Vítima de estupro coletivo desfila em semana de moda do Paquistão

Mukhtar Mai é uma jovem paquistanesa que passou por um horror inimaginável: em nome de uma vingança familiar, ela foi estuprada por um grupo de homens e forçada a andar nua em público. Do horror, porém, é possível nascer a vocação para, se mudar o passado é impossível, lutar por um futuro em que ninguém precise passar pelo que ela passou.

Do Hypeness

**FILE** In this June 29, 2005 file photo, Pakistani gang-rape victim Mukhtar Mai speaks to the Associated Press in Islamabad, Pakistan. Mai, who gained global fame by speaking out about her case, has defied another local taboo by getting married. Mai is now the second wife of Nasir Abbas Gabol, a police officer who has helped protect her. Gabol told the AP on Wednesday, March 18, 2009 that he was enraptured by Mai's "extreme courage."(AP Photo/Anjum Naveed,File)

Passados 14 anos desse terrível episódio, Mukhtar se transformou em uma liderança na luta pelos direitos das mulheres no Paquistão, arrecadando fundos para abrigos e escolas para meninas em sua cidade natal, Meerwala. Agora, Mukhtar deu um novo passo (literal e simbólico) em sua luta: ela desfilou na semana de moda do país. “Se mesmo um passo que eu der ajudar uma única mulher que seja, eu serei muito deliz em dá-lo”, ela contou à The Associated Press.

mukhtar1

É comum no Paquistão que mulheres que tenham sofrido agressões e abusos sexuais cometam suicídio – e é por essas mulheres que Mukhtar luta. Ela levou seus agressores aos tribunais e, ainda que tenham sido condenados, eles hoje já se encontram soltos.

Mas ela não se abala: “Eu quero ser a voz daquelas que passaram por circunstâncias semelhantes às minhas. Tudo que eu faço é por essas mulheres. Nada pode mudar o que aconteceu comigo. Mas pelo menos eu posso lutar pelas futuras gerações”, afirmou, após desfilar, firme, forte e corajosa, pela passarela.

Mukhtar Mai
Mukhtar Mai

© fotos: divulgação

+ sobre o tema

“Aquele encontro afro causou uma revolução em minha vida”- afirma Alisson, caixa de supermercado.

Manhã de segunda-feira, após  me examinar, minuciosamente,o  caixa do...

Luiza Bairros: Negros têm de ser prioridade no Brasil sem Miséria

Os negros e os pardos constituem a maioria –...

Racismo: uma questão bioética?

O presente texto tem por objeto investigar a relação...

Atrizes negras dominam premiação do 48º Festival de Cinema de Gramado

A atriz portuguesa Isabél Zuaa ganhou dois prêmios de melhor atriz:...

para lembrar

Coração suburbano também fere e se locupleta da estigmatização das negras

Sou fã de Elisa Lucinda. Fã mesmo, de verdade,...

Emerson chama Lúcio de mau-caráter, desleal e preconceituoso

O atacante Emerson, do Botafogo, criticou o zagueiro Lúcio,...

“Mutilação genital não é cultura, é violência”, diz ativista africana

Leyla Hussein sofreu com a violência aos sete anos...
spot_imgspot_img

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...

Em reunião com a ministra das Mulheres, movimentos denunciam casos de estupros e violência em abrigos para atingidos pelas enchentes no RS

Movimentos feministas participaram de uma reunião emergencial com a ministra da Mulher, Cida Gonçalves, no final da tarde desta terça-feira (7), de forma online....
-+=