Tag: Angela Davis

Foto: Paul Morigi via Getty Images

Sistema policial perpetua racismo, avaliam ativistas

Em evento realizado em Brasília, professora e filósofa estadunidense Angela Davis compara que situações são semelhantes nos dois países. "Como no Brasil, nos Estados Unidos a raça importa quando é para determinar quem vai para a prisão e quem vai para a universidade". Escritora mineira Ana Maria Gonçalves avalia que “é preciso haver uma mudança em todas as instituições racistas” "Mesmo que o Brasil tenha sido proclamado uma democracia racial, há problemas sérios (de racismo), que são relacionados à economia, à sociedade e à política". A opinião é da ativista, professora e filósofa estadunidense Angela Davis, que participa do Festival Latinidades 2014: Griôs da Diáspora Negra, que vai até o próximo dia 28, em Brasília, como mostra matéria da Agência Brasil. Para ela, o mesmo fenômeno acontece nos Estados Unidos. "O tipo de racismo que se tem depois (da conquista de direitos civis) é mais difícil de combater que antes". Ela cita ...

Leia mais
Reprodução/Instagram

A beleza de Lupita Nyong’o e as bananas do Neymar: deslizamentos ou deslocamentos discursivos em torno do racismo?

“Nenhuma raça possui o monopólio da beleza, da inteligência, da força”. Aimé Césaire A irrupção dos fatos por Rosane da Silva Borges Reprodução/Instagram Decididamente, as notícias sobre o racismo no Brasil e no mundo vêm inflacionando o menu temático que orienta a cobertura da imprensa e os posts das redes sociais. Desde a infausta notícia da venda de crianças negras no Mercado Livre, em janeiro, uma mostra expressiva do racismo não para de nos interpelar. Enumeremos brevemente parte dela: jovens negros agrilhoados a postes, sistemáticas ofensas racistas nos estádios de futebol, o trágico assassinato de Cláudia da Silva Ferreira e do dançarino do programa “Esquenta”, Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG. O espraiamento desses fatos vem impressionando de tal modo, que há quem enxergue na reiteração um forte indicativo de que o racismo vem se agudizando no tecido social brasileiro. Nesse curso de “achacáveis” notícias, fomos ...

Leia mais
Foto: Paul Morigi via Getty Images

No rastro da pantera: a democracia da abolição e o black feminism de Angela Davis

Em 2012, durante o Fórum Internacional 20 de Novembro realizado na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), tive a oportunidade de ouvir uma palestra de Angela Yvonne Davis. Estava diante da professora universitária e ativista política que integrou a lista das dez pessoas mais procuradas pela Agência Federal de Investigação dos Estados Unidos (FBI), considerada inimiga do Estado sob falsas acusações. Feminista, socialista e militante contra a discriminação racial, integrou o Partido Pantera Negra para Autodefesa (Black Panther Party for Self-Defense) fundado em 1966 e derrocado nos anos 1980 após anos de repressão da polícia estadunidense. A partir de sua experiência como prisioneira política, Davis dedica-se à luta antiprisional e chama atenção para o caráter racial da expansão do complexo carcerário nos EUA. Para ela, há uma conexão entre as políticas de controle populacional e as políticas de aprisionamento. por Marjorie Chaves, Como no Brasil, a população carcerária naquele país ...

Leia mais
Foto: Paul Morigi via Getty Images

Preta, comunista, libertária e lésbica: É muita ousadia de Angela Davis

No artigo, que acabo de receber de minha amiga Shirley Souza, sobre Angela Davis,  com o título “Onde foi parar Angela Davis, a pantera negra mais famosa da história? Caçada pelo FBI, mas amada pelos Beatles e Rolling Stones nos anos 70, a pantera negra Angela Davis não renega o passado conturbado nem deixa de lado velhos hábitos combativos,  em suas posições nos anos 70 e 80 podemos ver muitas das perguntas que temos hoje sobre movimentos sociais, movimentos libertários, revoluções e ideologias, e todas as camisas de forças que já existiam nos 70. por Marcos Romão, Como se dizia em 70 “sapatão e comunista libertária” era abuso demais. Quem já a curtia por “dentro” assim como curtia a Escola de Frankfurt que Angela influenciou ao contrário de “aprender”, morria de rir dos “machos revolucionários” que a achavam um enigma financiada por Moscou. Angela foi uma das minhas musas políticas, ...

Leia mais

Os privilégios de ser uma mulher branca

Foto: Ana Clara Marques Nestes dois anos de muita pesquisa, nunca tivemos tanta dificuldade em achar artigos que fundamentassem nossos textos. Não pela ausência de material sobre a condição da mulher negra, mas pela inexistência de textos representativos capazes de sentenciar os privilégios sociais de ser uma mulher branca. Toda via, a partir das sementes plantadas por Lélia Gonzalez, Sueli Carneiro, Ângela Davis e Eldridge Claever, e muitas outras, além de uma entrevista da escritora CONCEIÇÃO EVARISTO, nós Maçãs Podres conseguirmos construir uma dialética que nos forneceu as primeiras respostas sobre este tema ainda tão pouco explorado dentro do feminismo. no Maçã Podre Foto: Rafael Arbex/FolhaPress "Ser uma mulher negra não é simplesmente ser uma mulher" Muito lúcida, a escritora CONCEIÇÃO EVARISTO explica que há diferentes implicações feministas entre ser mulher negra e ser simplesmente uma mulher: “É muito diferente (ser mulher negra e simplesmente mulher). ...

Leia mais
Página 3 de 3 1 2 3

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist