Vasco emite nota em repúdio a racismo sofrido por atletas da base

A equipe sub-16 do Vasco, que disputa o Torneio Internacional Cittá di San Bonifacio, na Itália foi alvo de discriminação racial no último sábado. Segundo o site oficial do clube, durante a partida contra a Juventus, que terminou com uma vitória cruz-maltina por 1 a 0, os brasileiros foram chamados de macacos por jogadores do time italiano.

Diante do ocorrido, o Gigante da Colina emitiu uma nota de repúdio ao caso e lembrou que a histórica luta vascaína contra o racismo. Em uma época em que o futebol no Brasil era considerado um esporte para brancos, o Cruz-Maltino aceitava negros na composição dos elencos.

Segundo as declarações da carta assinada pelo mandatário Roberto Dinamite, foi entregue um ofício ao Comitê organizador do torneio de modo a registrar a insatisfação do Vasco e um pedido de punição aos envolvidos, que são todos menores de idade. Para o clube, eles precisam de acompanhamento psicológico e pedagógico.

Confira a nota divulgada na íntegra:

O Club de Regatas Vasco da Gama vem, por meio desta, demonstrar todo o seu repúdio pelo constrangimento sofrido por sua equipe sub-16, em partida disputada contra a Juventus (ITA), neste sábado (27/4), pelo Torneio Internacional Cittá di San Bonifacio. O Vasco venceu por 1×0.

Durante a partida, nossos atletas sofreram discriminação racial ao serem chamados de macacos pelos jogadores adversários.

Não bastasse a campanha maciça que a FIFA, UEFA e todos os seguimentos esportivos vêm desenvolvendo contra o racismo, vale ressaltar que nosso clube foi o primeiro no Brasil a ter jogadores negros em defesa de nossas tradições e glórias.

Nosso chefe de delegação, Dr. Rômulo Campelo, entregou logo após a partida, ofício ao Comitê organizador do torneio expressando nossa insatisfação e exigindo punição severa aos transgressores, que por serem menores, necessitam de orientação psicológica e corretivos pedagógicos à altura de suas transgressões.

Por um mundo mais igual e por um esporte mais saudável, justo e sem preconceitos.

Roberto Dinamite Presidente

 

Fonte: Terra 

 

Leia Também:

Evaldo Lima quer discutir o racismo no futebol 

 
 
 
 
 

+ sobre o tema

Gaby Amarantos critica suposto envolvimento de Policiais Militares em mortes em Belém

Natural de Belém (PA), a cantora Gaby Amarantos não se conteve...

O Racismo não antige os Brancos da Periferia

Sou considerado branco e moro em uma periferia de...

Combate à desigualdade racial é decisivo na redução da pobreza 

Neste ano, a Lei 12.711 de 2012 – mais...

para lembrar

spot_imgspot_img

Caça aos livros

Está aberta a temporada de caça aos livros no Brasil! Mas atenção. A perseguição restringe-se à indicação pedagógica de certas obras capazes de promover o debate e a...

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...
-+=