RJ – Segurança será indenizado em R$ 4 mil por ser chamado de ‘macaco’ e ‘crioulo escravo’

Um segurança de uma casa noturna de Niterói (RJ) vai receber R$ 4 mil de indenização por dano moral de um cliente que o insultou com palavras racistas. O autor da ação contou que foi chamado de “macaco” e “crioulo escravo” ao tentar separar uma briga entre dois jovens.

A decisão é da 15ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que manteve a sentença de primeiro grau. O relator do processo, desembargador Sergio Lucio de Oliveira e Cruz, entendeu que houve o crime de injúria por preconceito.

Fonte: Estadão

+ sobre o tema

“A perversão começa na formação”, diz ex-PM condenado

O ex-soldado da PM, Rodrigo Nogueira, preso em Bangu...

PEC da Anistia deixa muitas perguntas sem respostas

Seria bem importante que os presidentes dos partidos políticos...

Minha vida entre livros

Para Ana Paula Lisboa e Alexandre Roque Por Atila Roque...

‘Devia ficar preso’, diz jovem xingada de macaca por suspeito de racismo

Metalúrgico teria chamado ainda trio de 'chitas' na terça-feira...

para lembrar

Pele alva e pele alvo: porque jovens negros continuam sendo vítimas preferenciais da violência

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, publicados em...

Entidade cria Disque Racismo em Santos

A Associação dos Afrodescendentes da Baixada Santista (Afrosan) com...

Racismo em Ribeirão Preto, mais um caso para pensarmos que país é este?

No sábado, dia 12 de Dezembro de 2009, três...

Almoço das 400 mil mortes

Tá cada vez mais down na high society. Como...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=