Tornar-se mãe

Para muitas mulheres, a maternidade inicia-se na gestação. Para outras, na adoção.

Por Cintia Andrade Moura*

Nutrir o desejo de ser mãe é comum na intimidade feminina. Enfrentar a impossibilidade de gerar um filho é, para muitas, frustrante e estarrecedor.

Pensar na ideia de ser mãe pela adoção gera vários questionamentos e enfrentamentos e, por isso, infelizmente algumas mulheres simplesmente desistem do sonho da maternidade.

A maternidade proporciona na vida da mulher transformações e descobertas inimagináveis. Tornar-se mãe é muito mais que gerar um filho. Para ser mãe, é imprescindível e suficiente o amor. Disso chamamos a adoção.

Que importa se o teu filho não carregará a tua herança genética? Ele carregará as tuas lições de vida.

Que importa se o teu filho não sairá do teu ventre? Ele entrará na tua vida e na tua alma.

Que importa se não puderes amamentar o teu filho ao peito? Ele será alimentado por tuas mãos cheias de ternura e amor.

Que importa se o teu filho não terá teus traços fisionômicos? Ele possuirá os traços da tua forma de pensar e agir perante o mundo.

Abençoadamente, sou mãe adotiva e colho os melhores frutos da convivência com meus filhos. Certo dia, estava em viagem com a família e minha filha mais velha (uma negra belíssima!) entrou no ambiente em que me encontrava iniciando o seguinte diálogo:

− Mãe, uma amiga minha da escola me perguntou por que sou diferente de você?

− O que você respondeu? − perguntei sem alarde.

− Eu falei para ela que é porque sou adotada.

− E isso te incomodou? − quis saber.

− De forma alguma, mãe! Eu tenho o maior orgulho de ser adotada, de ser sua filha e de papai, e de ser negra.

Emocionada, falei para ela que de todas as coisas lindas que eu já havia escutado na vida, essa era a mais bela de todas. E ela completou:

− É o seu presente de aniversário, mamãe!

Abracei tanto a minha filha que quase a sufoquei. E chorei… Chorei e ainda choro por tantas emoções e felicidade que a maternidade adotiva me proporciona. Agradeço a Deus pela oportunidade de ser mãe de uma forma tão completa e intensa. De ser uma mãe que nasceu pela atitude adotiva.

Desistir de amar é desistir de viver.

Desistir da experiência extraordinária de ser mãe porque não se pode gestar é que é frustrante e estarrecedor.



* Cintia Andrade Moura é uma orgulhosa e feliz mãe adotiva

 

Fonte: Ne 10

+ sobre o tema

Judiciário irá contribuir com o cumprimento da lei Maria da Penha

A Secretaria de Políticas para as Mulheres assinou esta...

Abertas inscrições para seminário sobre violência contra a mulher

Participação no evento realizado pela Secretaria de Desenvolvimento Social...

O fascínio de Summerhill, uma escola democrática e instigante – Por: Fátima Oliveira

Criar filhos em uma sociedade cada vez mais individualista...

6 coisas que eu queria que alguém tivesse me dito sobre ter um bebê

Como mãe de primeira viagem, eu não fazia ideia...

para lembrar

São Paulo inaugura base móvel para atender vítimas de homofobia

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), vai...

Ginástica Artística feminina do Brasil conquista ouro no Pan-Americano

A seleção brasileira feminina é campeã do Pan-Americano de Ginástica Artística...

Primeira mulher a presidir o STM diz que vai defender igualdade de gênero

A ministra Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha tomou posse...

Mulheres brancas ainda não sabem tratar do feminismo interseccional

* Texto orginalmente publicado no site For Harriet. Por  Jaimee...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=