Guest Post »

Religiões de matriz africana debatem ações contra intolerância no Amapá

Evento iniciou as celebrações do Dia Estadual de Cultos Afro Religiosos.
Programação ocorre até o dia 9 de maio, com palestras e atos culturais.

no G1

Representantes de religiões de matriz africana no Amapá se reuniram nesta sexta-feira (6) para debater sobre políticas públicas de combate à intolerância no Amapá. O evento iniciou as celebrações do Dia Estadual de Cultos Afro Religiosos, comemorado no dia 8 de maio.

De acordo com a representante da Secretaria Extraordinária de Políticas para Afrodescendentes (Seafro), Nubia Souza, a programação se estende até o dia 9 de maio, com palestras e atos culturais, que visam o combate ao preconceito religioso e racial.

“Este é um momento fundamental para as religiões de matriz africana no Amapá. Várias ações foram desencadeadas no Amapá. Muitos promovem a intolerância por não conhecer e temos que reafirmar todos os dias as políticas de diversidade”, enfatizou.

Durante o encontro, foi debatida a proposta de criação da Delegacia Especializada em Repreensão a Crimes de Racismo e Intolerância no Amapá. O advogado presidente da Comissão da Verdade da Escravidão Negra, Danilo Martins, explica que um projeto foi aprovado em 2015, mas a gestão estadual necessita de recursos para a implantação.

“O governo reconheceu a necessidade, pois a intolerância ainda é presente diariamente no cotidiano de membros de religiões de matriz africana. São pais, mães, crianças que são alvos do preconceito. O projeto foi aprovado, mas é preciso que se obtenha recursos para a criação da delegacia”, disse.

O secretário de Justiça e Segurança Pública, Gastão Calandrini, disse que o projeto engloba diversos seguimentos considerados minorias, como deficientes físicos, LGBT e afrodescentes no Amapá.

“O projeto está pronto para abranger o público da minoria que é vulnerável a sofrer a violência da intolerância. Mas ainda não tem previsão para ser criado, porque é preciso melhorar o ambiente econômico no Amapá para dar continuidade na parte prática”, ressaltou o secretário.

Durante a cerimônia, ocorreu a entrega de selos de promoção da Igualdade Racial, concedidos a 36 pessoas e representantes de entidades que promovem políticas da igualdade racial no Amapá.

Related posts