quinta-feira, setembro 24, 2020

    Tag: Christiane Taubira

    FOTO: CHRISTIAN HARTMANN/REUTERS - 27.01.2015

    Quem é a ministra que renunciou em protesto contra a lei antiterror da França

    Líder negra, anticolonialista, independentista e feminista deixa o Ministério da Justiça e abandona Hollande para se manter fiel a uma trajetória de 40 anos de ativismo Por João Paulo Charleaux, do Nexo Jornal  Ao renunciar nesta quarta-feira (27) ao cargo de ministra da Justiça da França, Christiane Taubira se manteve fiel a uma trajetória de 40 anos em defesa de causas minoritárias e, muitas vezes, impopulares. A ministra deixou um dos postos mais importantes da França por princípio. Taubira discorda da proposta governista de cassar a cidadania francesa de terroristas que possuam dupla nacionalidade. A decisão não surpreende os que conhecem a trajetória da ministra, que lutou contra o colonialismo francês, viveu na clandestinidade, defendeu a união homoafetiva e o direito dos negros. A ministra, que já foi retratada como uma macaca pelo jornal satírico francês “Charlie Hebdo”, abriu mão da pasta da Justiça por considerar injustas as medidas antiterror do ...

    Leia mais
    blank

    Diretor de jornal francês é condenado a prisão por racismo contra Christiane Taubira

    O diretor do jornal de extrema-direita Minute foi condenado a dois meses de prisão com direito a fiança, além de uma multa de 10 mil euros, pela publicação de uma capa comparando a ministra da Justiça, Christiane Taubira, que é negra, a um macaco. Em primeira instância, o Tribunal de Paris havia determinado apenas que Jean-Marie Molitor pagasse a multa, mas a promotoria achou a pena leve demais e entrou com recurso. entenda o caso: Revista francesa é multada por racismo no RFI Em sua edição de 13 de novembro de 2013, o jornal publicou uma foto da ministra, com o título: "Maldosa como uma macaca, Taubira reencontra a banana". O tribunal julgou também um cartunista do jornal, David Miège, que assina uma charge publicada na mesma época. Nela, um macaco chora e um advogado, a seu lado, declara: "Meu cliente entra com uma ação por ter sido odiosamente caricaturado como ...

    Leia mais
    Revista francesa é multada por racismo

    Revista francesa é multada por racismo

    Da AFP Publicação comparou a ministra da Justiça a um macaco A revista semanal francesa de extrema direita "Minute" foi condenada a pagar uma multa de 10 mil euros por comparar a ministra da Justiça, Christiane Taubira, nascida na Guiana Francesa, a um macaco. Na capa de sua edição de 13 de novembro de 2013, o periódico publicou uma foto da ministra com a seguinte manchete: "Esperta como um macaco, Taubira acha a banana" (em tradução livre do francês). A Procuradoria pediu, além do dinheiro, três meses de prisão. Pouco antes dessa publicação, Christiane Taubira havia sido alvo de afirmações racistas nesse mesmo estilo, por parte de uma garota em uma manifestação de pessoas contrárias ao casamento homossexual - uma reforma apoiada pela ministra da Justiça. Também foi agredida por uma ex-candidata da Frente Nacional, de extrema direita, às eleições municipais. Esta última foi condenada a nove meses de prisão ...

    Leia mais
    Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

    A ministra Luiza Bairros é chamada de anta: o tratamento dispensado à face negra e feminina da política

    Jornal Metro, 17/1, coluna de Cláudio Humberto. Edição de Brasília, página 04. Imagem: Priscilla Brito. Cécile Kyenge, Christiane Taubira e agora Luiza Bairros. Ministras de estado atacadas em sua humanidade pela comunhão estreita entre o racismo, o sexismo e a sensação de impunidade. Mulheres que se recusaram a permanecer no lugar que lhes é destinado pela branquitude abjeta que, atônita, reage por meio de xingamentos. A primeira e a segunda foram chamadas de macacas. Por aqui o xingamento foi outro, dessa vez somos comparadas a uma anta porque a ministra expressou a opinião de que os jovens do rolezinho também são vítimas de racismo. O sujeito da agressão é Cláudio Humberto, colunista do Jornal Metro, que se sentiu confortável o bastante para chamar uma ministra de estado de anta ao mesmo tempo que defende a tese de que não existiriam brancos no país. O que está subjacente a essa mensagem ...

    Leia mais
    Uma faixa contra o racismo durante um protesto em Paris, França, no ano de 2013 (Foto: Reuters)

    Harlem Désir Manifestação contra o racismo em França

    O racismo está a tornar-se descomplexado na França. Para alertar contra este perigo, alguns milhares de manifestantes saíram às ruas de várias cidades. Mas a mobilização foi menor do que a esperada. Em , os organizadores da marcha falam em 25 mil participantes, enquanto a polícia afirma que eram apenas quatro milhares. O primeiro-secretário do partido socialista e fundador da ONG SOS Racismo, Harlem Désir: “há uma palavra racista descomplexada que se está a espalhar e que se tornou banal nas últimas semanas. Ouvimos coisas que não podemos tolelar. Vimos manchetes em jornais de extrema-direita que comparam a ministra da Justiça a um macaco, vimos crianças manipuladas a lançarem-lhe bananas.” A ministra francesa da Justiça, Christiane Taubira, é natural da Guiana. Os insultos de que foi alvo suscitaram uma reação indignada mas que muitos consideram insuficiente. Há trinta anos, a 3 de dezembro de 1983, cerca de 10 mil pessoas participaram em Paris na Marcha pela Igualdade e Contra ...

    Leia mais
    (FOTO: CHRISTIAN HARTMANN/REUTERS - 27.01.2015)

    Christiane Taubira

    Christiane Taubira, nascida em 2 de fevereiro de 1952 em Cayenne, Guiana, é uma política francesa. É presidente do Walwari (« leque », em língua indígena) e membro do Partido Radical de Esquerda. Christiane Taubira vem de uma família modesta. Sua mãe, que cuidava de idosos, criou sozinha seis filhos. Após seus estudos no Liceu Félix Eboué, em Canyenne, Christiane Taubira prosseguiu seus estudos na França, onde tornou-se economista (primeiro, segundo e terceiro ciclo de Ciências Econômicas em Paris II - Assas e Panthéon). Obteve igualmente diplomas em sociologia e etnologia afro-americana (Sorbonne e Jussieu) e em agro-alimentação (terceiro ciclo do Centro Francês da Cooperação Agrícola Paris e Bordeaux) (Foto: Joël Saget, AFP) Regressando à Guiana, desempenhou as seguintes funções: • Professora de Ciências Econômicas • Diretora do CNAM (Guiana) • Diretora Geral do Caricoop (Cooperação Agrícola Antilhas-Guiana), do Atpag (Serviços Ténicos da Pesca Marítima) e ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist