Racismo e extremismo ameaçam Copa na Rússia, diz relatório

Um  relatório de uma organização que ajuda a Uefa a investigar casos racistas no futebol da Europa alertou a Fifa e autoridades sobre o perigo da Copa do Mundo da Rússia, que será disputada em 2018, para jogadores e torcedores visitantes do país europeu. As principais ameaças reportadas são os crescentes casos de racismo e de extremistas de direita.

No Terra 

De acordo com os dados, mais de 200 casos de discriminação, entre racismo e xenofobia, foram identificados no futebol russo apenas nas últimas duas temporadas. O relatório mostra também dezenas de casos em que torcedores fizeram campanha e venderam objetos de extrema direita em uma “vaquinha” para neo-nazistas presos.

“Nossa esperança é que a Rússia tome atitudes para proteger fãs e jogadores. Os atletas já falaram que vão abandonar o campo se escutarem algum racismo. Isso é perigoso”, alertou Piara Powar, diretor da organização. Um caso emblemático foi o racismo de torcedores do CSKA contra Yaya Touré, do Manchester City, na Liga dos Campeões. O africano, da Costa do Marfim, afirmou que a seleção não irá para a Copa se não se sentir segura.

O relatório já foi enviado para o presidente da Fifa Joseph Blatter, que nesta sexta escreveu no Twitter sobre a preocupação com a discriminação em 2018. Presidente da Rússia, Vladimir Putin admite o problema desde antes da escolha do país como sede e promete uma solução, mas o relatório afirma que pouco foi feito de fato.

In December, FIFA’s Task Force presented concrete action plan to tackle discrimination in build-up to 2018 World Cup. http://fifa.to/1FLuJ7K

Pelo contrário: os responsáveis pelo relatório, que não inclui a atual temporada, enxergam um aumento nos casos neste ano, apesar das ameaças de punição, incluindo multas e fechamento de estádios.

+ sobre o tema

Ministério Público vai investigar atos de racismo em escola do DF

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT)...

Desigualdade ambiental em São Paulo: direito ao verde não é para todos

O novo Mapa da Desigualdade de São Paulo faz...

Nath Finanças entra para lista dos 100 afrodescendentes mais influentes do mundo

A empresária e influencer Nathalia Rodrigues de Oliveira, a...

Ministério da Igualdade Racial lidera ações do governo brasileiro no Fórum Permanente de Afrodescendentes da ONU

Ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, está na 3a sessão do...

para lembrar

Nem tudo era italiano …

Este brilhante trabalho foi apresentado originalmente em 1995 como...

Além de odiar as mulheres, atirador de Santa Bárbara era racista, diz jornal americano

"Como pode garoto negro conquistar uma menina e não...

Coisas que uma sociedade racista faz por você

Você, um belo dia, está na faculdade e vem...

Denúncias de racismo na internet crescem 81% em 2014, aponta levantamento de ONG

Aumento foi observado na comparação entre os primeiros semestres...
spot_imgspot_img

Ministério Público vai investigar atos de racismo em escola do DF

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) vai investigar atos de racismo registrados durante uma partida de futsal entre alunos de duas...

Gibi, 85 anos: a história da revista de nome racista que se transformou em sinônimo de HQ no Brasil

Um dicionário de português brasileiro hoje certamente trará a definição de gibi como “nome dado às revistas em quadrinhos” — ou algo parecido com isso....

Estudante negra de escola pública ganha prêmio com pesquisa que apontou racismo em dicionários: ‘racismo enraizado na fala’

Uma aluna do Ensino Médio do Instituto Federal São Paulo, de Bragança Paulista (IFSP), conquistou medalha de ouro após apresentar uma pesquisa sobre racismo, durante a...
-+=