Vígilia pela libertação dos jovens angolanos pró-democracia

O escritor José Eduardo Agualusa e várias associações convocaram para hoje, – em Lisboa, a partir das 17h30 no Rossio – uma vigília de solidariedade com os dezoito manifestantes detidos no protesto de 3 de Setembro em Luanda contra o regime de Eduardo dos Santos, que ainda se encontram na prisão.

Artigo |28 Setembro, 2011 – 03:21A polícia prendeu dezenas de jovens no início do mês e 18 ainda estão na prisão.

“O objectivo fundamental é prestar solidariedade aos jovens que têm estado a manifestar-se em Luanda e exigir a libertação dos que se encontram detidos”, declarou hoje à Agência Lusa Jorge Silva, vice-presidente da Associação Solidariedade Imigrante. “Este será o objectivo central, contra a violência que as autoridades angolanas têm estado a exercer sobre os jovens que se têm manifestado, cujo único objectivo é pedir liberdade de manifestação, ter esse direito fundamental”, sublinhou Jorge Silva.

Além da Associação Solidariedade Imigrante, convocam esta vigília em Lisboa o escritor angolano José Eduardo Agualusa, o SOS Racismo, os Amigos do Bloco Democrático em Portugal e a Associação Tratado de Simulambuco – Casa de Angola. Também o Movimento Democracia Verdadeira Já, da acampada de Lisboa, apelou à participação nesta vigília contra a repressão e “por uma democracia verdadeira em Angola”.

O comunicado que convoca a vigília diz que “dezenas de pessoas estão a ser julgadas e condenadas injustamente por pacífica e democraticamente se terem manifestado, ao mesmo tempo que familiares, amigos e quem com eles se solidariza são também encarcerados”. E também critica o governo português, que “se orgulha dos acordos firmados com Angola por facilitarem os negócios, mas ao contrário do que recentemente fez com a Líbia de Kadhafi, não condena a violação dos Direitos Humanos em Angola por JES/MPLA”.

No dia 3 de setembro, dezenas de jovens foram detidos durante uma manifestação contra o Presidente angolano, José Eduardo dos Santos. Dos 21 que foram julgados, 18 foram condenados a penas entre os 45 e os 90 dias de prisão efetiva. Os outros três foram absolvidos. No sábado passado, várias centenas voltaram a manifestar-se, mas a polícia impediu que a manifestação avançasse mais de 600 metros. Agentes à paisana atacaram jornalistas, entre eles os repórteres da RTP e do Sol.

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

Comunidades quilombolas já podem solicitar auxílio para ações do Dia da Consciência Negra

Comunidades quilombolas das Regiões de Desenvolvimento de Pernambuco...

Esposa de Nelson Mandela agradece pelos numerosos apoios

Graça Machel, esposa de Nelson Mandela hospitalizado há 10...

Famoso fotógrafo do movimento de direitos civis era informante do FBI, diz jornal

O famoso fotógrafo do movimento pelos direitos humanos...

para lembrar

Taís Araújo e Lázaro Ramos entram em lista de atores afro-latinos da IndieWire

Aconteceu na surdina. Ao entrar em um debate pautado...

Jessye Norman

"The Bohemian girl" - M.W.Balfe - ...

Racismo en México

    "En mi...

Selo certifica produtos de procedência quilombola

Agricultores familiares, integrantes de associações, cooperativas ou empresas que atuem nas...
spot_imgspot_img

Sambista ligada ao rap, Leci Brandão rebate críticas de Ed Motta: ‘Elitista’

Leci Brandão, 79, rebateu com estilo as recentes declarações de Ed Motta, que chamou de "burros" os fãs de hip hop, "sem exceção". Sem citar...

Jordan Peele faz anúncio misterioso nas redes sociais

Jordan Peele tem planos para outubro. Ele publicou uma foto com a data de 23 de outubro deste ano em fundo preto e não acrescentou...

NICHO 54 lança publicação inédita que investiga a história do Cinema Negro no Brasil 

Pesquisa que mapeou e consolidou dados sobre filmes produzidos por pessoas negras no Brasil de 1949 a 2022 encontrou 1.104 obras; 83% de toda...
-+=