Vai ser bonito! Com clássico ‘Rap da Felicidade’, Ludmilla leva funk para a abertura da Rio 2016

A cerimônia ocorre nesta sexta-feira (5) e promete fortes emoções para brasileiros e estrangeiros amantes do esporte ao redor do mundo.

Um dos destaques da festa, que mostrará a diversidade cultural do Brasil e força dos brasileiros, será Ludmilla – funkeira negra, crescida no subúrbio de Duque de Caxias, no Rio, hoje uma das cantoras mais famosas do Brasil.

Os contrastes de sua trajetória (e por que não da sociedade brasileira?) estarão bem representados no traje que a cantora usará: um vestido feito com cristais Swarovski e anéis de latinha de refrigerante. Ao UOL, ela deu detalhes sobre o look:

“Eu curti o vestido, é bem legal. Só não vou poder dançar muito porque ele é de um material mais rígido.”

 

No palco da cerimônia, Ludmilla mostrará ao mundo um funk clássico na história da música brasileira, Rap da Felicidade, lançado em 1994 pela dupla Cidinho & Doca. Com refrão conhecido (“Eu só quero é ser feliz…”), o funk aborda as duras relações de classes no Brasil.

Um dos trechos da música diz:

“Minha cara autoridade, eu já não sei o que fazer
Com tanta violência eu sinto medo de viver
Pois moro na favela e sou muito desrespeitado
A tristeza e alegria aqui caminham lado a lado
Eu faço uma oração para uma santa protetora
Mas sou interrompido à tiros de metralhadora
Enquanto os ricos moram numa casa grande e bela
O pobre é humilhado, esculachado na favela
Já não aguento mais essa onda de violência
Só peço a autoridade um pouco mais de competência”

 

 

 

Relembre a versão original do funk:

A torcida é para que Ludmilla faça bonito com essa música, assim como outras grandes artistas brasileiras brasileiras fizeram, incluindo:

Elza Soares


Alcione

Arrase, Lud!

+ sobre o tema

‘Tenho motivos de sobra para me empenhar’, diz nova porta-bandeira da Mangueira

Rio - Ser porta-bandeira da Mangueira não deve ser...

Virgil Abloh morre aos 41; artista criou Off-White e mudou a Louis Vuitton

Virgil Abloh, fundador da Off-White e diretor criativo da...

para lembrar

Maya Angelou

- Nome: Maya Angelou - - Data de nascimento: 4 de abril...

Viola Davis: “Gosto de dinheiro porque dá-me segurança”

Tem 51 anos, mas foi aos 50 que mudou...

Iza e Rincon fazem apresentação memorável em premiação. Assista

Iza ainda recebeu o prêmio de  “Melhor Música” com...

Negro Homem, Negra Poesia: José Carlos Limeira

JOSÉ CARLOS LIMEIRA (1951-2016) In memorian Nasceu em Salvador Bahia Brasil, no...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Estou aposentada, diz Rihanna em frase estampada na camiseta

"Estou aposentada", é a frase estampada na camiseta azul que Rihanna, 36, vestia na última quinta-feira (6), em Nova York. Pode ter sido uma brincadeira, mas...

Tony Tornado relembra a genialidade (e o gênio difícil) do amigo Tim Maia, homenageado pelo Prêmio da Música Brasileira

Na ausência do homenageado Tim Maia (1942-1998), ninguém melhor para representá-lo na festa do Prêmio da Música Brasileira — cuja edição 2024 acontece nesta quarta-feira (12),...
-+=