A respeito de Lima Barreto

É um daqueles espetáculos difíceis de definir e que incomodam o espectador – o que não é (nem um pouco) ruim. Mas o certo é que Traga-me a cabeça de Lima Barreto, exibido na quarta-feira passada no Theatro São Pedro, marcou, de forma certeira, o início das atividades da FestiPOA Literária, que acontece agora em maio na Capital.

Por Cristiano Vieira Do Jornal do Comércio

O escritor Lima Barreto será homenageado na Flip 2017 – (Foto: reprodução/ O Globo)

A performance arrebatadora do ator Hilton Cobra como Lima Barreto hipnotizou a plateia. Nem mesmo os insistentes e incômodos aparelhos celulares, com suas luzes piscantes, apareceram desta vez (ainda bem!). O espetáculo parte de uma hipotética autópsia da cabeça de Lima Barreto com o propósito de investigar como um autor negro (e de raça supostamente inferior) realizou, em vida, obras memoráveis como O triste fim de Policarpo Quaresma.

Pelos termos da infame teoria da eugenia, apenas pessoas claras, puras, têm inteligência capaz para tal tarefa. Aos negros, aos diferentes, a simples biologia e a cor da pele são suficientes para atestar a inferioridade.

O ator, enquanto personifica Barreto, mostra à plateia quão absurdas são essas ideias. Hilton Cobra examina a podridão que se esconde nas opiniões de hoje – o racismo velado, que subjuga as pessoas pela cor da pele. É triste, choca ler no telão o veneno do preconceito destilado por cientistas no início do século XX. Triste, mais ainda, porque, 100 anos depois, pouco mudou.

+ sobre o tema

para lembrar

Whoopi Goldberg confirma nova continuação de ‘Mudança de Hábito’

Whoopi Goldberg, 64, confirmou que está trabalhando em uma...

RIP Mister Funk Santos

por luisnassif Mr. Funky Santos, um dos astros...

Rosa Parks e Sally Ride dois ícones históricos ganham sua versão Barbie

Crianças em todo o mundo poderão brincar com as...
spot_imgspot_img

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=