Indigenista Missionário – Cimi);
  • Com dados parciais e preliminares de 2019, o Conselho Indigenista Missionário alerta para 160 casos de invasão em 19 Estados. Rondônia e Amazonas foram, no ano passado, os Estados com maior incidência desta ação;
  • Entre o início de 2008 e o fim 2017, 6 mulheres e 32 homens remanescentes das comunidades quilombolas foram assassinadas/os. Comparado com 2016, os números indicam um aumento de 350% da violência. A Região Nordeste foi a mais recorrente, com 49% dos casos. Bahia e Pará foram os Estados mais violentos, seguidos por Minas Gerais, Rio de Janeiro e Piauí;
  • A destinação de recursos públicos para a titulação de territórios quilombolas sofreu uma queda de mais de 97% nos últimos cinco anos. (Organização Terra de Direitos).

APADEP – A Associação Paulista das Defensoras e Defensores Públicos (APADEP) é a entidade representativa das/os Defensoras/es Públicas/os do Estado de São Paulo, em atividade ou aposentadas/os. Fundada em 7 de abril de 2006, a APADEP tem como principal finalidade a defesa dos interesses das/os associadas/os e da Defensoria Pública, assim como atuar na proteção e promoção dos direitos humanos.

+ sobre o tema

Estrangeiros, portugueses e organizações protestam contra a xenofobia na Europa

Fonte: Radioagência NP Uma manifestação contra as políticas de imigração...

Padre racista e delegada conivente

Conhecido por se envolver em infrações e acidentes de...

É o racismo, estúpidos.

Por Edson Lopes Cardoso O repórter Bernardo Mello Franco, de "O Globo",...

E de onde são os seus parentes da África?

Um dos meios de expressão das minhas inquietações é...

para lembrar

Para ministra da Igualdade Racial, declarações de Bolsonaro são “caso explícito de racismo”

Gilberto Costa Brasília – A ministra-chefe da Secretaria...

Promotoria quer que empresária pegue 5 anos de prisão por frase racista no Facebook

Mulher disse entender "porque certas pessoas deveriam permanecer no...

5 mapas e 4 gráficos que ilustram segregação racial no Rio de Janeiro

Um estudante de Geografia da USP tem chamado a...
spot_imgspot_img

O amor com o sol da manhã

Eu gosto do amor, eu gosto de amar. Inclusive, já escrevi muito sobre o amor nestas páginas, algumas vezes de forma explícita, outras vezes...

Se o Estado perder o controle, o que vai restar?

Cinco pessoas foram mortas durante a 16ª operação policial do ano no Conjunto de Favelas da Maré, nesta terça-feira, 11 de junho. Uma das...

Após ‘discriminação racial’, Lewis Hamilton compartilha postagem em defesa a Bukayo Saka

O heptacampeão mundial de Fórmula 1, Lewis Hamilton, utilizou suas redes sociais para compartilhar um texto em em defesa do jogador Bukayo Saka, da...
-+=