Protesto contra violência policial deixa 5 agentes mortos e 6 feridos nos EUA

Franco-atiradores dispararam contra policiais durante protesto em Dallas.
Manifestantes protestaram contra violência policial contra negros.

Do G1

Cinco policiais morreram nesta quinta-feira (7) e outros seis ficaram feridos após franco-atiradores abrirem fogo contra agentes que acompanhavam uma manifestação contra a violência policial em Dallas, no estado do Texas (EUA).

Dezenas de pessoas protestavam pela morte de dois homens negros por policiais brancos nos estados da Luisiana e de Minnesota. Enquanto ocorria o protesto, os franco-atiradores dispararam contra os policiais.

Através de um comunicado, a polícia disse que, dos seis feridos, três estão em “estado crítico” e dois estão passando por cirurgia. Inicialmente, quatro policiais foram mortos por um ou mais “snipers”. Um morreu no hospital horas depois.

choraPolicial de Dallas chora e recebe conforto (Foto: Ting Shen / The Dallas Morning News / via AP Photo)

 

Segundo o chefe de polícia local, David Brown, três suspeitos foram detidos, entre eles uma mulher. Ele também exibiu uma foto de um homem com uma camisa camuflada carregando um fuzil.

Um quarto suspeito foi cercado em um estacionamento em Dallas, de onde gritou que espalhou bombas na cidade, disse a polícia. Segundo a CNN, esse suspeito está morto. Após ele mencionar os explosivos espalhados pela cidade, o aeroporto de Dallas entrou em estado de alerta e voos que chegariam à cidade foram desviados.

Brown disse ainda que não tinha a certeza se há mais pessoas envolvidas, além dos três presos e do homem que tinha ficado entrincheirado.

O presidente americano, Barack Obama, fez um pronunciamento na manhã desta sexta-feira (8). “Estamos horrorizados com as mortes em Dallas. Não há justificativa para os ataques”, declarou, segundo a CNN.

policial

De acordo com a polícia, os atiradores usaram posições elevadas, como prédios, para disparar contra os agentes com rifles ou fuzis. Testemunhas informaram que ocorreram dezenas de disparos. Vídeos na Internet mostram quando os tiros começaram, provocando pânico entre os manifestantes.

ferido

Equipes de emergência tratam de um ferido (Foto: Tony Gutierrez / AP Photo)

Violência policial
Centenas de pessoas participaram do protesto em Dallas, que terminou momentos antes do início do tiroteio, às 21h local (23h em Brasília), segundo a imprensa da cidade.

O protesto em Dallas foi uma das muitas manifestações nos EUA após a morte de dois homens negros em operações policiais, na Luisiana e em Minnesota nesta semana.

Philando Castile, de 32 anos, funcionário de um refeitório escolar, morreu na noite de quarta (6), após uma blitz na cidade de Falcon Heights, no estado de Minnesota.

Já Sterling foi baleado à queima-roupa por policiais que o dominaram no chão em Baton Rouge, Luisiana. Os últimos momentos de vida de Philando Castile foram gravados em um vídeo visto por dois milhões de pessoas nesta quinta.

negroHomem deita na rua e simula ação policial contra negros em Dallas (Foto: Laura Buckman / AFP Photo)

O presidente Barack Obama defendeu a reforma da polícia americana e reabriu o debate sobre o abuso da força policial nos EUA.

“Essa não é apenas uma questão negra. Não é apenas uma questão hispânica. É questão americana, com a qual todos nós deveríamos nos importar. Cabe a todos nós dizer que podemos fazer melhor do que isso. Somos melhores do que isso”, afirmou.

protesto

Manifestação em Dallas, no Texas, contra violência policial (Foto: Laura Buckman / AFP Photo)

+ sobre o tema

Artigo: Violência contra a mulher não pode ser banalizada

No último Dia dos Namorados, circulou, nas redes sociais,...

Ex-pantera negra discursa sobre genocídio da juventude e emociona público presente

  Ericka Huggins passou por duas universidades e estará presente...

para lembrar

spot_imgspot_img

Caça aos livros

Está aberta a temporada de caça aos livros no Brasil! Mas atenção. A perseguição restringe-se à indicação pedagógica de certas obras capazes de promover o debate e a...

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...
-+=