terça-feira, janeiro 26, 2021

Tag: Natação

Negra e nordestina, Etiene Medeiros faz história ao ser primeira mulher brasileira campeã mundial de natação

Pernambucana de 26 anos venceu a rival chinesa Yuanhui Fu com o tempo de 27s14 contra 27s15 e leva o ouro nos 50m costas   Por Bruno Santana Do Portal Fórum A nadadora Etiene Medeiros eternizou seu nome história do esporte, nesta quinta-feira (27), na Hungria. Foi um duelo de braçadas com a chinesa Fu Yuanhui, para quem a pernambucana perdeu por 15 centésimos no Mundial de Kazam, em 2015. Desta vez, em Budapeste, Etiene levou a melhor por apenas um centésimo e se tornou a primeira mulher brasileira a chegar no topo do pódio em competições de piscina olímpica. Com este tempo, Etiene bateu o novo recorde das Américas, superando o tempo de 27s18 que ela mesma tinha feito nesta manhã – essa é, também, a terceira melhor marca da história no mundo. Aliaksandra Herasimenia, de Belarus, ficou com o bronze após terminar a prova com 27s23. “Competi com essa ...

Leia mais

‘Estou menstruada’: Confissão ao vivo de nadadora sensação das redes quebra tabu na China

Se competir em uma Olimpíada costuma ser estressante, a situação se dificulta para atletas menstruadas. Por Helier Cheung, da BBC  Fu Yuanhui, uma das estrelas da natação da China, se transformou em celebridade online depois de reagir com alegria ao perceber, durante uma entrevista ao vivo para a TV chinesa, que tinha conquistado uma medalha de bronze nos 100 m costas. "Fiquei em terceiro?!? Então não fui tão mal assim!", disse, surpresa, na entrevista. Agora, a atleta bem-humorada voltou a se destacar por quebrar um tabu em seu país: ela falou abertamente sobre menstruação, também ao vivo. No domingo, a China chegou em quarto lugar e ficou sem medalha no revezamento 4x100 m medley. Depois da prova, as companheiras de equipe Lu Ying, Shi Jinglin e Zhu Menghui foram entrevistadas, mas Fu não estava com o grupo. Logo se soube que Fu estava agachada atrás de um cartaz, encolhida de dor. ...

Leia mais

Rio 2016: Simone Manuel calls out police brutality after historic Olympic swimming victory

Rio 2016: Simone Manuel calls out police brutality after historic Olympic swimming victory By Vox Simone Manuel defied America’s racist swimming history in 52:70 seconds Thursday night when she became the first African-American woman to win any individual medal in swimming, let alone the gold. Manuel tied for first place, setting an Olympic record with Canadian swimmer Penny Oleksiak. But Manuel also recognized that her historic victory is inextricably tied to the fight for justice against police violence in the country she represents. "It means a lot, especially with what is going on in the world today, some of the issues of police brutality," Manuel said to reporters after her gold medal performance. "This win hopefully brings hope and change to some of the issues that are going on. My color comes with the territory." Indeed, for many people of color, the Olympics are an opportunity to show they’re the ...

Leia mais

Por que a 1ª medalha de ouro de uma nadadora negra é importante

Recordes são feitos para serem quebrados, diz um dos mais conhecidos clichês do esporte - e isso deverá ocorrer em algum momento com o tempo conquistado pela nadadora Simone Manuel na final dos 100 metros livre. Mas seu outro feito inédito não será superado. Da BBC Manuel tornou-se a primeira nadadora negra a ganhar uma medalha de ouro na história dos Jogos Olímpicos. E disse esperar que sua vitória leve a uma maior diversidade no esporte. "Essa medalha não é só para mim, mas para todos os afro-americanos que vieram antes e serviram de inspiração", afirmou. "Espero inspirar outras pessoas. A medalha é para quem vier depois de mim no esporte." Entenda por que a vitória de Simone Manuel é tão significativa. As piscinas foram um território proibido para negros americanos por gerações As piscinas são há muito tempo um ponto especialmente sensível da questão racial nos Estados Unidos. Afro-americanos ...

Leia mais

Simone Manuel: Primeira campeã negra é amiga de Simone Biles e diz que significa muito

Simone Manuel fez história na piscina do Estádio Aquático Olímpico, nesta quinta-feira (11). Ao vencer a final dos 100m livre, empatada com Penny Oleksiak, a norte-americana se tornou a primeira nadadora negra a conquistar uma medalha de ouro olímpica em prova individual. Por Guilherme Costa e José Ricardo Leite, do UOL “Significa muito para mim. Essa medalha não é só minha, mas de todos os afrodescendentes que vieram antes de mim e foram inspirações para mim. Espero poder ser inspiração para outros. Essa medalha é para as pessoas que virão depois de mim. Que entrem nessa guerra e tenham entusiasmo”, afirmou Simone. “Acho que significa muita coisa uma medalha assim acontecer no mundo de hoje, com alguns dos problemas de brutalidade policial. Essa vitória ajuda a trazer esperança de mudança sobre algumas questões que estão acontecendo no momento. Eu só fui lá e nadei o mais rápido que eu podia, mas ...

