Guest Post »

São Paulo decide rescindir com Jean, acusado de agredir esposa

Denúncia foi feita por Milena em vídeo durante a madrugada desta quarta (18)

Por João Gabriel, da Folha de S.Paulo

O goleiro Jean, que veio do Bahia, durante treino no São Paulo  (Foto: Ronny Santos – 5.fev.2018/Folhapress)

O São Paulo definiu que vai rescindir seu contrato com o goleiro Jean, que está preso nos Estados Unidos, acusado de ter agredido sua esposa.

A decisão foi tomada em uma reunião da diretoria que totalizou mais de dez horas nesta quarta-feira (18), após o clube ficar sabendo do ocorrido pelas redes sociais e pela imprensa. O vínculo com o atleta de 24 anos tinha término previsto para dezembro de 2022.

A informação foi dada pelo site Globoesporte.com e confirmada pela Folha. Em nota oficial divulgada na noite de quarta, o clube disse ter mesmo escolhido o futuro do jogador, embora não possa anunciá-lo neste momento.

“O São Paulo comunica que tomou uma decisão sobre o futuro do atleta Jean Paulo Fernandes Filho após averiguar detalhes do episódio ocorrido na data de hoje. Por questões legais que impedem qualquer iniciativa durante o período de férias, vigente neste momento, o clube tomará as medidas cabíveis tão logo esta etapa se encerre”, diz o texto.

Na prática, a diretoria espera apenas o término do período de férias para comunicar o atleta sobre a rescisão contratual. A ideia é demitir o goleiro por justa causa, mas isso provavelmente envolverá uma disputa jurídica com o jogador, que pode contestar a justa causa. De qualquer maneira, a decisão tomada é pelo fim do vínculo, pelos motivos explicitados na nota: “O São Paulo não tolera e não admite episódios como os noticiados hoje, de violência contra a mulher”.

A reunião contou com os integrantes da diretoria do clube e do departamento de futebol, e tratou, além da questão do goleiro, sobre a situação do zagueiro Arboleda, que teve divulgada por um amigo uma foto com a camiseta do Palmeiras enquanto passa férias no Equador.

Sobre a situação do beque equatoriano, no entanto, a diretoria preferiu não ir além de um breve pronunciamento, já que há uma questão mais grave: “O São Paulo lamenta, mas pede que não seja assunto para hoje”.

A denúncia foi feita pela mulher em vídeos postados em seu Instagram. Ela disse ter sigo agredida pelo goleiro durante as férias do casal em Orlando, na Flórida (EUA). Jean está preso no condado de Orange, acusado de violência doméstica, e já conta com um advogado que o acompanha no país.

Procurada, a assessoria de imprensa do jogador diz que aguarda mais informações sobre o caso e ainda não sabe se ele vai se pronunciar.

Milena postou três vídeos durante a madrugada desta quarta, afirmando estar trancada no banheiro do hotel, com a cara machucada e afirmando que ele havia acabado de agredi-la.

Também mostrou mensagens que teria recebido do atleta pela rede social, na qual Jean diz que a mulher acabou com sua carreira e por isso “suas filhas vão passar fome”. “Pressão psicológica pós-agressão”, declarou Milena.

Segundo o Globoesporte, no boletim da ocorrência, o xerife do caso que foi ao hotel diz que a esposa relata ter recebido oito socos na cabeça. Tentando se defender, teria atirado uma chapinha de cabelo no goleiro, cortando sua perna.

Jean deve ser chamado para comparecer a uma audiência perante um juiz, em que serão lidas as acusações às quais ele responde e apresentado o valor de fiança para que responda em liberdade. Isso deverá ocorrer nesta quina (19)

Segundo Larissa Salvador, advogada do escritório Marcelo Leal que trabalha na Flórida, a pré-sentença (status do jogador no site oficial da polícia) significa que não houve decisão sobre o caso e que ele está em investigação.

De acordo com ela, nem sequer o registro de queixa pela esposa é necessário para que o atleta tenha sido preso, mas simplesmente a suspeita de que tenha havido agressão.

“O fato de ele ter sido preso não significa que automaticamente vá haver um caso contra ele. Nesses casos de violência doméstica, a não ser que a esposa faça a queixa oficial, o caso não vai para a frente”, afirma Larissa Salvador.

“Eventualmente, a Justiça americana pode mandar o processo para o Brasil, já que aqui é o país de residência dele. No caso, seria a Justiça Federal do estado em que ele reside [São Paulo] que seria a competente para julgamento da causa”, diz o advogado criminalista Daniel Bialski.

O casal tem duas filhas e passava férias em Orlando, nos Estados Unidos.

No São Paulo desde 2018, Jean nunca chegou a se firmar na posição de titular e fez 19 jogos (apenas um neste ano).

 

Leia Também:

Goleiro Jean, do São Paulo, é preso nos EUA acusado de agredir a mulher

‘Suas filhas vão passar fome’: frase de Jean é típica de relação abusiva

Related posts