Sesc Vila Mariana promove debate sobre a representação do negro nas artes

Rosana Paulino e Salloma Salomão, discutem o tema em bate-papo gratuito, no dia 20 de janeiro

Por Ray Santos, do Jornal dia a dia 

O Sesc Vila Mariana promove, em janeiro, três bate-papos abordando questões sobre a cultura e as vivências dos afrodescendentes, sua história e heranças. No segundo evento da série, a artista plástica Rosana Paulino e o músico Salloma Salomão debatem o tema “A Representação do Negro nas Artes”, com mediação do historiador Allan da Rosa. O encontro acontece no dia 20, quarta-feira, às 19h, na Praça de Eventos da Unidade, gratuitamente. Os bate-papos fazem parte do projeto Raízes Diaspóricas, programação paralela à exposição Zumbi – A Guerra do Povo Negro, aberta à visitação na Unidade até 31 de janeiro.

O ciclo de bate-papos Raízes Diaspóricas apresenta-se ao público com temáticas que buscam revitalizar, repensar e discutir a tradição afrodescendente na sociedade e cultura contemporâneas, a fim de possibilitar ações e práticas concretas de intervenção. A ação aprofunda e intensifica as questões levantadas pela exposição Zumbi – A Guerra do Povo Negro, que tem curadoria do jornalista Audálio Dantas, com ilustrações de Fernando Vilela e fotografias de Tiago Santana.

O primeiro bate-papo acontece no dia 13, com Renato Araújo e Danilo Marques debatendo “Quilombos, História e Resistência” na Praça de Eventos da Unidade.

No dia 20 de janeiro, quarta-feira às 19h, o tema será “A Representação do Negro nas Artes”.  Para a conversa, foram convidados dois artistas negros que atuam em diferentes linguagens para debaterem a representação e o protagonismo negro nas artes: a artista visual Rosana Paulino e o músico Salloma Salomão.

Rosana Paulino é artista plástica e educadora, doutora em artes visuais pela ECA/USP. Na Inglaterra, aprimorou sua técnica em gravuras, no London Print Workshop – LPW. Possui obras nos acervos do MAM/SP, da Pinacoteca Municipal/Centro Cultural São Paulo e da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, em São José dos Campos. Paulino hoje é uma das artistas negras de referência no país e sua pesquisa problematiza questões étnico-raciais e de gênero. Salloma Salomão é doutor em História Social pela PUC São Paulo, pesquisador-educador, letrista, vocalista e flautista. Bolsista da CAPES na Universidade de Lisboa (2004) CNPq e SEPHIS. Pesquisador visitante do Instituto de Ciências Socais da Universidade de Lisboa, pesquisando culturas musicais africanas nos Brasil nos séculos XIX e XX.

A conversa terá mediação de Allan da Rosa, historiador, arte-educador e mestre em Cultura e Educação pela Universidade de São Paulo, autor de ensaios, livro de poesias e peças de teatro, além de produtor e apresentador do programa de rádio “À Beira da Palavra”, colunista da Revista Forum e colaborador do programa “Entrelinhas”, da TV Cultura, entre 2009 e 2012, apresentando quadros sobre literatura africana e afro-diaspórica. Fundador do selo Edições Toró, publicou vários autores do movimento de literatura periférica paulistana.

O ciclo Raízes Diaspóricas prossegue no dia 27, com Dennis de Oliveira e Eunice Aparecida de Jesus abordando o tema “População Negra: Cultura e Sociedade”.

Todos os bate-papos são abertos ao público interessado e acontecem de forma gratuita, na Praça de Eventos do Sesc Vila Mariana.

A exposição Zumbi – A Guerra do Povo Negro fica aberta à visitação de terça a domingo, até o dia 31 de janeiro.

Serviço:
Raízes Diaspóricas

A Representação do Negro nas Artes
Bate-papo com Rosana Paulino e Salloma Salomão | Mediação de Allan da Rosa
Dia 20 de janeiro, quarta-feira, às 19h
Local: Praça de Eventos (capacidade: 250 lugares)
Duração: 150 minutos
Grátis
Livre

Exposição

Zumbi – A Guerra do Povo Negro
Curadoria de Audálio Dantas | Ilustrações de Fernando Vilela e fotografias de Tiago Santana
Até 31 de janeiro, terça a sexta, das 10h às 21h30; sábados, das 10h às 20h30 e domingos, das 10h às 18h30.
Local: Hall dos elevadores (Térreo – Torre A) e Atrium (1º andar – Torre A)
Grátis
Livre

Central de Atendimento: Terça a sexta-feira, das 9h às 21h30; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h30.

Horário de funcionamento da unidade: Terça a sexta, das 7h às 21h30; sábado, das 9h às 21h; e domingo e feriado, das 9h às 18h30.

Central de Atendimento: Terça a sexta-feira, das 9h às 21h30; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h30.

Estacionamento: R$ 4,50 a primeira hora + R$ 1,50 a hora adicional (Credencial Plena: trabalhador no comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes). R$ 10 a primeira hora + R$ 2,50 a hora adicional (outros). 200 vagas.

Sesc Vila Mariana
Rua Pelotas, 141, São Paulo – SP
Informações: 5080-3000
sescsp.org.br
Facebook, Twitter e Instagram: /sescvilamariana

Assessoria de Imprensa Sesc Vila Mariana
Renato Perez de Castro
Katiusca Medeiros
(11) 5080-3011
[email protected].org.br

+ sobre o tema

Filosofia em contos para público infanto juvenil

14ª SALÃO FNLIJ DO LIVRO PARA CRIANÇAS E...

Viola Davis diz que advogados da Casa Branca amam sua personagem em série

"Eu acho que todo mundo iria querê-la como advogada....

Jaden Smith fala sobre filme que fará com diretor de O Sexto Sentido

Jaden Smith, o ator-mirim que, além de filho de...

para lembrar

Mulheres em movimento

O MOVIMENTO de mulheres do Brasil é um dos...

A festa é delas: 11 mulheres lindas e cacheadas mostram o que vestir nas festas

  Gabriella Nunes 18 anos, modelo Vestido, R$ 32.000, e botas, R$...

O Carnaval virou um grande comércio, diz Margareth Menezes

engajadas com o social e com a valorização da...
spot_imgspot_img

Mães e Pais de Santo criam rede de solidariedade para apoiar comunidades de matriz africana afetadas no Sul

Quando a situação das enchentes se agravou no Rio Grande do Sul, Ialorixás e Babalorixás da cidade de Alvorada, região metropolitana de Porto Alegre,...

Iza anuncia que terá uma menina e o nome será Nala

O primeiro bebê de Iza e Yuri Lima já teve o sexo revelado: será uma menina. A cantora contou a novidade aos fãs na noite desta segunda-feira (13),...

14 de maio e a Revolta dos Malês

Quem passa pelo Campo da Pólvora, em Salvador, nem imagina que aquela praça, onde ironicamente hoje se encontra o Fórum Ruy Barbosa, foi palco...
-+=