Skol suspende apoio a festival de pagode após ser acusada de ‘patrocinar estupro’

Após o anúncio nesta quinta-feira (4) de que a banda New Hit, cujos integrantes foram presos sob acusação de estupro, voltará a fazer shows ainda este mês no Festival de Pagode Salvador, começou a circular nas redes sociais uma campanha contra o grupo e contra o patrocinador do evento, a Skol, que suspendeu o apoio após a repercussão do caso.

Um banner de divulgação da banda no Festival foi alterado digitalmente pedindo que a Skol retirasse o patrocínio. “Estupro desce quadrado. Quem patrocina estuprador patrocina o estupro”, diz o anúncio postado no Facebook, que completa: “Campanha para a Skol tomar vergonha na cara e retirar o patrocínio da banda New Hit”.

Após a repercussão do caso, a assessoria de imprensa da Ambev, detentora da marca, divulgou um comunicado suspendendo o patrocínio: “Sempre antenada em estar próxima de seu público, a Skol é parceira de diferentes eventos com objetivo de oferecer aos fãs da marca ocasiões que proporcionam diversão e alegria. Em relação ao ‘Festival de Pagode Salvador’, produzido pela ‘Salvador Produções’, a marca comunica que, em respeito aos seus consumidores, está suspendendo o patrocínio até que a questão envolvendo uma das atrações seja esclarecida”.

Acusação de estupro

Os nove integrantes do grupo ficaram presos por 38 dias acusados de estuprar duas adolescentes de 16 anos que entraram no ônibus da banda após pedir autógrafos. O caso aconteceu na cidade de Ruy Barbosa (a 308 quilômetros de Salvador), no último dia 26 de agosto. Como não têm antecedentes criminais e possuem residência fixa, os músicos foram libertados na última quarta-feira (3) e vão responder ao processo em liberdade.

Nesta quinta-feira (4), o vocalista do New Hit, Eduardo Martins, disse ao UOL que a banda continuará trabalhando. “Esse momento está sendo difícil. Todos os músicos estão reencontrando suas famílias. O que eu sei é que a banda vai continuar com força total para retribuir o carinho que as fãs nos deram nesse momento tão difícil”, afirmou o vocalista conhecido por Dudu.

Em relação às acusações e os resultados dos laudos do Departamento de Polícia Técnica que apontam que houve violência sexual e foi encontrado sêmen em grande quantidade, o vocalista repetiu que a banda “é inocente”. “[Sobre os laudos] não posso responder nada. A justiça divina não falha. Jesus já nos concedeu a liberdade para mostrar o outro lado da moeda. Agora vão ouvir a verdade. Houve relação sexual. A gente nunca negou”, destacou o cantor.

O show de retorno acontecerá no dia 21 de outubro, na Bahia, durante o Festival de Pagode Salvador.

Leia mais sobre o assunto:

New Hit: ‘Achamos revoltante eles saírem da cadeia’, diz irmã de vítima de pagodeiros

Internautas propõem boicote à Skol por conta de patrocínio a show da New Hit

Fonte: Bol

+ sobre o tema

Polícia indicia 14 em inquérito sobre morte de mulher durante tentativa de aborto

Dez pessoas foram indiciadas pelos crimes de aborto, homicídio...

Feministas indicam desafios para avanço das políticas para as mulheres

Em reunião com a ministra da Secretaria de Políticas...

Indianos criam super-heroína dos quadrinhos que foi vítima de estupro

por Geeta Pandey no BBC Um novo livro de quadrinhos que...

Graciliana Selestino Wakanã: ‘O que a gente quer é viver bem’

Graciliana Selestino Wakanã, do povo Xucuru Kariri, fala sobre...

para lembrar

spot_imgspot_img

Coisa de mulherzinha

Uma sensação crescente de indignação sobre o significado de ser mulher num país como o nosso tomou conta de mim ao longo de março. No chamado "mês...

Robinho chega à penitenciária de Tremembé (SP) para cumprir pena de 9 anos de prisão por estupro

Robson de Souza, o Robinho, foi transferido para a Penitenciária 2 de Tremembé, no interior de São Paulo, na madrugada desta sexta-feira (22). O ex-jogador foi...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...
-+=