SescTV apresenta o especial ‘Ser Negro no Brasil o que é?’

Com o título Ser Negro no Brasil o que é? – inspirado no texto Ser Negro no Brasil Hoje, escrito pelo geógrafo e professor Milton Santos em maio de 2000, um ano antes de sua morte -, o SescTV exibe um ciclo de cinema temático, com o objetivo de discutir a presença do negro na dramaturgia e na literatura; a trajetória dos que são atores no cinema e na televisão brasileira; e a condição deles na sociedade. Para tanto, antecedendo cada exibição, especialistas analisam os temas dos filmes.

O ciclo começa em 20/11, Dia Nacional da Consciência Negra, e se estende até o dia 25/11, sempre às 23h, com exceção ao dia 25, que terá filmes às 20h e às 23h. A consultoria do ciclo é assinada por Noel dos Santos Carvalho, graduado em Ciências Sociais pela USP, mestre em Multimeios pela Unicamp, onde desenvolve pesquisa de pós doutoramento em cinema e identidade cultural, e doutorado em Sociologia pela USP.

Tendo o negro nos temas e nos elencos das produções, o ciclo é composto por cinco filmes inéditos e dois do acervo do canal. São inéditos: Macunaíma (1969), de Joaquim Pedro Andrade, exibido no dia 20/11, terça; A Negação do Brasil (2000), de Joel Zito Araújo, no dia 22/11, quinta; Quase Dois Irmãos (2004), de Lúcia Murat, no dia 23/11, sexta; Cafundó (2005), primeiro longa de Paulo Betti e Clóvis Bueno, no dia 24/11, sábado; e Em Quadro: A História de 4 Negros nas Telas (2009), de Luis Antônio Pilar, pela primeira vez na televisão, no dia 25/11, sábado, às 23h.

Os dois já apresentados pelo SescTV são: Compasso de Espera (1973), único filme dirigido por Antunes Filho, no dia 21/11, quarta, às 23h; e Encontro com Milton Santos ou “O Mundo Global Visto do Lado de Cá” (2006), de Silvio Tender, no dia 25/11, domingo, às 20h.

José Rufino dos Santos, historiador, professor, escritor e uma das referências quando o assunto é cultura africana no País, comenta sobre Macunaíma, produção que traz no roteiro um herói preguiçoso, sem caráter e safado, interpretado por Grande Otelo, e A Negação do Brasil, que expõe a história da telenovela no país, destacando a participação de atores negros e os papeis estereotipados e negativos que eles desempenham.

Sueli Carneiro, doutora em Educação pela Universidade de São Paulo – USP e diretora do Geledés – Instituto da Mulher Negra, fala sobre Em Quadro: A História de 4 Negros nas Telas, documentário que relata vida e obra dos atores Milton Gonçalves, Ruth de Souza, Zezé Motta e Lea Garcia.

Zózimo Bulbul, relevante cineasta, ator e roteirista, destaque nos anos 60 interpretando para o cinema e para a televisão, discute Compasso de Espera, no qual ele é o protagonista. O longa aborda o relacionamento de um negro de classe média com sua superior no trabalho, uma mulher branca e mais velha; e sua paixão por uma mulher branca e rica. Bulbul também analisa Cafundó, inspirado em história real de um ex-escravo do século XIX, que ao ganhar a liberdade fica fascinado em viver num mundo em transformação, porém acaba se frustrando. A tristeza o deixa mais próximo de Deus e o torna milagreiro.

Jefferson De, diretor cinematográfico e um dos criadores do movimento Dogma Feijoada, conversa sobre Quase Dois Irmãos, de Lúcia Murat. No enredo, a história de dois amigos de infância: um se tornou Senador da República e o outro, traficante. O Senador visita o traficante para lhe propor um projeto social nas favelas.

Dagoberto José Fonseca, antropólogo professor da Faculdade de Ciências e Letras de Araraquara – Unesp e supervisor do Nupe – Núcleo Negro da Unesp para Pesquisa e Extensão, faz considerações sobre Encontro com Milton Santos ou O Mundo Global Visto do Lado de Cá, de Silvio Tender. Guiado por uma entrevista com esse geógrafo e professor, o filme avalia os problemas da globalização e a possibilidade de um novo mundo.

 

Fonte: VC faz 

+ sobre o tema

Coletivo Luiza Bairros: conheça grupo que atua no combate ao racismo institucional na UFBA

A principal estratégia utilizada é na exigência do cumprimento...

Após reivindicação do movimento negro, sítio arqueológico no centro do Rio será preservado

Diferente das ossadas humanas descobertas durante escavações próximas à...

Agenda única de eventos em novembro celebra a consciência negra na UFMG

Iniciativa, que une comunidade e gestão, integra formação, informação...

A roupa que habito: Vestimentas e adereços reforçam identidade de pessoas negras a partir da estética africana

Indumentárias são usadas como símbolos políticos de resistência. Por Itana Alencar,...

para lembrar

‘Vozes pela Igualdade’ começa nesta segunda

Questões de raça e etnia são temas da programação...

Em 6 meses, governo identificou 407 mil famílias na extrema pobreza

Após seis meses da criação do programa Brasil Sem...

Imagens e textos reforçam direito à liberdade religiosa no Brasil

Por: Alana Gandra     Rio de Janeiro - A Comissão de...
spot_imgspot_img

Câmara aprova projeto que torna Dia da Consciência Negra feriado nacional; texto vai à sanção

Por 286 votos a favor e 121 contrários, a Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (29) um projeto de lei que declara o dia 20 de...

Profissionais negros reinventam suas carreiras na TV e avaliam a importância da discussão racial

No Dia da Consciência Negra, o gshow conversou com artistas que compartilham a jornada que é ser um profissional preto na teledramaturgia. Entre eles, atores, atrizes e...

“Quanto mais diversos formos, melhores seremos”

Uma das mais destacadas intelectuais em atividade no país, a historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz, docente da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas...
-+=