Versace processada por preconceito racial

Um ex-funcionário de uma loja outlet da Versace em Pleasanton, Califórnia, entrou com um processo judicial contra a marca por práticas injustas nos negócios – e uma das alegações é o uso de um código secreto pra alertar os funcionários quando um cliente negro entra na loja. Ele deu entrada no processo em novembro de 2016.

Fonte: Lilian Pacce

O ex-funcionário, Christopher Sampiro, tem 23 anos e ainda explica que foi demitido por ser mestiço depois de trabalhar por duas semanas no local, em setembro. O código usado seria o mesmo de roupa preta, “D410”, e o gerente teria instruído Sampiro a falar D410 de maneira casual quando um negro entrasse no ponto de venda. Ele diz que sua resposta foi: “Você sabia que sou afro-americano?” e que a partir disso o gerente o tratou de maneira diferente e não lhe deu um “treinamento legítimo”. Fora tudo isso, o processo ainda alega que Sampiro não recebeu pelo tempo que trabalhou e não teve direito, nessas duas semanas, a intervalos de descanso.

A Versace nega as alegações, já pediu pra que um juiz descartar o caso e distribuiu uma declaração pra imprensa reforçando seu compromisso com a igualdade: “Versace acredita fortemente na igualdade de oportunidades, como uma empregadora e como uma varejista. Não toleramos discriminação com base em raça, país de origem ou qualquer outra característica protegida por nossas leis de direito civil. Negamos as alegações desse processo, e não vamos comentar futuros litígios pendentes relacionados”. Lembrando que um dos temas mais caros às coleções mais recentes de Donatella Versace é o feminismo e o empoderamento da mulher; e uma das modelos mais conectadas à imagem da marca é Naomi Campbell. Uma conferência sobre o status do caso está marcada pra 21 de março.

+ sobre o tema

O que pode ensinar um professor que odeia pretos e pardos?

O Brasil vive tempos sinistros. Mesmo no mundo acadêmico,...

Ato de protesto em frente rede de supermercado que jovem foi assassinado por segurança

Cartazes com dizeres como “Vidas negras importam” e “Minha...

Ruptura: antirracismo x banalização

“Não chego armado de verdades categóricas. Minha consciência não...

para lembrar

Felipe Silva: Pobreza, honestidade e perseverança

SENTA QUE LÁ VEM TEXTÃO. MESMO! MUITO GRANDE. Um belo...

OEA ONU saúda a adoção de convenções contra o racismo e a discriminação na OEA

  Peritos da ONU em direitos humanos saudaram hoje a...

Modelo perde prêmio e patrocínios por causa de tuíte racista

Por: Thiago Barros   A modelo sul-africana Jessica...
spot_imgspot_img

Uma descoberta

Fiz uma descoberta importante nos últimos meses. Na verdade, nem é uma coisa nova, mas para mim a “descoberta” foi tão surpreendente quanto a...

SC tem alta de 51% nos casos de injúria racial e lidera denúncias do crime no país

Em Santa Catarina, seis pessoas procuraram a polícia por dia, em média, para denunciar casos de injúria racial em 2023. No ano passado, 2.280 pessoas sofreram ofensas...

O destino dos negros

A semana em que o Estatuto da Igualdade Racial (lei 12.288/2010) completou 14 anos foi repleta de notícias que atestam o quanto o Brasil está longe...
-+=