Tag: Eliane Cavalleiro

    blank

    O desenvolvimento do racismo na infância – por Gabriela Pires

    Como adulta sempre tive uma relação um tanto estranha com crianças. Certamente eu nutro certa afeição por elas, amo as crianças que fazem parte da minha vida. Mas quando preciso me socializar com elas eu entro num estado meio catatônico. Não sei lidar, não sei conversar, fico meio apavorada. Pode parecer uma situação um pouco engraçada inicialmente, um sentimento de uma pessoa sem experiência com crianças. Há os que dirão “é porque você ainda não tem seus próprios filhos” (sinto dizer, mas parir não é a minha praia), mas penso que essa relação um pouco turbulenta com elas pode ter uma origem um pouco mais complicada. por Gabriela Pires, das Blogueiras Negras Imagem: Eduardo Cunha, de 8 anos, de São Paulo. Desde muito cedo as crianças sofrem influências do meio em que vivem e invariavelmente as reproduzem. Isso significa que se estiverem crescendo em um ambiente em ...

    Leia mais
    blank

    Cala boca, Danny Glover

    Danny Glover, 66, astro de "Máquina Mortífera" e "Ensaio sobre a Cegueira", está "in love" com o Brasil, onde esteve na semana passada a convite da United Auto Workers (UAW), entidade sindical em campanha contra a montadora Nissan. O astro foi homenageado com um jantar, no sábado, em SP, oferecido pelos empresários Wilson e Tatiana Quintela, com políticos e sindicalistas. O ator elogiou o menu: farofa de banana-da-terra e robalo ao molho de capim-santo. E declarou seu amor à brasileira Eliane Cavalleiro, 46. Eles se conheceram no Fórum Social Mundial, em Porto Alegre, há dez anos. Casaram-se em 2009. Folha - Como começou? Danny Glover - Fui convidado pelo Geledés para uma palestra. Eliane era a coordenadora. Fomos nos conhecendo e percebi: ela é meu futuro. Meu pai tomou uma grande decisão ao se casar com minha mãe. Fiz o mesmo ao me casar com Eliane. Tenho ...

    Leia mais
    eliana

    O que é que você tem com isso? por Eliane Cavalleiro

    O que o jogador do Milan e seus filhos têm em comum? Infelizmente não é o salário no final do mês. Mas estão sujeitos á vivenciarem a experiência racista que tanto incomoda, fere, perturba, desumaniza e compromete o nosso desempenho devido ao forte stress que o racismo provoca no corpo físico e no estado emocional. O meia ganês do Milan, Kevin Prince Boateng, irritado com os insultos racistas dos torcedores deixou o campo no meio da partida. Num ato de solidariedade, pois inconformados com os racistas presentes no estádio, sua equipe também abandonou a partida. Você já parou para pensar como se sente seu filho ou filha (ou qualquer outra criança) quando vivenciam situações semelhantes á essas no cotidiano escolar? Na escola de seus filhos já houve semelhante ação coletiva por parte dos profissionais da educação? Você nota a mesma solidariedade e indignação sobre a incidência do racismo e da ...

    Leia mais
    nao-somos-racistas-300x225

    Ana Maria Gonçalves: A mídia, as cotas e o sempre bom e necessário exercício da dúvida

    Fonte http://www.interney.net/blogs/lll Tenho escrito alguns artigos sobre racismo e, em todos, invariavelmente, apareceu quem tentava fugir do assunto para falar sobre cotas. São assuntos relacionados, eu sei, mas também complexos por si só. Cotas não seriam necessárias se não houvesse racismo. Mas estão aí, os dois, e talvez agora, depois da histórica decisão do Supremo Tribunal Federal, nos dias 25/04/2012 e 26/04/2012, reafirmando a constitucionalidade das cotas, possamos começar a conversar de verdade sobre eles. Porque talvez a velha mídia pare de fazer a campanha suja que vem fazendo e nos deixe, finalmente, tratar desses assuntos e das vidas das pessoas por eles modificadas (brancos, negros, cotistas, não-cotistas etc…) com a honestidade e o respeito que todos merecem. É agora que começa o trabalho, e é bom que a gente tente separar, principalmente, o que é fato do que foi campanha, o que é verdade histórica do que foi mero exercício de futurologia. Será ...

