sexta-feira, novembro 26, 2021
InícioQuestões de GêneroViolência contra MulherVítima de feminicídio carregava medidas protetivas no bolso quando morreu

Vítima de feminicídio carregava medidas protetivas no bolso quando morreu

Jacqueline Pereira dos Santos, 37 anos, foi morta a facadas pelo ex-companheiro Maciel Luiz Coutinho da Silva, 38. Após o crime, ele cometeu suicídio

Por Sarah Peres. do Correio Braziliense 

blank
Jacqueline Pereira dos Santos (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

 

Antes de ser assassinada a facadas pelo ex-companheiro, Jacqueline Pereira dos Santos, 37 anos, mandou mensagem por áudio a uma colega mostrando que temia pela própria vida. O motoboy Maciel Luiz Coutinho da Silva, 38, matou a ex-mulher em Santa Maria, dentro da casa dela, na tarde dessa segunda-feira (6/5).

 

A mensagem, enviada por um aplicativo de celular, foi encaminhada momentos antes de a vítima sair do trabalho e ir para casa. Ao chegar na residência, ela foi atingida pelas facadas. No bolso traseiro da calça dela, estavam as medidas protetivas contra o agressor.

 

Ela chegou a registrar ao menos duas ocorrências de violações à Lei Maria da Penha contra o ex-marido. A Justiça concedeu duas medidas protetivas em favor da vítima. Segundo informações da Polícia Civil, ele não aceitava o término do relacionamento.

 

Maciel pulou o muro da casa de Jacqueline, a matou e fugiu com uma motocicleta. Ele seguiu pela BR-040 até a altura de Luziânia (GO), tirou o capacete e se jogou em frente a um ônibus. O homem não resistiu aos ferimentos e morreu no lugar. O caso é investigado pelas polícias civis de Goiás e do Distrito Federal.

 

O delegado Alberto Rodrigues, adjunto da 33ª Delegacia de Polícia (Santa Maria), destaca a importância de denunciar os casos de violência doméstica, mesmo que seja a primeira vez. “Todos fatos relacionados à violência doméstica devem ser levados às autoridades, para que ocorra a orientação, conscientização e punição dos autores. Muitos feminicídios deixam de ocorrer por causa da atuação das delegacias, do Ministério Público e do Poder Judiciário”, garante.

Troca de mensagens

Na sexta-feira (3/5), Maciel foi orientado quanto às regras da medida protetiva. Ele mandou mensagem à ex-companheira, dizendo que ela estaria certa e que ele não conseguia aceitar a distância entre eles, mas que tentaria se afastar. “Eu preciso me acostumar a viver sem você”, disse na conversa com a vítima.

 

Na mensagem de áudio, com duração de mais 10 minutos, Maciel ainda pediu desculpas à ex-companheira e disse que a perdoava por ter ido à delegacia pedir medidas protetivas. Ele também reconheceu estar errado por causa das ameaças anteriores e disse que não queria mais fazê-la sofrer.

RELATED ARTICLES