Travesti foi assassinada por incentivar mulher a denunciar o marido

A Polícia Civil já identificou o homem que matou com dois tiros, no Bairro Morada Verde, no dia 22 de março, a travesti Adriana, de 24 anos. As investigaçõs mostram que ela foi assassinada depois de incentivar uma mulher a denunciar o marido por lesão corporal. Nos documentos, a travesti é identificada como Thiago da Silva Martins.

Por Filipe Prado Do Campo grande news

De acordo com o delegado Alexandre Evangelista, da 2ª Delegacia de Polícia, a travesti brigou com o acusado, depois de saber que ele batia na esposa, então a incentivou a denunciá-lo. “Ela falou para ele que havia veados que são mais homens do que ele, então eles acabaram se desentendendo no local”, contou o delegado.

Alguns minutos depois, o acusado junto com outra pessoa, voltou até o local e disparou dois tiros contra a vítima.

Apesar do criminoso identificado, a Polícia Civil deu um prazo para que os acusados se apresentem voluntariamente à delegacia.

Crime – Adriana estava na casa de uns amigos, quando saiu para comer, no momento que uma motocicleta de cor preta, ocupada por duas pessoas, estacionou o veículo, sacou uma arma de fogo e disparou três vezes contra a travesti, sendo que dois disparos atingiram a vítima, um na barriga e outro no peito.

A vítima correu para o interior da residência, onde caiu e morreu em seguida. A dona da casa disse que a ação foi muito rápida, “não durou nem 15 segundos”, completou a mulher que preferiu não ser identificada.

BAIXE O  PLP 2.0 – Aplicativo para coibir a violência contra a mulher

Leia Também

 Jovem indiana luta contra molestador e arrasta homem para delegacia pelos cabelos

+ sobre o tema

para lembrar

spot_imgspot_img

‘Não’ é ‘Não’, inclusive na igreja

No dia 29 de dezembro, o presidente Lula sancionou a lei do protocolo "Não é Não" (lei 14.786/2023), que combate violência e assédio sexual contra mulheres...

Lula sanciona lei que protege mulheres de violência em bares e shows

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva sancionou a lei que cria o protocolo Não é Não, mecanismo de combate ao constrangimento e à...

Menina de 15 anos é vítima de estupro coletivo na noite de Natal; amigos são suspeitos, diz polícia

Uma adolescente, de 15 anos, foi estuprada na madrugada de Natal, 25 de dezembro, em Campo Grande (MS). De acordo com a polícia, os suspeitos...
-+=