    Leia mais
    Foto: Marcus Steinmayer

    10 mulheres negras ativistas de destaque no Brasil

    Sabemos que existem muitas mulheres negras brasileiras que contribuem para uma sociedade mais democrática, mais justa e igualitária. Aqui fiz uma lista das 10 mulheres negras que conheço e acredito que são ativistas de destaque no Brasil. Elas fundaram organizações, ou estão à frente de organizações e são mulheres incansáveis, verdadeiras guerreiras, as quais faço referência nesta lista: Foto: Marcus Steinmayer Sueli Carneiro  "Uma das maiores intelectuais do Brasil contemporâneo". Sueli Carneiro, uma das ativistas mais importantes do movimento negro brasileiro e uma das fundadoras do Geledés - Instituto da Mulher Negra, primeira organização negra e feminista independente, que defende os direitos das mulheres negras no Brasil e desenvolve propostas de políticas públicas que promovam a eqüidade de gênero e raça. A empreendedora Sueli Carneiro é feminista e intelectual. Doutora em educação pela USP tem destacado papel na ação política do Movimento Negro onde é reconhecida ...

    Leia mais
    eliana

    Dia da Consciência Negra: Por um Estado que proteja as crianças negras do apedrejamento moral no cotidiano escolar

    Brasil, 20 de novembro Dia da Consciência Negra Por um Estado que proteja as crianças negras do apedrejamento moral no cotidiano escolar Excelentíssimo Presidente da República Federativa do Brasil, Sr. Luís Inácio Lula da Silva, Em um ato político e humano, vossa excelência ofertou asilo a Sakneh Mohammadi Ashtiani como forma de preservar-lhe a vida, visto que a mesma corre risco de ser apedrejada até a morte física em seu país, o Irã. Se me permite a analogia, pelo exemplo que vossa senhoria encarna para a Nação, creio que seria, além de político e humano, um gesto emblemático e valoroso se  vossa senhoria manifestasse sua preocupação e garantisse “proteção” às crianças negras inseridas no sistema de ensino brasileiro, zelando por sua sobrevivência moral e sucesso em sua trajetória educacional. Como vossa senhoria já afirmou: “Nada justifica o Estado tirar a vida de alguém”, e, no caso do Brasil, nada justifica ...

    Leia mais
    Foto:Reprodução/Facebook

    Brasil 2011: Estado festejará Ano Internacional dos Afrodescendentes distribuindo livro racista nas escolas

    Por: Eliane Cavalleiro   A sociedade competitiva e os preconceitos geram uma violência que deve ser combatida pela escola. Ensinar a viver juntos é fundamental, conhecendo antes a si mesmo para depois conhecer e respeitar o outro na sua diversidade. A melhor maneira de resolver os conflitos é proporcionar formas de buscar projetos e objetivos em comum, através da cooperação, pois assim ao invés de confrontar forças opostas, soma-se a diversidade para fortalecer as construções coletivas (Jacques Delors, UNESCO, MEC, Cortez Editora, São Paulo, 1999). De acordo com Delors, a transmissão de conhecimento sobre a diversidade humana, bem como a tomada de consciência das semelhanças e da interdependência entre todos os seres humanos do planeta constituem fundamentos da educação. Entretanto, às vésperas do Ano Internacional dos Afrodescendentes, o Ministério da Educação do Brasil rejeita consideração do Conselho Nacional de Educação, que atento às Leis que regem a Educação Nacional, pondera sobre ...

    Leia mais
    RICHARD HUTCHINGS / Getty Images

    Cultura Negra na sala de aula: pode um cantinho de Africanidade elevar a auto estima de crianças negras e melhorar o relacionamento entre crianças negras e brancas?

    Cultura Negra na sala de aula: pode um cantinho de Africanidade elevar a auto estima de crianças negras e melhorar o relacionamento entre crianças negras e brancas? RICHARD HUTCHINGS / Getty Images Dissertação de Mestrado de Valéria Aparecida Algarve Orientadora: Profª Dra. Petronilha Beatriz Gonçalvez e Silva. Banca Examinadora: Profª Dra. Petronilha Beatriz Gonçalvez e Silva Profª Dra. Eliane dos Santos Cavalleiro Profª Dra. Ilza Zenker Leme Joly Leia o PDF completo  Cultura Negra na sala de aula: pode um cantinho de Africanidade elevar a auto estima de crianças negras e melhorar o relacionamento entre crianças negras e brancas?  

