quarta-feira, agosto 5, 2020

    Tag: Transexualidade

    Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper

    OMS retira a transexualidade da lista de doenças mentais Publica

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) removeu da sua classificação oficial de doenças, a CID-11, o chamado “transtorno de identidade de gênero”, definição que considerava como doença mental a situação de pessoas trans – indivíduos que não se identificam com o gênero que lhes foi atribuído no nascimento. A decisão foi celebrada por especialistas das áreas de saúde pública e direitos humanos. Da ONU Bandeira do orgulho trans hasteada em São Francisco, nos Estados Unidos. Foto: Flickr (CC)/torbakhopper A Organização Mundial da Saúde (OMS) removeu da sua classificação oficial de doenças, a CID-11, o chamado “transtorno de identidade de gênero”, definição que considerava como doença mental a situação de pessoas trans – indivíduos que não se identificam com o gênero que lhes foi atribuído no nascimento. Em 25 de maio, a OMS aprovou uma resolução para remover o “transtorno de identidade de gênero” da CID-11 e ...

    Leia mais
    blank

    Violência de gênero e transexualidade

    O que o caso do espancamento contra a transexual do Ceará nos diz sobre violência de gênero? Por Itallon lourenço enviado para o Portal Geledés  Foto Corbin Smith Antes de tudo, inicio minha fala identificando meu local de fala. Acredito que assumir os privilégios e o local de fala é um passo importante para prosseguirmos um debate. Sou um homem cisgênero, negro e gay, assumindo meus privilégios enquanto homem e cisgênero em uma sociedade machista, patriarcal, misógina e transfóbica. Vivemos em uma sociedade binarista de gênero. Ou seja, as categorias homem e mulher são aceitos como representantes de gênero. Segundo essa concepção, pra ser homem, uma pessoa precisa externalizar a masculinidade, estar de acordo com o órgão genital anatômico pênis e exercer determinados comportamentos preestabelecidos (como gostar de mulher); e para ser mulher, externalizar a feminilidade, estar de acordo com o órgão genital vagina e exercer determinados comportamentos preestabelecidos pela ...

    Leia mais
    blank

    Mulher, negra, trans: a vida real é uma somatória de opressões

    Sarah Mund explica a teoria da interseccionalidade, que diz que as formas de exclusão não podem ser analisadas individualmente por Sarah Mund no AzMina Quando se olha de fora é fácil assumir que uma pessoa enfrenta preconceitos por variados motivos e experimenta as diferentes opressões como se elas simplesmente fossem acrescentadas uma a uma. Mas como inúmeras mulheres incríveis já compartilharam com a gente aqui na AzMina mesmo, em nossa atual sociedade ser uma mulher negra ou uma transexual cadeirante, para dar alguns exemplos, é muito mais complexo do que ser “só” mulher, “só” negra, “só” transexual ou “só” cadeirante. E existe um nome para isso: interseccionalidade. O termo foi cunhado em 1989 pela advogada e ativista americana Kimberlé Crenshaw(mulher porreta envolvida com os movimentos Black Lives Matter e #SayHerName nos EUA e que tive o privilégio de ouvir em duas palestras na faculdade ...

    Leia mais
    blank

    Eu sou trans e religiosa

    “Há alguns anos eu estava na fila do ônibus, cheia de gente. Passou um senhor e disse ‘Jesus te ama’ pra mim. Só pra mim. Foi à toa? Não foi”, diz Brunna Valin, 42, que cresceu em família evangélica. por Ingrid Matuoka no Carta Capital Aos 12, cansada das violências, deixou de ir à igreja. “Eu era tida como demônio, do inferno, pecadora, uma aberração. Todos os meninos da minha idade, que também eram e ainda são evangélicos, tinham prática sexual comigo, mas eu era a pecadora. Parei de acreditar na religião”. Thaïs de Azevedo, 67 anos, conheceu o kardecismo por meio dos pais, que seguem a religião, e frequentou a Federação Espírita do Estado de São Paulo, onde são ministrados cursos e palestras sobre essa vertente do espiritismo. Ela conta que não se sente acolhida de coração, embora haja uma aceitação social. “Em espaços religiosos o preconceito é velado, mas já ...

