Toucas especiais para cabelo afro são proibidas nas Olimpíadas pela Federação Internacional de Natação

Enviado por / FonteDo Globo

Decisão é criticada como forma de reforçar desigualdades no esporte, podendo desestimular jovens a buscarem crescimento na carreira como atletas profissionais

Toucas produzidas para nadadores com cabelos volumosos foram banidas pela Federação Internacional de Natação nos Jogos Olímpicos, que começarão no próximo dia 23 em Tóquio. Atletas como Alice Dearing, a primeira nadadora negra a representar a Grã Bretanha nas Olimpíadas, são afetados pela decisão que exclui o produto, criado pela empresa britânica Soul Cap. O principal objetivo das toucas maiores é se adequar a cabelos com dreadlocks, tranças, encaracolados e crespos. No entanto, a proibição foi justificada porque elas não seguem “a forma natural da cabeça”. Assim, a certificação solicitada pela companhia foi negada pela federação, segundo noticiou a imprensa britânica nesta sexta-feira, dia 2.

Danielle Obe, membro fundadora da Associação de Natação Negra, disse ao jornal “The Guardian” que a decisão desconsiderou “as desigualdades sistêmicas e institucionais inerentes ao esporte”.

— Acreditamos que isso comprova a falta de diversidade (no esporte) — afirmou.

Danielle lembrou que a touca de natação foi um item criado para evitar que os cabelos lisos, de nadadores majoritamente brancos, flutuassem para o rosto enquanto estivesse na água. Ela destacou que o mesmo produto, entretanto, não funciona da mesma forma para cabelos afro que, conforme descreveu, “crescem para cima e desafiam a gravidade”.

Os fundadores da Soul Cap, Toks Ahmed e Michael Chapman, se pronunciaram sobre a decisão em uma postagem de rede social, temendo que o banimento de suas toucas desestimule jovens a buscarem crescimento na carreira como atletas profissionais.

— Para os nadadores mais jovens, sentir-se incluído e ver-se praticando um esporte ainda jovem é fundamental. A recente proibição da Fina (sigla em inglês para a Federação Internacional de Natação) pode desencorajar muitos atletas mais jovens de praticar o esporte à medida que progridem na natação competitiva local, municipal e nacional.

Em fevereiro, Alice Dearing revelou à “BBC” que se sentiu “abençoada” por ser uma embaixadora da Soul Cap. Ela afirmou que a companhia “reconheceu um problema sério dentro da comunidade negra em todo o mundo” e que suas toucas maiores estão “dissipando o mito de que o equipamento de natação não pode ser inclusivo”.

A Federação Internacional de Natação foi procurada pela “BBC” para comentar a polêmica, mas não respondeu aos questionamentos.

+ sobre o tema

Maranhão tem 30 cidades em emergência devido a chuvas

Subiu para 30 o número de cidades que decretaram...

O Estado emerge

Mais uma vez, em quatro anos, a relevância do...

Extremo climático no Brasil joga luz sobre anomalias no planeta, diz ONU

As inundações no Rio Grande do Sul são um...

IR 2024: a um mês do prazo final, mais da metade ainda não entregou a declaração

O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda...

para lembrar

Dilma afirma que Ciro tem total liberdade para fazer o que quiser

Por: MÁRCIO FALCÃO   A candidata do PT à...

Datafolha mostra que falta de comida afeta quase 40% dos brasileiros de baixa renda

Pesquisa Datafolha aponta que 26% dos brasileiros afirmam que a...

Wladimir Ganzelevitch: Eu tenho preconceitos e luto contra eles diariamente

"A maior força preservadora do preconceito é a crença,...

ENCHENTES: Lula pede esforço conjunto para resolver enchentes em São Paulo

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta...

Mulheres em cargos de liderança ganham 78% do salário dos homens na mesma função

As mulheres ainda são minoria nos cargos de liderança e ganham menos que os homens ao desempenhar a mesma função, apesar destes indicadores registrarem...

‘O 25 de abril começou em África’

No cinquentenário da Revolução dos Cravos, é importante destacar as raízes africanas do movimento que culminou na queda da ditadura em Portugal. O 25 de abril...

IBGE: número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave em SP cresce 37% em 5 anos e passa de 500 mil famílias

O número de domicílios com pessoas em insegurança alimentar grave no estado de São Paulo aumentou 37% em cinco anos, segundo dados do Instituto...
-+=