Redenção ganha Selo para Igualdade Racial

Redenção está entre as oito secretarias premiadas do Brasil com o Selo de Educação para a Igualdade Racial

O Município de Redenção recebeu, na última semana, o Selo de Educação para a Igualdade Racial, em reconhecimento de mérito por todas as ações desenvolvidas no período de 2009 a 2010. A solenidade de entrega do selo aconteceu em Brasília, onde a secretária de Educação do Município, Ana Paula Fonseca, recebeu das mãos da ministra Luiza Helena de Bairros a comenda. Redenção está entre as oito secretarias premiadas do Brasil.

Nos últimos anos, este Município tem reescrito sua história buscando reavivar na memória de seu povo sua ancestralidade e o orgulho do feito histórico que aconteceu nessa terra, de ser o primeiro a garantir liberdade aos escravos.

A Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria da Educação, pensando em construir uma educação que colabore com reconhecimento e autoafirmação da identidade afro-descendente, iniciou em 2009 o Projeto As Cores de Redenção, lançado por ocasião da primeira audiência pública da Universidade da Integração Internacional (Unilab).

O projeto teve como base a implementação da Lei 10.639/2003, que estabelece a obrigatoriedade do ensino de História Cultura Afro-Brasileira e Africana. Desde então, é desenvolvido em 36 unidades escolares com a participação de 6.300 alunos e 50 professores.

As “Cores de Redenção” foi o projeto que proporcionou à Secretaria Municipal da Educação, o Selo de Educação para a Igualdade Racial, oferecido pela Secretaria de Promoção de Políticas de Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir), em parceria com a Secad, Unesco, Unicef, Undime e Consed, em reconhecimento de mérito por todas as ações desenvolvidas no período de 2009-2010.

Tendo ainda como um dos eixos do projeto combater a invisibilidade da população negra nos livros didáticos ou a presença desumanizada e exotizada, a Secretaria da Educação realizou o lançamento, no dia 25 de março, do I Livro Didático de Historia e Geografia do Município. O projeto terá continuidade esse ano com outras ações. A cidade comemorou a conquista com evento em parceria com a Unilab e contou com a presença de autoridades como a prefeita Francisca Torres Bezerra, o reitor Dr. Paulo Speller, o representante da Unesco, Vincent Defourny, secretários municipais, representantes do Poder Legislativo e da sociedade civil.

Fonte: Diário do Nordeste

+ sobre o tema

para lembrar

spot_imgspot_img

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Levantamento mostra que menos de 10% dos monumentos no Rio retratam pessoas negras

A escravidão foi abolida há 135 anos, mas seus efeitos ainda podem ser notados em um simples passeio pela cidade. Ajudam a explicar, por...

Racismo ainda marca vida de brasileiros

Uma mãe é questionada por uma criança por ser branca e ter um filho negro. Por conta da cor da pele, um homem foi...
-+=