    Leia mais
    blank

    14 dicas para não ser transfóbico

    O Catraca Livre acredita que a informação é a melhor arma contra o preconceito. Por isso, criamos um manual anti-transfobia com 14 dicas para não ser transfóbico, dicas práticas para falar sobre questões de gênero de forma respeitosa. no Catraca Livre Esse material é direcionado a qualquer pessoa que queira saber mais sobre transexualidade: público geral, jornalistas, comentadores de Facebook e demais interessados ;) pra acessar o arquivo no ISSU

    Leia mais
    blank

    “A travesti é convidada a sair à cidade apenas como ‘bicho noturno’”

    Conversamos e escutamos pessoas trans, travestis, familiares e militantes da causa. Ouvimos suas histórias de infância, de adolescência, de transição, de estudo, de trabalho e de convivência dentro dessa sociedade – e da cidade. Seus relatos estão abaixo, com pequenas alterações em construção de frases e palavras para facilitar a narrativa. Do Cida de Ludica Eu sempre me vi fora do padrão, do “normal”. Sempre me senti uma mulher, podia não saber o que era, mas me sentia mulher. Lembro um dia no Ensino Fundamental quando umas amigas foram usar o banheiro feminino e eu naturalmente fui com elas. Aí falaram: – Não, você não pode, tem que usar outro banheiro! – Como assim? Eu posso, sou que nem vocês! Eu me sentia uma aberração. A gente nasce com uma condição e a sociedade diz que é errado e ficamos nos perguntando: por que eu nasci assim? É violento uma pessoa pensar ...

    Leia mais
    blank

    Casal de transgêneros dá à luz um filho em Porto Alegre

    A mãe, que nasceu Andressa, teve o bebê na terça-feira, no Hospital Fêmina Por Felipe Martini No ZH Helena Freitas, 26 anos, e Anderson Cunha, 21, se conheceram durante uma festa no inverno de 2013. Entre sorrisos e olhares, o jovem tomou a iniciativa e resolveu pagar uma bebida para a morena vaidosa de cabelos longos. Depois de uma madrugada de conversa, trocaram telefones. Após vários encontros, a relação, que no início parecia amizade, evoluiu. Os dois começaram a namorar no Natal do mesmo ano. Em 2014, o casal resolveu morar junto. A estudante estava com o curso de Letras na Faculdade Porto-Alegrense (Fapa) trancado no terceiro semestre, e o rapaz era atendente em uma lanchonete. A rotina ia bem, até que um pequeno deslize mudou o destino dos jovens. Após muito nervosismo, suspeita e um teste de farmácia, veio a certeza: Anderson estava grávido. Assista ao vídeo: Acontece que Anderson ...

    Leia mais
    blank

    Italiano muda de sexo e vai à Justiça para manter casamento

    Conselho local determinou que Alessandro se separasse da esposa após a cirurgia; ele promete levar o caso ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos, caso perca o processo Um italiano que passou por uma cirurgia de mudança de sexo está desafiando o Estado, que se recusa a permitir que ele permaneça casado com a atual esposa, de acordo com o The Telegraph.. Quando Alessandro Bernaroli - agora Alessandra Bernaroli - oficializou o matrimônio com a companheira, há nove anos, ele já tinha o desejo de tornar uma mulher, mas escondia essa ambição. Ao saber da revelação do marido, a italiana ficou chocada, mas resolveu apoiá-lo em sua decisão de realizar a cirurgia de mudança de sexo na Tailândia. A família de Bologna, norte da Itália, resolveu levar o caso à Corte Constitucional de Roma, pois um Conselho local alegou que os dois não podiam permanecer casados, após ambos tentarem renovar os documetnos de identidade. "Meu corpo mudou, mas o ...

    Leia mais
    madalena20atende2812013-155336

    Sobre transexualidade, feminismo interseccional e sororidade

    “Não se nasce mulher, torna-se.” Zaíra Pires para o Blogueiras Negras Creio que não há como – tentar – falar sobre transexualidade e feminismo sem recorrer à célebre frase de Simone de Beauvoir, que sentenciou uma das maiores máximas do movimento e tem sido um princípio norteador da nossa luta desde a sua primeira onda até hoje, tempo em que tentamos, a duras penas, ser mais interseccionais. Beauvoir, em “O Segundo Sexo”, falava de como a definição do que é feminimo e o que é masculino não é biológico e inato, mas construído socialmente, e por isso mesmo, passível de variações de acordo com as referências ao longo da criação/formação, do tempo e local onde se vive. Mas, ao falar em transexualidade, a frase de Simone vai além de questionar os papeis e o lugar feminino e masculino na sociedade, servindo para questionar a definição de ser mulher e ser homem pelo ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    blank

    Artigos mais vistos (7dias)

    Instagram

    Twitter

    Facebook

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist