Quilombolas que vivem perto da Serra do Curral temem ser afetados por mineração na região

Enviado por / FonteG1, por

Comunidade alega que não foi consultada sobre empreendimento da Tamisa. Mineradora nega que haverá impacto.

A ameaça da mineração na Serra do Curral não é só para as cidades do entorno. Moradores de uma comunidade quilombola denunciam que serão prejudicados. Eles afirmam que não foram sequer consultados nem pela Taquaril Mineração S.A (Tamisa) e nem pelo governo do estado sobre os impactos na comunidade local.

A mineradora recebeu aval do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam) para obter licenças que liberam empreendimento minerário na região.

Serra do Curral — Foto: Danilo Girundi/ TV Globo


“Estamos muito preocupados. Em momento algum fomos citados, tampouco convidados a participar. Foi um susto para a comunidade”, disse a líder comunitária do quilombo Manzo, Makota Kidoidale.

Os quilombolas temem que a vegetação e os córregos que usam em rituais culturais e religiosos sejam afetados. Eles estão a pouco mais de 2km da Serra do Curral.

A mineradora Tamisa afirma que não há previsão de impactos ambientais na área urbana de Belo Horizonte em geral, nem no bairro Santa Efigênia, onde fica o quilombo, na Região Leste da cidade.

O g1 também procurou o governo do estado sobre o assunto, mas não houve resposta.

O empreendimento

Área onde será instalado o Completo Minerário Serra do Taquaril, na Serra do Curral — Foto: Lucas Franco/TV Globo

O licenciamento para o complexo minerário foi aprovado na madrugada do último sábado (30), após mais de 18 horas de reunião. Oito conselheiros votaram a favor do empreendimento, e quatro votaram contra. Todos os representantes do governo estadual se posicionaram pela aprovação do projeto.  

O projeto está localizado em Nova Lima, nas proximidades da divisa com Belo Horizonte e Sabará.

O empreendimento será dividido em duas fases, que serão implantadas e operadas ao longo de 13 anos. O projeto prevê que serão lavrados e beneficiados aproximadamente 31 milhões de toneladas de minério de ferro, resultando em 24 milhões de toneladas de produtos.

Para a instalação do complexo, será necessário devastar 41,27 hectares de vegetação nativa de Mata Atlântica, dos quais quase seis hectares estão em áreas de preservação permanente.

A área total do empreendimento – Área Diretamente Afetada – é de 101,24 hectares.

+ sobre o tema

Os negros nas histórias em quadrinhos – parte 2

A Era de Prata (1956 – 1969) Ebulição Social...

Cinco fatos sobre Beatriz Nascimento

Para entender com precisão a história do Brasil, ciente...

Imagens da Escravidão: Emancipação, inclusão e exclusão

por Lilia Schwarcz, Maria Helena Machado e Sergio Burgi O...

para lembrar

Animação incentiva crianças negras a amarem seus cabelos naturais

Promover a autoestima de crianças negras por meio do...

Marcha da Consciência Negra pede fim do racismo e do genocídio de jovens

Manifestação em São Paulo percorreu Avenida Paulista, Rua da...

Richard Bona faz apresentação única no Teatro Castro Alves

O  multi-instrumentista camaronês Richard Bona fará apresentação única em...
spot_imgspot_img

Diaspóricas 2: filme revela mundo futurista a partir do olhar de mulheres negras

Recém-lançado no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), em Goiás, no último dia 13 de junho, o filme “Diaspóricas 2” traz o protagonismo negro feminino e brasileiro...

Gilberto Gil é homenageado na Uerj por contribuições culturais ao país

Cantor, compositor, escritor, produtor musical, imortal da Academia Brasileira de Letras, ex-ministro da Cultura. Dono de vários talentos e posições, Gilberto Gil ganhou nesta...

‘Bad Boys 5’ já está sendo discutido, afirma produtor

‘Bad Boys: Até o Fim‘ estreou há apenas uma semana, mas um 5ª filme para a franquia estrelada por Will Smith e Martin Lawrence já está sendo discutido. A...
-+=