SP será sede do Encontro Internacional da Marcha Mundial de Mulheres

Evento acontece pela primeira vez no Brasil, e tem como tema “Feminismo em marcha para mudar o mundo”. Encontro conta com a participação de feministas como Helena Hirata, da França, e Nalu Faria, do Brasil.

Com uma programação que conta com debates, oficinas, e atividades culturais, o Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres acontece em São Paulo do dia 25 a 31 de agosto. O evento é sediado pela primeira vez no Brasil, e tem como tema “Feminismo em marcha para mudar o mundo”.

Para a semana de atividades são esperadas 1,6 mil mulheres. Durante o encontro serão debatidos assuntos como o combate ao machismo, ao racismo e à lesbofobia, além da autonomia sobre o corpo e auto-organização das mulheres.

No encontro também estão previstas atividades de intercâmbio e formação política cultural, com a participação de feministas de vários países: Guatemala, Afeganistão, Austrália, Tunísia, Estados Unidos, entre outros. Entre elas estão Nalu Faria, do Brasil, e Helena Hirata, da França.

Na Galeria Olido, que fica no centro da capital paulista, terá uma exposição fotográfica que pretende resgatar a história da Marcha Mundial das Mulheres. No último dia do encontro – 31 de agosto – as mulheres realizarão também um grande ato na cidade.

As interessadas em participar do encontro já podem se inscrever. Para isso, devem procurar os comitês organizados da Marcha Mundial das Mulheres em cada estado ou entrar em contato através do e-mail [email protected].

Fonte: Radioagência NP

+ sobre o tema

A reeleição de Dilma e a desigualdade de gênero

Pouco após reelegermos Dilma Rousseff presidente do Brasil, foi...

Marcha Trans ocupa ruas centrais de São Paulo e pede mais visibilidade

Nesta sexta-feira (9), o Largo do Arouche, no centro...

Agência de turismo faz promoção para estimular sexo e gravidez na Dinamarca

Uma agência de turismo na Dinamarca está fazendo uma...

O partido feminista de Márcia Tiburi

A filósofa Márcia Tiburi é foda. Simplesmente porque ela...

para lembrar

Negra, branca ou não branca?

Desde de criança acreditei ser branca, mesmo não possuindo...

Discriminação é comum, porém velada, dizem negras desempregadas

Para atendente, oportunidades de emprego são maiores para os...
spot_imgspot_img

CNJ pede explicações a juízas sobre decisões que negaram aborto legal

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu nesta sexta-feira (12) intimar duas magistradas do Tribunal de Justiça de Goiás (TJGO) a prestarem esclarecimentos sobre...

Instituto Mãe Hilda anuncia o lançamento do livro sobre a vida de matriarca do Ilê Aiyê

O livro sobre a vida da Ialorixá Hilda Jitolu, matriarca do primeiro bloco afro do Brasil, o Ilê Aiyê, e fundadora do terreiro Acé...

Centenário de Tia Tita é marcado pela ancestralidade e louvado no quilombo

Tenho certeza que muitos aqui não conhecem dona Maria Gregória Ventura, também conhecida por Tia Tita. Não culpo ninguém por isso. Tia Tita é...
-+=