Vítima de racismo na Polônia, Paulinho volta ao país com gol pela Seleção

A parcela racista da Polônia não deve ter acreditado ao ver o camisa 5 da Seleção Brasileira comemorando o primeiro gol contra o Japão, na goleada brasileira desta terça-feira. O volante Paulinho deixou o país por baixo, após sofrer com frequentes insultos no tempo em que jogava pelo LKS Lódz, na temporada 2007/08, mas o retorno foi melhor que o esperado.

A finalização aos 11 minutos do primeiro tempo, que morreu no canto direito do goleiro Kawashima foi um dos importantes momentos de Paulinho no estádio Miejski. Ele quase marcou outro gol pouco depois, driblando o camisa 1.

A atuação serviu para afirmar a importância do jogador no esquema de Mano Menezes, especialmente atuando como primeiro volante, uma função diferente da desempenhada no Corinthians.

– Desta forma que o Mano pediu, intercalando a subida com Ramires, fui feliz para fazer o gol – afirmou o volante nesta terça-feira.

Em outra ocasião, Paulinho revelou que, apesar de ter sofrido com o racismo, levou a experiência na Polônia pelo aspecto positivo.

– A maioria dos jogadores passou por um momento difícil na carreira ou na vida. Os times da Lituânia e da Polônia não tinham estrutura. Isso serviu de lição para mim. Eu me recordo muito bem do que passei e estou dando a volta por cima – disse.

Se continuar assim, não vai ter obstáculo que impeça Paulinho de ficar definitivamente com a camisa 5 da Seleção.

 

 

Fonte: Esportes.OPovo

+ sobre o tema

17 países europeus declaram apoio a ministra italiana alvo de racismo

  Cécile Kyenge tem sido alvo de frequentes insultos desde...

Escalada homicida

Durou pouco, quase nada, o armistício na segurança pública...

Manifestantes protestam contra caso de constrangimento ilegal

Situação teria sido cometida contra diretora da Fundação Palmares.Ela...

para lembrar

Miscigenação entre brancos e negros é, na verdade, genocídio?

Frase exibida por manifestantes na 14ª Marcha da Consciência...

Suspeito de vandalismo em SP é filho de empresário de transporte!

Segundo a Polícia Civil, elemento identificado como Pierre...

Grupo protesta contra proibição de ‘black power’ em escola de Santos

Estudante não conseguiu fazer rematrícula por conta do cabelo. Colégio...
spot_imgspot_img

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...

Homens, o tema do aborto também é nossa responsabilidade: precisamos agir

Nesta semana, a escritora Juliana Monteiro postou em suas redes sociais um trecho de uma conversa com um homem sobre o aborto. Reproduzo aqui: - Se liberar o...
-+=