Racismo é principal forma de discriminação em 75% das empresas no Brasil, diz pesquisa

Enviado por / FonteCNN, por Bruna Macedo

Levantamento mapeou principais formas de discriminação no ambiente de trabalho no país e ao redor do mundo

Uma pesquisa feita pela empresa CEGOS, de treinamento e desenvolvimento, com exclusividade para a CNN Brasil, mostra que 75% das empresas brasileiras apontam o racismo como principal discriminação no ambiente de trabalho, seguido por opiniões políticas (42%) e aparência física (37%).

Para o estudo, foram ouvidos mais de 4 mil profissionais de RH em sete países: Brasil, França, Alemanha, Itália, Grã-Bretanha, Espanha e Portugal.

/ CNN/Arte

Ao redor do mundo: 82% dos entrevistados no mundo já testemunharam alguma forma de discriminação no ambiente de trabalho.

De acordo com os números, é possível interpretar que a discriminação persiste fortemente apesar das leis existentes. Nos países entrevistados, os funcionários mencionam a aparência física em primeiro lugar (46%), seguida pela idade (42%), racismo (41%) e gênero (38%). As pontuações são ainda maiores quando analisadas isoladamente as respostas dos jovens que têm de 18 a 24 anos, em cada uma dessas questões.

Aqui no Brasil, a maioria das pessoas (75%) acredita que o racismo é a forma mais comum de discriminação. Em seguida, 42% acreditam que a principal razão de discriminação sejam opiniões políticas.

Em terceiro lugar, com 37% das respostas, aparece a aparência física como principal forma de discriminação no Brasil. E as questões de gênero ocupam a 4 posição, com 38% das respostas.

Um outro dado importante dessa pesquisa é que 63% dos colaboradores que participaram do levantamento disseram que já sofreram com pelo menos uma forma de discriminação. Em sua maioria, os atos são realizados primeiro por colegas e depois por gerentes diretos.

+ sobre o tema

Mulher negra na primeira pessoa: vulnerabilidade, preconceitos e experiências com o HIV

Resumo O HIV/AIDS é um problema de saúde pública, sendo...

Política de Extermínio

A política de confronto posta em prática pelo governo...

Número de casos diagnosticados de câncer de mama dispara

A incidência de câncer cervical aumentou de 378 mil...

Tuitaço em apoio ao direito de resposta na Veja dos guarani-kaiowá

Na quinta-feira, 22, apoiadores, movimentos e indígenas se...

para lembrar

Professora sofre ameaças por ensinar Constituição a indígenas Munduruku

Por Luana Luizy, Emanuelle sofre hoje intimidações e ameaças por...

Morre a cantora Joanne Borgella, que participou do “American Idol”

Artista de 32 anos lutava contra câncer de endométrio A...

‘Redução da maioridade penal não fará criminalidade diminuir’, defende OAB em debate no Senado

Conselho Federal do órgão afirma que faltam políticas públicas...

Anistia Internacional cobra laudos das mortes no Cabula

Em nota, a ONG afirmou que o governador Rui...
spot_imgspot_img

Desenrola para MEI e micro e pequenas empresas começa nesta segunda

Os bancos começam a oferecer, a partir desta segunda-feira (13), uma alternativa para renegociação de dívidas bancárias de Microempreendedores Individuais (MEI) e micro e...

“Geledés é uma entidade comprometida com a transformação social”, diz embaixador do Brasil no Quênia

Em parceria com a Embaixada do Brasil no Quênia, Geledés - Instituto da Mulher Negra promoveu nesta sexta-feira 10, o evento “Emancipação Econômica da...

Caso Sônia é desastroso para combater trabalho escravo, alerta auditor

A história de Sônia Maria de Jesus, de 50 anos – que foi resgatada em uma operação contra o trabalho análogo à escravidão da...
-+=