Rede de Mulheres

A Rede de Mulheres Empreendedoras , que é tocada pela Asplande (Assessoria e Planejamento para o Desenvolvimento), instituição que atua em favelas do Rio de Janeiro desde de 19997, acaba de lançar, ainda em fase experimental, o Portal Mulheres na Rede, Criado em parceria com universidades e alimentado de maneira voluntária, o Portal Mulheres na Rede vai possibilitar que mulheres da região Metropolitana do Rio de Janeiro, principalmente, possam acessar o conteúdo que vem fortalecendo os empreendimentos populares tocados por mulheres nas favelas e periferias do Rio de Janeiro.

Por Mônica Francisco Do Jornal do Brasil

O projeto mostra como as iniciativas que se desenvolvem localmente em várias favelas do Rio de janeiro, como Borel, Cantagalo, Babilônia e Chapéu Mangueira, Formiga e Tabajaras/Cabritos e em outras áreas como a Zona Oeste e Baixada, podem tornar-se uma força e potência quando unem esforços com parcerias comprometidas com a possibilidade de uma sociedade melhor e mais justa, mesmo sem financiamentos públicos ou privados.

O empoderamento econômico é só um dos temas que o Portal Mulheres na Rede vai mostrar. Dar visibilidade aos empreendimentos populares, que, se por um lado dão orgulho por serem a demonstração da grande força que está nas favelas e periferias, da força das mulheres que empreendem e mantém a economia local crescendo, fortalecendo suas famílias, agregados e sustentando a sociedade em momentos de grave crise como o que atravessamos, por outro lado, mostram como  políticas públicas cada vez mais efetivas e eficazes nessa área são fundamentais.

Fazer com que ferramentas de gestão dos negócios, com linguagem acessível e de conteúdo consistente, cheguem até mulheres que nas suas casas, igrejas, grupos locais é o principal objetivo do Portal Mulheres na Rede.

Em um país onde 54% de sua população é de mulheres, e que deste contingente, cerca de quase 6 milhões vivem em favelas e periferias, é mais do que oportuna esta possibilidade de qualificar-se e trocar experiências que podem transformar a vida de muitas mulheres e consequentemente de suas famílias e localidades.

O Portal Mulheres na Rede pode ser acessado pelo link: http://mulheresnarede.org.br

+ sobre o tema

Futura ministra diz que aborto é questão para o Legislativo

BRASÍLIA - A futura ministra da Secretaria de Políticas...

‘Sexo frágil’ – será?

Para início de conversa esse rótulo está ultrapassado. Em...

BA empossa 1ª transexual no serviço público do Estado

O transexual Paulo César dos Santos, de 25 anos,...

Índias levam bandeiras feministas às aldeias e assumem dianteira do movimento

Nascidas em aldeias indígenas no Acre, Letícia Yawanawá, 49...

para lembrar

Nota de preocupação e repúdio

Carta Aberta à Drª Gilda Carvalho Ministério Público Federal NOTA DE...

Sexo e gênero e a boçalidade eleita

"ANTES DA TRANSFORMAÇÃO DE UM HOMEM OU DE UMA...

Como o 8 de Março mudou a ciência

Eva Alterman Blay é Professora Emérita da USP e...
spot_imgspot_img

Homens ganhavam, em 2021, 16,3% a mais que mulheres, diz pesquisa

Os homens eram maioria entre os empregados por empresas e também tinham uma média salarial 16,3% maior que as mulheres em 2021, indica a...

Escolhas desiguais e o papel dos modelos sociais

Modelos femininos em áreas dominadas por homens afetam as escolhas das mulheres? Um estudo realizado em uma universidade americana procurou fornecer suporte empírico para...

Ministério da Gestão lança Observatório sobre servidores federais

O Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI) lança oficialmente. nesta terça-feira (28/3) o Observatório de Pessoal, um portal de pesquisa de...
-+=