Viradouro homenageia primeira mulher negra a escrever livro no Brasil ao encerrar desfiles do Rio

Enviado por / FonteDo G1

Rosa Egipcíaca foi escrava, meretriz, feiticeira e beata, além de celebrada pela última escola do carnaval carioca de 2023.

Viradouro encerrou os desfiles do Grupo Especial do Rio na madrugada desta terça-feira (21) com a busca por corrigir uma injustiça. A sexta escola a desfilar levou à Sapucaí um desfile para lembrar de Rosa Maria Egipcíaca, primeira mulher preta a escrever um livro no Brasil e esquecida pela história.

Na busca por seu terceiro título na elite do carnaval carioca, a escola de Niterói contou com 2,5 mil componentes, 24 alas e seis alegorias.

Ao longo do desfile, a Viradouro contou a história dessa mulher que, trazida da África aos seis anos, viria a se tornar feiticeira, beata e escritora.

Na comissão de frente, ventiladores em um tripé criavam um redemoinho de flores ao redor da dançarina que representava Rosa Egipcíaca, simulando seu lado feiticeira.

Em um tripé, a escola reproduziu um tanque de água de forma inventiva, com paredes de três centímetros de espessura, que representava a visão que Rosa teve em um espelho de águas.

A Viradouro insistiu em um começo molhado para seu desfile. O abre-alas e o segundo carro repetiam o tema. Em um deles, uma estátua despejava água incessantemente sobre outra, uma versão jovem da homenageada.

Viradouro encerra os desfiles do Grupo Especial na Sapucaí

Depois de passar pela escravidão de Rosa, e sua época como meretriz, a agremiação voltou a focar em seu lado místico. Junto da bateria, com ritmistas fantasiados de exorcistas, a rainha (e atriz) Érika Januza incorporou Egipcíaca em seu momento de exorcismo.

O quarto carro desenvolvia mais o tema com a batalha entre os sete espíritos malignos que se apossaram de seu corpo e São Miguel Arcanjo.

No sexto e último, uma grande cerimônia popular de canonização de Rosa Maria Egipcíaca. Sem reconhecimento do Vaticano, ela é considerada santa por muitos seguidores, como lembrou a Viradouro com uma grande estátua de sua homenageada.

+ sobre o tema

CPI da Câmara Municipal vai investigar agressão de GCM contra mulher trans no Centro de SP

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara Municipal...

Estudo revela por que as mulheres se desculpam tanto

Homens descrevem menos razões para receber desculpas   Um estudo...

Uma cena cheia de identidade

Em seu mais recente livro, Larissa Ibúmi Moreira mapeia...

Pai denuncia estupro da filha após ouvir áudio de padrasto pedindo foto íntima

Além do padastro da menina, amigo dele, personal trainer,...

para lembrar

Estrela gay do pop russo Zelimkhan Bakaev, torturado e morto na Chechênia Anti-Gay

Fontes informam que o cantor russo Zelimkhan Bakaev foi...

Conselho define critérios para aborto de fetos anencéfalos

Interrupção da gravidez só é permitido após ultrassonografia assinada...

Marcha das Mulheres Negras 2018: Uma mistura de emoção e militância

Uma mistura de emoção e militância, ocorreu durante a...

8 de Março Trailer Oficial: Mulheres Africanas – A Rede Invisível

Este sábado, no Cine Direitos Humanos: "MULHERES AFRICANAS –...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...

Moraes libera denúncia do caso Marielle para julgamento no STF

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), liberou nesta terça-feira (11) para julgamento a denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) contra...
-+=