quarta-feira, maio 27, 2020

    Tag: Geração Tombamento

    blank

    Lacração, empoderamento e luta: conheça a geração tombamento

    Usando a estética e as redes sociais como armas, jovens negros lutam contra o preconceito Por Rafaela Fleur Do Correio Na estética, lacração total. Cabelos coloridos, roupas chamativas, maquiagem forte e liberdade para usar o que bem entender. No discurso, militância e combate a todo tipo de preconceito. Ocupando espaços e se autoafirmando, a geração tombamento se empodera por meio da moda, da arte e da música. “É um dos movimentos da juventude negra urbana que busca combater o racismo através da estética e da política”, explica a estudante de letras Lais Conceição, 23, que é integrante do Coletivo Luana Barbosa de mulheres lésbicas e bissexuais negras e está pesquisando sobre o tema em seu trabalho de conclusão de curso da graduação. O visual da geração tombamento chama atenção. Sem medo de ousar, eles abusam das cores e do brilho. Os cabelos tem as mais diversas cores e formas: black power, ...

    Leia mais
    blank

    A repulsa da classe média branca “intelectualizada” à geração tombamento

    A história recente do movimento negro aponta para um fenômeno em que há uma materialização bastante concreta da noção de estética como política. Nos corpos negros essa conceituação fica absolutamente verificável em movimentos que vão desde o Partido dos Panteras Negras, passando pelas camisetas altamente politizadas “100% Negro” da década de 1990, que serviam como uma mensagem bastante explícita de resignação contra o mito da democracia racial veiculado na ideia de “somos todos iguais”, chegando a geração tombamento de cabelos coloridos, roupas estampadas, bastante influenciada pelo movimento “Afropunk” norte-americano. Ou seja, desde muito tempo pessoas negras têm resistido através de comportamentos estéticos a um estereotipamento que se situa no olhar do branco sobre nós. A tomada de consciência sobre a possibilidade de existir de formas outras que não aquelas emanadas pela branquitude é portanto repudiada pela mesma, é simples, o negro ao estabelecer narrativas próprias sobre si mesmo racializa o branco e ...

    Leia mais
    blank

    Renata Prado: “É impossível conscientizar a juventude negra se ela não se empoderar”

    Renata Prado é pedagoga, referência no tema sobre geração tombamento e uma das organizadoras da festa Batekoo. Ela é responsável por ministrar um curso sobre o tema em parceria do Coletivo Dijejê, que visa dar destaque à participação das mulheres e do grupo LGBTT no movimento. Entrevista / Pedro Borges Foto / Solon Neto Do Alma Preta  Renata Prado é pedagoga, referência no tema sobre geração tombamento e uma das organizadoras da festa Batekoo. Ela é responsável por ministrar um curso sobre o tema em parceria do Coletivo Dijejê, que visa dar destaque à participação das mulheres e do grupo LGBTT no movimento. Faça aqui a sua inscrição. As últimas vagas podem ser preenchidas até o dia 5/03, domingo. Qual a importância da geração tombamento para o debate acerca das opressões de raça, gênero, sexualidade e classe? É necessário que a geração tombamento compreenda como funciona o sistema que foi imposto para a ...

    Leia mais
    blank

    Curso: O que é Geração Tombamento?

    A estética e a política do movimento são tema de curso online Por Solon Neto publicado em Alma Preta Texto e imagens / Solon Neto A discussão acerca dos limites que definem a chamada “Geração Tombamento” é recorrente em ambientes de militância do movimento negro. Esse debate costuma levantar problemas relacionados com a sociedade de consumo e o processo de empoderamento. Próxima da estética apresentada pelo Afro-Futurismo, movimento artístico que imagina um mundo pós racial, a geração tombamento é marcada pela inovação, a arte, a dança e a música. As inscrições podem ser feitas aqui. Por um lado, se pensa que os acessórios, tranças, roupas e maquiagens de cores vibrantes, além da atitude confiante, são sinais de uma adesão à sociedade de consumo, uma espécie de empoderamento às avessas que relativizaria demais os aspectos de classe. Por outro, apontam a incompreensão desse processo como benefício estético e político, de auto aceitação e superação de ...

    Leia mais
    blank

    Última edição do ano do projeto “Mulher com a Palavra” lota o Teatro Castro Alves

    Bate-papo contou com a participação de MC Carol, Preta Gil e Elisa Lucinda.  Enviado para o Portal Geledés A última edição do ano do “Mulher com a Palavra” confirmou o sucesso do projeto, que foi abraçado pelo público baiano também nas primeiras edições. A Sala Principal do Teatro Castro Alves ficou lotada na noite de ontem (22). Iniciativa da Secretaria Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia (SPM-BA), em parceria com a Maré Produções Culturais, e com patrocínio da Bahiagás, do Instituto Avon e da Bahiatursa, desta vez, foi uma celebração ao Novembro Negro e aos 21 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres. O bate-papo teve mediação da Secretária Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia, Olívia Santana, e da comunicadora Rita Batista, contou com a presença de MC Carol, da cantora Preta Gil e da escritora Elisa Lucinda, que deixou o público encantando ...

    Leia mais
    blank

    Sobre tombamento – Por Stephanie Ribeiro

    Fui numa festa da batekoo me deparei com pessoas com batom preto e roxo que você não paga nem 10 reais para ter. Camisas customizadas mas nada novo ou de marca conhecida, camisas velhas cortadas pra mostrar o corpo. Jens! Muito shorts jens! Corpos diversos: tinha magra, tinha gorda, tinha seios saltando da roupa, tinha garotos sem camisa rebolando sem parar. Tinha muitas meninas só de sutiã na parte de cima e shorts. Cabelos crespos presos, raspados, tranças, coloridos daquele jeito pintado em casa. Por Stephanie Ribeiro em seu Facebook  Dançando sem parar. Sério isso é a geração tombamento. Gente pobre que divide a mesma catuaba que é uma bebida mega barata, pois não tem grana para comprar uma inteira sozinho. Que dança até pingar de suor e que se diverte de uma forma bem simples. Tô enojada como vocês insistem em problematizar essas pessoas. Lembro da fala de um menino no ...

