SETA – Caminhos Possíveis: série inédita aborda a importância da educação antirracista no Brasil

Produção do Projeto SETA reúne depoimentos das populações indígenas, quilombolas e negras. Lançamento ocorre dia 09 de março no Youtube do Canal Futura

Será lançada na próxima quarta-feira, 09 de março, às 17h00, na página do youtube do Canal Futura, a série Seta – Caminhos Possíveis. Realizada pelo projeto Seta (Sistema de Educação por uma Transformação Antirracista), em parceria com a Fundação Roberto Marinho e o Canal Futura, a produção audiovisual conta com quatro episódios sobre a importância da educação antirracista no Brasil a partir das perspectivas indígena, quilombola, periférica e uma análise de especialistas sobre o tema no Brasil. Os episódios estarão disponíveis no Globoplay e no Canal Futura a partir de abril.

O evento de lançamento online ocorre no âmbito do Dia pela Eliminação da Discriminação Racial e contará com as participações de: Alexsandro Santos, Doutor em Educação, Andressa Pellanda, coordenadora da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Suelaine Carneiro, coordenadora do Programa de Educação do Geledés – Instituto da Mulher Negra e Naomy de Oliveira Ramos, Gestora do Centro de Desenvolvimento dos profissionais da Educação do Rio Grande do Sul. A mediação fica por conta da jornalista Louise Freire.

A proposta da série audiovisual que foi gravada na Favela da Maré, no Rio de Janeiro, no Quilombo Rio dos Macacos, na Bahia e no Parque das Tribos, em Manaus, é provocar reflexões, compartilhar histórias e fomentar a relevância da pauta para o desenvolvimento do país. Ao longo dos episódios, os espectadores também serão convidados a questionar a história que aprenderam na escola, com base em novas perspectivas que não são contempladas na educação formal.

O Projeto Seta é uma aliança inovadora, com sete organizações da sociedade civil nacional e internacional: ActionAid, Ação Educativa,  Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Coordenação Nacional de Articulação de Comunidades Negras Rurais Quilombolas (CONAQ), Geledés – Instituto da Mulher Negra, Makira-E’ta e a Uneafro Brasil. O Seta ainda é um dos finalistas da ação global da Fundação Kellogg para promoção da equidade racial (Racial Equity 2030).

+ sobre o tema

Professores indígenas ocupam Secretaria de Educação da Bahia

  Um grupo de 60 professores, alunos e pais indígenas...

Antonio Candido indica 10 livros para conhecer o Brasil

  Quando nos pedem para indicar um número muito limitado...

Resultado da segunda chamada do ProUni sai nesta segunda-feira

Brasília – Os estudantes que se inscreveram no Programa...

Em São Paulo, 46% dos alunos admitem ter passado de ano sem aprender a matéria

Camila Maciel - Repórter da Agência Brasil Quase metade (46%)...

para lembrar

Alicia Keys está sem maquiagem, linda e poderosa em QUATRO capas da ELLE Brasil

Alicia Keys está deslumbrante na capa de setembro da...

Diretora de “Daughters of the Dust”, Julie Dash vai dirigir filme sobre Rosa Parks

Símbolo do movimento dos direitos civis dos negros nos...

Lacração, empoderamento e luta: conheça a geração tombamento

Na estética, lacração total. Cabelos coloridos, roupas chamativas, maquiagem...

Yzalú mistura dance hall e ragga music em seu novo single, “ESTAMIRA”.

Após o lançamento do primoroso álbum “Minha Bossa é...
spot_imgspot_img

Quem é Linda Martell, citada em “Cowboy Carter”, novo álbum de Beyoncé?

O esperado novo álbum de Beyoncé contém uma música que leva o nome de uma mulher que parece ter sido a inspiração para o projeto. “Act...

Militares viram no movimento negro afronta à ideologia racial da ditadura

Documento confidencial, 20 de setembro de 1978. O assunto no cabeçalho: "Núcleo Negro Socialista - Atividades de Carlos Alberto de Medeiros." A tal organização,...

Encontro anual do SETA definiu ações e estratégias para uma educação antirracistae emancipatória.

Geledés - Instituto da Mulher Negra participou do planejamento anual Projeto SETA  (Sistema de Educação Por Uma Transformação Antirracista) em Paraty, Rio de Janeiro....
-+=