Robson Caetano é indiciado na Lei Maria da Penha por lesão corporal

O ex-atleta Robson Caetano foi indiciado neste domingo (6) sob a suspeita de crime de lesão corporal, informou o delegado Carlos Augusto Nogueira, da 16ª Delegacia de Polícia (Barra da Tijuca), Zona Oeste do Rio.

Fonte: Folha de São Paulo

De acordo com o delegado, Robson Caetano agrediu a mulher com quem vive há dois anos e oito meses, infringindo a Lei Maria da Penha, de 2006, que criou mecanismos para coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Ao depor nesta tarde, segundo o delegado, Robson confirmou a agressão.

Se condenado, o ex-atleta e comentarista de atletismo da TV Globo poderá pegar pena que varia de três meses a três anos de prisão.

Nogueira informou que Robson ficará na delegacia pelo menos até a madrugada de segunda-feira (7), quando será liberado se pagar fiança de R$ 700. Do contrário, será levado de manhã cedo para uma carceragem da Polinter.

Xixi na camisa

O delegado disse que que a discussão começou por volta de 13h, quando o cachorro do casal fez xixi em uma camisa de Robson. Em seguida os dois trocaram acusações sobre desconfianças, traições e ciúmes.

A briga do casal ocorreu em casa onde Robson, de 45 anos, teria dado um tapa na mulher, Natália Pinto da Costa, de 38 anos. Segundo o delegado, a mulher se trancou no quarto, mas Robson Caetano conseguiu arrombar a porta do cômodo e a puxou pelo braço dizendo: “Vamos para a delegacia. Não é isso que você quer?”.

Ao sair do apartamento, ainda no corredor do prédio, o ex-atleta contou que voltou em casa porque tinha esquecido a chave do carro. Natália então saiu correndo, batendo na porta dos vizinhos em busca de ajuda e conseguiu ligar para um amigo, do seu celular.

Nogueira disse que a mulher teria dito no telefone: “Chama a polícia porque o Robson está me batendo de novo”.

De acordo com o delegado, Robson conseguiu alcançar a mulher na portaria do edifício onde mora o casal, no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste do Rio. Ela a agarrou pelo braço e a jogou com força dentro do carro, com a intenção de ir até a delegacia. No meio do caminho, ele, que também tinha pegado a chave do carro da mulher no apartamento, jogou-a pela janela do seu Audi.

PM encontrou casal na Praia da Reserva

Segundo contou ao delegado, no meio do caminho, ele se arrependeu da agressão e estava voltando para casa, quando parou o carro para procurar a chave do carro da mulher. Neste momento, de acordo com o relato de Nogueira, os policiais militares encontraram os dois, nas proximidades da Praia da Reserva. Robson estava do lado de fora do Audi, enquanto Natália estava no carro chorando. Os policiais chegaram com o casal à delegacia por volta das 16h.

Segundo Natália, esta seria a quarta agressão de Robson. O ex-atleta negou as outras três supostas agressões. Ela fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML). O delegado informou que Natália tinha escoriações nos braços e no rosto.

“O exame de corpo de delito foi afirmativo no sentido de que há escoriações. E ele também confessa os fatos, diz que perdeu a cabeça, diz que o fez porque ela usou palavras injuriosas no momento de discussão do casal, o que não justifica”, contou o delegado.

Nogueira confirmou que Robson já teve uma outra passagem pela polícia, em 1989, por agressão também cometida dentro de casa.

Matéria original

+ sobre o tema

Agressões contra mulheres cresceram 44% no ano passado

Dados da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres mostram...

Vítima vive via-crúcis e falta de estrutura após estupro

Sofrimento de vítimas se prolonga depois do crime com...

Dossiê online busca ser nova ferramenta no combate ao feminicídio no Brasil

A plataforma interativa para acesso via internet, traz conteúdos...

Joan Edesson Oliveira: Uma mulher morreu, quem se importa?

Uma mulher foi assassinada. Eu não a conhecia, e...

para lembrar

José Trajano critica a ESPN por convidar Danilo Gentili para o “Bate-Bola”

O tradicional “Linha de Passe”, da ESPN Brasil, ofereceu...

‘Meu agressor tinha razão’

Quando a separação parecia se tornar um fato mais...
spot_imgspot_img

Agosto Lilás e os direitos das mulheres: ‘políticas precisam ser implementadas não apenas nas capitais’

O mês de agosto é marcado por uma importante campanha de conscientização: o Agosto Lilás, ação voltada para a promoção dos direitos das mulheres. A iniciativa busca combater...

Casos de feminicídio e violência doméstica contra mulher crescem 40% na Justiça

O número de novos casos de feminicídio e violência doméstica contra a mulher cresceu cerca de 40% nos tribunais estaduais em 2022. Já os...

Lei Maria da Penha completa 17 anos

A Lei Maria da Penha completa nesta segunda-feira (7) 17 anos e, nesse período, tem contribuído para muitas mulheres romperem com o ciclo de...
-+=