Taís Araújo pede mais união entre às mulheres: “Tem que ter uma rede de proteção”

Atrizes e apresentadora marcaram presença em um evento de uma marca de calçados, na noite desta terça-feira (31), em São Paulo

Por  SONINHA VIEIRA, da Revista Quem 

Taís Araújo (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)

Taís Araújo, Astrid Fontenelle e Ingrid Guimarães falaram sobre a mulher brasileira em um evento de uma marca de calçados, na noite desta terça-feira (31), em São Paulo. As atrizes e a apresentadora bateram um papo sobre as conquistas e os desejos das mulheres, por meio de histórias inspiradoras, junto com Barbara Souza, do coletivo Vamos Juntas, para debater a sororidade (união e aliança entre mulheres, baseado na empatia e companheirismo, em busca de alcançar objetivos em comum).

Taís falou sobre uma maior união entre às mulheres. “Uma pode contar com a outra, principalmente nos lugares que têm essas diferenças salariais, hierarquicas, com alguém que ganha menos, com pudor de medo de expor aquela história, para não perder o seu emprego. Você pode virar para aquela mulher e dizer: ‘Eu estou com você. Você conta comigo’.  Acho que tem que ter uma rede de proteção. Nós temos que saber que uma pode contar com a outra”, acredita a atriz.

Taís Araújo (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)

Taís também falou sobre as mudanças que cada uma pode fazer na sociedade. “Muito já se falou, muito se fala, e a gente tem que agir. E durante muito tempo houve a competição (entre às mulheres). Porque se tivesse uma naquele local, era só para constar. E aí se aquela tivesse, ela segurava o lugar dela a ferro e fogo, pensando que se ela caísse, teria uma outra mulher para ocupar o lugar dela. Na verdade, nós temos que pensar que podemos ter um monte de mulheres trabalhando naquele mesmo ambiente juntas, de mãos dadas”, afirma a artista.

Taís continuou o discurso reforçando sua opinião a favor da parceria feminina no ambiente profissional. “Tem espaço para todo mundo. Quanto mais mulheres em espaços de poder, mais seguras estaremos. Se eu estou em um lugar de poder e outra mulher não, a gente tem que chamar. Temos que nos proteger e não competir. Outra mulher nao é ameaça, é potencia. Estamos em um processo de mudança muito importante”, comemora.

À QUEM Taís também falou sobre a expectativa de apresentar o Popstar. “Eu acho que eu vou me divertir. Tem uma posição, que é uma posição nova de apresentar o programa, mas também estou cheia de amigos, na mesma condição que eu. Muito que estão ali já são cantores, mas outros não. Acho que estou no mesmo barco dos participantes. É um programa que eu amo ver. Eu vou torcer, me emocionar e curtir com eles”, conta.

A estrela comentou o fato de atuar ao lado do marido, Lazaro Ramos, no Mr. Brown. “A gente trabalha muito bem juntos. A gente contracena muito bem juntos. A gente está casado há 14 anos. Cada um já tinha uma carreira bem próspera antes de se conhecer. Tem tanta coisa que eu admiro nele. Eu admiro o Lazaro como ator, marido, pai dos meus filhos e diretor. Eu admiro o desejo dele de estar presente. Ele se esforça para estar junto”, confidencia.

Astrid Fontenelle, Taís Araújo e Ingrid Guimarães (Foto: Manuela Scarpa/Brazil News)

 

+ sobre o tema

Exploração sexual de crianças e adolescentes só tem 20% dos casos denunciados

Denúncias de exploração sexual de crianças e adolescentes representam...

Terceirização tem ‘cara’: é preta e feminina

O trabalho precário afeta de modo desproporcional a população...

Internet impulsionou surgimento de um novo feminismo

Redes sociais ajudaram a divulgar campanhas que chegaram às...

para lembrar

Por que parar na questão de gênero? Vamos trocar a Constituição pela bíblia

Por conta da pressão da Frente Parlamentar Evangélica junto...

Manifesto Coletivo Autônomo de Mulheres Pretas

Nós, ADELINAS - Coletivo Autônomo de Mulheres Pretas, da...

Governo sueco ‘responde’ a Trump com uma foto de mulheres do gabinete

Vice-primeira-ministra assina uma proposta ambiental rodeada por sete colaboradoras...

Homens que cuidam

João está deprimido. Fez uma consulta com um psiquiatra...
spot_imgspot_img

“Dispositivo de Racialidade”: O trabalho imensurável de Sueli Carneiro

Sueli Carneiro é um nome que deveria dispensar apresentações. Filósofa e ativista do movimento negro — tendo cofundado o Geledés – Instituto da Mulher Negra,...

Comida mofada e banana de presente: diretora de escola denuncia caso de racismo após colegas pedirem saída dela sem justificativa em MG

Gladys Roberta Silva Evangelista alega ter sido vítima de racismo na escola municipal onde atua como diretora, em Uberaba. Segundo a servidora, ela está...

O atraso do atraso

A semana apenas começava, quando a boa-nova vinda do outro lado do Atlântico se espalhou. A França, em votação maiúscula no Parlamento (780 votos em...
-+=