    Leia mais
    coleção educação para todos

    História da Educação do Negro e outras histórias

    História da Educação do Negro e outras histórias/Organização: Jeruse Romão. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. 2005. 278p.( Coleção Educação para Todos)   Fonte: Domínio Público - Autores: Alexandre do Nascimento Claúdia Regina de Paula Geraldo da Silva Henrique Cunha Júnior Jeruse Romão Lauro Cornélio da Rocha Lídia Nunes Cunha Lucimar Rosa Dias Márcia Araújo Marcus Vinicius Fonseca Mariléia dos Santos Cruz Surya Aaronovich Pombo de Barros   Apresentação O Brasil, país com a segunda maior população negra do mundo – atrás apenas da Nigéria –, conseguiu ao longo de sua história produzir um quadro de extrema desigualdade entre os grupos étnico-raciais negro e branco. Até bem pouco tempo, o Estado brasileiro não incorporava as categorias racismo e discriminação racial para explicar o fato de os negros responderem pelos mais baixos índices de desenvolvimento humano, e os ...

    Leia mais
    blank

    Em busca de uma infância cidadã: socialização, identidade e pertencimento racial

    Eliane Cavalleiro2 Referência bibliográfica: COSTA, M. F. V. ; COLACO, V. F. R. ; CAVALLEIRO, E. . Em busca de uma infância cidadã: socialização, identidade e pertencimento racial. In: Fátima Vasconcelos da Costa,Veriana Rodrigues Colaço e Nelson Barros da Costa. (Org.). MODOS DE BRINCAR,LEMBRAR E DIZER: DISCURSIVIDADE E SUBJETIVAÇÃO. 01 ed. Fortaleza: Editora da UFC, 2007, v. , p. 117-139. Considerações iniciais Quando pensamos na infância, no direito à proteção e aos cuidados que toda criança deve ter, consideramos importante trazer à luz um tema controverso: o racismo presente na sociedade brasileira e a maneira como esse afeta o processo de socialização das nossas crianças. O debate, no Brasil, em torno das relações raciais mostra-se em crescente visibilidade desde o final do século passado. A atualidade da discussão evidencia a existência e a permanência do racismo e seus derivados na dinâmica sociedade. Torna-se portanto necessária a compreensão de como os ...

    Leia mais
    blank

    A educação das relações étnico-raciais em compasso de espera

    É sabido que sem adotar uma segregação legal, a República elegeu o princípio formal da "igualdade perante a lei" que foi incorporada à carta constitucional já em 1891. Como resultado dessa orquestração, pautado na ideologia dominante de embraquecimento, pouco foi feito no campo educacional para favorecer a população afro-brasileira, tanto no que diz respeito à legislação quanto à elaboração e implementação de políticas públicas, para a construção da dignidade da população negra e para o rompimento, via educação, de práticas racista e discriminatórias. Por: Eliane Cavalleiro Reprodução/Facebook A primeira Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB, lei 4024 de 1961 determina " condenação a qualquer tratamento desigual por motivo de convicção filosófica, política ou religiosa, bem como quaisquer preconceitos de classe ou de raça" Todavia, não prescreve um ensino de valorização da diversidade étnico-racial presente na sociedade, menos ainda orienta para a eliminação das desigualdades raciais que ...

    Leia mais
    Foto: Marcus Steinmayer

    Racismo na educação infantil – por Sueli Carneiro

    Dia 27 de outubro, a professora Eliane Cavalleiro lançou o livro Do Silêncio do Lar ao Silêncio Escolar: racismo, discriminação e preconceito na educação infantil, Editora Contexto. Houve certa tensão entre a autora e algumas professoras presentes, mas também muito interesse dos jovens na apresentação do trabalho. O livro, originalmente apresentado como dissertação de mestrado na Faculdade de Educação da USP, é fruto da observação sistemática do cotidiano escolar de uma Emei (Escola Municipal de Educação Infantil) da região central de São Paulo, durante um período de oito meses, em três salas de aula de crianças entre quatro e seis anos de idade. Observou-se a relação professor/aluno, aluno/professor e aluno/aluno, considerando as expressões verbais, as práticas não-verbais e as práticas pedagógicas do ambiente escolar. A tensão entre a exposição de Eliane, educadora negra que ousou escarafunchar o espaço sacrossanto da educação infantil, e várias outras educadoras certamente se deve ao ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist