Sessão que discutiu violência contra as mulheres negras, foi extremamente proveitosa

Através do requerimento apresentado pela vereadora professora Carmelita, a Câmara de Vereadores de Ilhéus discutiu a “Encruzilhada de Direitos: gênero, raça e enfrentamento à violência contra mulheres negras na Bahia”, com a presença de diversos representantes da sociedade civil organizada e membros da comunidade negra.

Fonte: Professora Carmelita.blogspot-

No início da Sessão Especial da tarde da última terça-feira (27), a vereadora Carmelita expôs aos participantes da sessão dados e números sobre a violência contra a mulher.

Entre os convidados, a Socióloga Elis, professora da UESC, comentou sobre a violência institucional, não assumida, mas praticada, segundo ela “temos que discutir nossas diferenças, garantindo direitos iguais às mulheres e às mulheres negras”. Já a professora Rita de Souza, Presidente do Movimento negro disse que muito do que vemos hoje ainda é fruto da ideologia da escravidão e da cultura patriarcal onde o que o homem diz é lei. Segundo a professora Rita, “é preciso educar os homens para respeitar as mulheres”.

Dona Zezé, presidente do Clube da Melhor Idade, solicitou a criação de políticas públicas que tomem conta e resolva o problema. Por sua vez o Major Adriano, comentou sobre a falta de respeito até mesmo com policiais femininas.

Enilda Mendonça, presidente da APPI e Paula Regina Presidente do Conselho Municipal da Mulher comentaram sobre o mercado de trabalho. Paula falou da ausência de políticas que protejam a mulher negra, da baixa representatividade política e do ceticismo quando se fala da discriminação a estas. Enilda comentou o fato de que 86% dos professores da rede são mulheres mas que recebem salários ainda muito baixos. Segundo ela a discriminação salarial também advém também do fato de esta profissão ser formada basicamente por pessoas de casses mais baixas.

A vereadora professora Carmelita anunciou ser esta sessão a primeira de uma série de atividades que irão combater a violência contra a mulher negra. Entre as próximas atividades está previsto um seminário ainda este ano sobre o tema “Violência contra a mulher negra”.
Outro ponto importante da sessão é que a partir dela, a população de deficientes auditivos pode acompanhar em tempo real a tradução em libras da sessão. Desde a tarde de terça-feira, a Câmara de Ilhéus saiu à frente em seu trabalho de inclusão social.

 

Matéria original

 

+ sobre o tema

A difícil vida de uma menina deusa no Nepal

Samita Bajracharya é uma menina de 12 anos que...

Maria Montessori: médica italiana fascinada pela educação

Das aulas de pedagogia do curso normal, antigo curso...

Projeto ‘Raiz Forte’ lança site sobre mulheres negras e suas vivências

O Raiz Forte nasceu em 2012, com um projeto...

Manifesto das ex- Presidentas e ex- Ministras dos organismos de políticas para mulheres

Ao longo da ditadura militar nós mulheres lutamos pela...

para lembrar

Homem espanca mulher em bar no Rio e justifica: “não é hora de estar na rua”

Jovem levou um soco na cabeça, foi atirada violentamente...

“Se você gostar de mulher, eu te mato”

Adolescentes que sofrem preconceito em casa e na escola...

Ministra reivindica votação de projeto de lei que iguala mulheres e homens no mercado

Iriny Lopes, da Secretaria de Políticas para as Mulheres...

Medo

Eles, os terroristas, estão nos vencendo! Por Sueli Carneiro O crescimento...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=