    Leia mais
    blank

    Os negros que a geração tombamento esqueceu

    A geração tombamento, com suas tranças coloridas, black powers estonteantes e bailes de bater o koo, veio como uma marca dos negros empoderados e de fato teve esse papel da construção da identidade negra contemporânea, que inclusive, está ganhando cada vez mais espaço na grande mídia. No entanto, essa identidade que foi construída não abarca as diversas pluralidades culturais do negro. Foi criado um esteriótipo de negritude dentro da militância negra e como todo esteriótipo, isso não abrange todas as pessoas, muito pelo contrário, segrega. Por Julia Masan Do Medium Como trans e negra, eu tenho total consciência da importância do movimento negro na construção da minha autoestima e dos meus semelhantes. A falha da geração tombamento foi não incluir todos os negros nas suas mais diversas identidades e colocá-los como algo homogêneo e puramente estético. Essa acomodação num discurso simples, raso e objetivo, acomoda cada vez mais os indivíduos no ...

    Leia mais
    blank

    O que vem depois da geração tombamento

    Relatos contínuos do Festival Latinidades 2016 Por Ísis Maria  do Mídia NINJA Nós começamos a semana abrindo os caminhos para o bom andamento do festival, e declaro aqui: missão cumprida. Naquele dia, mulheres pretas entregavam para mulheres que estavam na rodoviária dobraduras de coração com frases de carinho e empatia. Você é linda, preta, dizia o que eu ganhei. Ao longo dos dias, o ambiente tão acolhedor fazia as pretas desfilarem, lindas, dignas, empoderadas. Mas mais que isso, tranquilas, porque empoderadas elas são todos os dias, mas aqui ninguém ia falar do turbante, do cabelo, da cor do batom se não fosse para elogiar, diferente do que ouvimos nas ruas diariamente. Ninguém ali ia tentar deliberadamente oprimir ou ofender, porque ali o estímulo era tangível e pulsante para que elas se sintam donas do lugar que querem ocupar, se reconheçam senhoras do seu corpo, das suas tradições e ancestralidades e, principalmente ...

    Leia mais
    blank

    Fashion Rebels: A geração tombamento da África do sul

    A geração tombamento está com tudo, propagando o fortalecimento, reconhecimento e empoderamento estético entre negras e negros em diversas regiões do Brasil. É possível observar essa tendência nas avenidas e ruas, nas mais variadas festas, nos blogs de estilo e nas redes sociais. Mas será que o Brasil é o único país a abrigar esse movimento? Existem gerações tombadoras no exterior? A resposta é que não estamos sozinhos! Acredito que somos o reflexo e uma nova roupagem desses movimentos que estão ocorrendo em outros países, a exemplo do Afropunk, nos Estados Unidos. Agora vamos conhecer os Fashion Rebels e a sua contribuição para o desdobramento de novas formas de beleza e atitude. Por Lorena Lacerda Do Imprensa Feminista Fashion Rebels é um grupo de moda, street style e expressividade idealizado por Maitele Wawe, Thifhelimbilu Mudau e Sizophila Dlezi, que surgiu em 2012, em Pretoria, capital executiva da África do Sul. No documentário “100 % Youth 3 – Maitele Wawe – ...

    Leia mais
    blank

    O estilo da Geração Tombamento

    De um tempo para cá passei a observar no Brasil e no mundo o crescimento de um uma geração de pessoas super estilosas com uma vibe única, poderosa e super colorida. São pessoas na sua grande maioria – ou totalidade talvez – negras que tem um estilo de se vestir com roupas de cores vibrantes que chamam a atenção por onde passa. Conheça a Geração Tombamento. Por Fabiano Gomes, no O Cara Fashion Mas o que significa Tombamento? A expressão tem tanto a ver com atitude quanto com o estilo, é uma geração de pessoas que querem tombar, lacrar, fechar o tempo mesmo não sendo um fenômeno meteorológico; enfim é causar aquela impressão por onde passa. Essa geração se semelha um pouco com os Sapeurs, aquela subcultura dosdandys originária do Congo, onde os homens se vestem extremamente bem com alfaiataria super colorida. A diferença, é que o visual da geração tombamento é mais marcado pelas peças esportivas ...

    Leia mais
    blank

    Parem de criticar a Geração Tombamento

    "A noite tá perfeita eu saio ''cas'' amiga loca Joias, maquiagem, muito capricho na roupa Versatilizando no estilo com muito brilho" Música: Gandaia. Letra: Karol Conka Por Lorena Lacerda Do Imprensa Feminista Atualmente nas redes sociais, nas rodas de conversa, nos encontros, nas festas, dentro e fora da militância, ou seja, everywhere tem muito se falado na geração tombamento. Mas o que é tombamento? Que geração é essa? Tombamento é uma termo que caracteriza o ato de “tombar”, “arrasar”, “fechar sem ser feriado”. Essa geração é a nova roupagem do reconhecimento e fortalecimento da negritude através da estética. Por que falo de nova roupagem de uma geração atual? Porque não é de agora a preocupação de negras e negros em se apresentarem com roupas bonitas, sapatos e penteados para reforçarem sua beleza. A exemplo disso temos os “sapeurs” uma subcultura dos “dandy” originários do Congo – Brazzaville onde suas vestimentas são ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist