Série clássica A Feiticeira vai ganhar remake com atriz negra no papel principal

A rede ABC deu sinal verdade para a produção de um remake da série clássica “A Feiticeira”. O detalhe é que a nova Samantha Stephens será uma mulher negra.

Por MARCEL PLASSE, do Pipoca Moderna

A Feiticeira /Divulgação

Desenvolvida por Kenya Barris, criador de “Black-ish”, a série vai girar em torno de uma família interracial, encabeçada por Samantha, uma mulher negra com poderes mágicos, que se casa com o mortal Darren e descobre que mesmo uma feiticeira não consegue ter mais privilégios do que um cara branco comum.

Na série original de 1964, Elizabeth Montgomery interpretava Samantha, que também se casava com Darren, e não resistia à tentação de usar a feitiçaria para resolver os problemas da família. O problema é que sua mãe também era uma bruxa poderosa, que desprezava o genro mortal. Tanta bruxaria sempre fazia uma vizinha enxerida desconfiar que aquela família não era normal. E para completar os problemas, o casal ainda teve uma filha, Tabitha, que não demora a revelar ter puxado a mãe.

Esta história já ganhou um remake de cinema, estrelado por Nicole Kidman em 2005, mas o retorno nas bilheterias não rendeu uma continuação.

O remake foi o último projeto que Kenya Barris desenvolveu na ABC, antes de fechar um contrato milionário de exclusividade com a Netflix. Ele divide a autoria da nova versão da sitcom clássica com Yamara Taylor, roteirista de vários episódios de “Black-ish”.

Não é a primeira vez que uma emissora tenta reviver “A Feiticeira”. A série, originalmente exibida entre 1964 e 1972, quase voltou 2011 (pela CBS) e em 2014 (pela ABC), mas nenhum dos dois projetos foi para frente.

Agora, porém, a produção se configura como o terceiro remake/reboot de série clássica de feiticeira, após “Charmed”, com estreia marcada para 14 de outubro na rede americana CW, e “O Mundo Sombrio de Sabrina”, que chega em 26 de outubro na Netflix.

Ainda não há data definida para a estreia da nova “A Feiticeira”.

 

+ sobre o tema

para lembrar

Un maire noir de Paris en 1879, effaçé des archives et de l’Hisoire

Severiano de Hérédia, Un maire noir de Paris Un Caribéen noir,...

Pesquisador encontra fotos raras de Machado de Assis

Claudio Soares fez descoberta durante processo de escrita do...

Na terra natal de Mandela, falar de morte é tabu

No povoado natal do herói e ex-presidente sul-africano Nelson...
spot_imgspot_img

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...
-+=