Leia mais

O nadador haitiano que, sem piscina olímpica, treinou para Rio 2016 com vídeos de Phelps

Em meio à profusão de atletas, dirigentes, convidados e jornalistas passeando pela Zona Internacional da Vila dos Atletas da Rio 2016, Frantz Dorsainvil apenas observa o vaivém. Busca identificar algum integrante da equipe americana de natação, na tentativa de enviar um recado para o lendário Michael Phelps, o maior medalhista olímpico de todos os tempos. Por Fernando Duarte, do BBC  Parece pura tietagem, só que é mais uma questão gratidão: foi com a ajuda involuntária do múltiplo campeão que Dorsainvil, 25 anos, chegou à sua primeira Olimpíada. E Phelps, de certa fora, ensinou o haitiano a nadar. “Assisti a todos os vídeos de Michael em que consegui pôr as mãos para tentar entender a mecânica de suas braçadas e pernadas. Ele foi uma imensa inspiração para mim”, conta à BBC Brasil o único nadador do Haiti a participar da Olimpíada brasileira - e apenas o segundo na história haitiana na competição. ...

Leia mais

Joanna Maranhão e a luta contra depressão: “olhava pra piscina e chorava”

No Pan de Toronto, em 2015, Joanna Maranhão fez o melhor tempo de sua vida nos 400 m medley depois de 11 anos tentando superar uma marca de 2004. Levou do Canadá o bronze na disputa em questão e a sensação de que viveu a maior vitória da sua vida, nas palavras dela. Semanas depois, foi acometida por uma crise de depressão em que sentia dificuldade de sair de casa e só sentia vontade de chorar ao olhar para a piscina do Pinheiros, clube onde treina atualmente. Por Gustavo Franceschini e Juliana Alencar, do UOL "Aquela crise quando me abateu eu falei: 'Dessa eu não vou sair'. Porque estava tudo bem, minha vida estava bem e de repente eu não via sentido em absolutamente nada. Eu só ficava em minha cama dormindo. Chegava no clube, olhava para a piscina e começava a chorar. E o meu técnico falava: 'Joanna o que está acontecendo?' Eu ...

Leia mais

A cor da água: racismo e oportunidade para negros nas piscinas

Quando o cronômetro parou de rodar nas provas de natação de 50 m costas e 100 m peito do Mundial dos Esportes Aquáticos, encerrado no domingo (9), em Kazan, na Rússia, o mundo viu pela primeira vez uma brasileira e uma jamaicana no pódio da principal competição de natação depois da Olimpíada. Para além do novo espaço que abriram para o esporte feminino em seus países, outro fato, pouco citado, as une: são negras. Atletas raras em competições de alto nível da natação mundial. E por que isso seria relevante? Por Eliana Alves Santos Cruz Do Esporte Final Uma rápida enquete com treinadores e atletas à beira das magníficas piscinas construídas no meio do gramado do estádio de futebol Kazan Rubin deu conta de que o tema é quente. Matheus Santana, recordista mundial e campeão olímpico júnior em 2014, disse: “Na água todo mundo é igual”. Matheus falava da humanidade comum ...

Leia mais

Isaac de Souza de 15 anos vai representar o Brasil no Mundial de Esportes Aquáticos

Com apenas 15 anos de idade, o jovem Isaac de Souza será um dos 11 representantes do Brasil no Mundial de Esportes Aquáticos, que acontece em Kazan, Rússia, no mês de agosto. Ele se junta à equipe de saltos ornamentais, que por mais de uma década contou com apenas três atletas. no Brasil Post por Pedro Sibahi Desde os Jogos Olímpicos de Barcelona, a equipe brasileira da modalidade teve a participação de Cassius Duran (de 2000 a 2008), Juliana Veloso (de 2000 a 2012), Hugo Parisi e Cesar Castro (ambos de 2004 a 2012). Isaac já vinha sendo apontado como grande nome da geração que se preparava para o Rio, chegou a se afastar do esporte em 2013, traumatizado com as exigências da comissão técnica, comandada por uma chinesa, mas retornou para a esquipe. Revelado pela APOE, o jovem agora compete pelo Tijuca Tênis Clube, do Rio de janeiro. No Troféu Brasil, ...

Leia mais

Sarah Corrêa nadadora brasileira medalhista do Pan tem morte cerebral confirmada

Mãe de Sarah, Maria Fatima desabafou no Facebook e publicou uma foto se despedindo da filha Foto:   Reprodução Facebook Sarah Corrêa foi atingida por um carro na Barra na última sexta A Polícia Civil ouviu neste sábado o motorista que atropelou e matou a nadadora Sarah Corrêa, 22 anos, na noite de sexta-feira, num ponto de ônibus da Estrada dos Bandeirantes, em Jacarepaguá, próximo à casa dela. A ex-atleta teve morte cerebral confirmada na tarde de hoje. Além dela, Paulo Soares, 58, também atingido pelo carro, morreu no local. Segundo a Polícia Civil, que não divulgou o nome do motorista, ele disse não ter prestado socorro porque estava ferido. A família, porém, diz que o atropelador saiu andando do local. Sarah Corrêa foi medalhista de prata no revezamento 4x200m livre dos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara, no México. Um ano antes, nos Jogos Sul-Americanos, em Medellín, na Colômbia, ela ganhou ...

Leia mais

Últimas Postagens

Artigos mais vistos (7dias)

Twitter

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist