Roda de conversa para a Marcha de Mulheres Negras

A roda de conversa faz parte da construção da Marcha das Mulheres Negras que vai acontecer em Brasília dia 18 de Novembro de 2015.

no  COMULHER Comunicação Mulher  via Guest Post para o Portal Geledés

Música completa do vídeo: Negras em Marcha de Luana Hansen
“A Mulher Negra vai marchar contra os Racistas
Pra acabar de vez com a história dos Machistas
Pelo fim do Genocídio da Juventude Negra
Acontece todo dia não finja que não veja
Onde a parcela mais oprimida e explorada da Nação
Luta diariamente contra a Criminalização
Quer moradia Digna, Educação e Saúde.
Pelo Tom de pele ninguém nunca te julgue
Cansada de uma Mídia Sexista e Racista
Que só promove a Violência física
Anônimas,Famosas, Afro- Latinas Brasileiras.
São suas as vitórias,Grandiosas Guerreiras.
Lutando por suas Terras oh Mulheres Quilombola
Trazendo a Ancestralidade em cada Aurora
Marchamos Mulher Negra contra o Racismo e Violência
Pois todas nós juntas sim fazemos a diferença
Afro-Negra de todas as idades
Vamos todas juntas mudar nossa realidade
Afro-Negra de todas as cidades
Vamos todas juntas mudar nossa realidade

Marcha Contra o Racismo, Eu Vou.
Marcha Contra Violência,
Marcha pelo Bem Viver (2x) Refrão (2x).

Mulheres de memória Ylároixas
Tocando no Djembe, o som do Ilu Obá.
Mulheres de Axé, Resistência e Tradição.
Manteve nossa Fé e Religião
Cansada do Lugar de Inferioridade
De conviver comtanta Desigualdade
Falta creches,escola, uma mídia igualitária.
Enquanto isso a mulher negra vive em condições precárias
Uma Legião de Lutadoras Clandestinas,
Silenciada enquanto impunidade segue sua Rotina
Matando, Julgando, a Marginalizada.
Sou mais uma Claudia, mais uma Negra Arrastada.
Cansada da pobreza que pra nos já foi imposta.
O som do meu tambor, sim já e minha resposta.
Respeite o meu Cabelo é minha Cultura que Ecoa
Respeite meu Turbante sim ele é minha Coroa
Que segue resistindo de uma forma Natural
E vai sobrevivendo ao preconceito Racial
Vamos todas juntas, lutando lado a lado.
Ocupando cargos públicose derrubando o patriarcado.

Marcha Contra o Racismo, Eu Vou.
Marcha Contra Violência,
Marcha pelo Bem Viver (2x) Refrão (2x).

Eu sou Tereza de Benguela, Eu Sou.
Carolina de Jesus, Eu Sou.
Minha resistência aqui não para
Eu sou filha de Dandara
Sou Chiquinha Gonzaga, Eu Sou.
Sou Luiza Mahin, Eu Sou.
Estou disposta a dar um basta
Eu sou filha de Anastácia

Marcha Contra o Racismo, Eu Vou.
Marcha Contra Violência,
Marcha pelo Bem Viver “

+ sobre o tema

Chega de Fiu Fiu lança primeiro teaser de documentário

Nesta semana, o coletivo Think Olga lançou o primeiro teaser...

Crianças que não se identificam com seu gênero biológico falam sobre aceitação

Olhar no espelho e não reconhecer a imagem que...

E as mulheres nas letras do gangsta rap?

Moro no litoral norte e, recentemente, mulheres de Ubatuba...

para lembrar

Deixem as feministas serem amadas

Que feministas são perseguidas por machistas, ameaçadas, xingadas, todo...

Higui: atacada por ser lésbica, presa por defender-se.

Andando nas ruas do centro de Buenos Aires, entre...

Feminismo não é o contrário do machismo por Mario Sergio Cortella

Mario Sergio Cortella, um dos intelectuais mais respeitados do...
spot_imgspot_img

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...

Referência do feminismo negro, Patricia Hill Collins vem ao Brasil para conferência, curso e lançamento de livro

Referência do feminismo negro, a socióloga estadunidense Patricia Hill Collins participa, nesta quarta-feira (19), de um evento em Salvador, na Universidade do Estado da Bahia (Uneb)....
-+=