Walcyr, o carrasco do black power – Por: LELÊ TELES

Autor da novela Amor à Vida, da Rede Globo, orientou equipe a cortar o cabelo do ator Kayky Gonzaga, que faz o personagem Jayminho, um garoto negro adotado por um casal de gays brancos

Reprodução/ Twitter

Walcyr Carrasco, autor da novela Amor à Vida, da Rede Globo, orientou a equipe de caracterização da trama das 9 da noite a cortar o cabelo do ator Kayky Gonzaga, que faz o personagem Jayminho, um garoto negro que foi adotado por um casal de gays brancos.

Nada demais não fosse a explicação do autor: “tenho ouvido críticas muito pesadas e rejeição, principalmente ao cabelo dele. Eu quero um personagem bem aceito”. Como é, principalmente ao cabelo dele, então há outras críticas “muito pesadas” e “rejeição” contra o ator negro? Quais seriam? Carrasco dá uma pista: “bem, se não estão felizes com o que estou fazendo contra o preconceito, tiro o personagem da novela e acaba a polêmica”.

Humm, taí uma boa forma de lutar contra o preconceito. Para o autor decidir tirar o personagem da trama é porque as críticas devam ser realmente muito pesadas.

Por que a estética negra incomoda tanto? Por que um garoto negro não pode ter um cabelo cumprido? Segundo Walcyr “a verdade é essa: só pedi para mudar o visual de Jayminho porque ele foi adotado por alguém de dinheiro. É o que aconteceria”. Mentira, o ator Marcello Antony, que é o pai adotivo do garoto na novela, é pai adotivo de um garoto negro na vida real e o filho de Antony, veja você, tem o cabelo quase igual ao de Jayminho.

Ninho, outro personagem da novela, tinha um longo cabelo rastafári. Como rastafári ele era um pai irresponsável, sequestrador da própria filha, traficante e violento. Aí ele se mudou para os Estados Unidos, cortou os cabelos e, qual Sansão, perdeu as forças. Tornou-se um cara compreensivo, responsável e amigo da filha.

O diabo é que Ninho é um artista, ganha a vida como artista, mas passou a andar vestido como um gerente de loja de shopping center. Walcyr deu ainda uma última explicação sobre a polêmica envolvendo o cabelo de Jayminho: “não é porque alguém é negro que é obrigado a usar black power.” Claro que não, mas ninguém obrigou o garoto a usar black power, o autor é que o está obrigando a cortar. É o contrário.

Agora veja você, nessa mesma novela a atriz Marina Ruy Barbosa simplesmente se recusou a raspar a cabeça como a trama exigia; detalhe, ela tinha câncer e se submeteria a uma quimioterapia. Outro detalhe, a moça é ruiva. Talvez por isso mesmo, ela tenha recebido tanto apoio nas redes sociais. Quiçá os mesmos que fizeram críticas muito pesadas ao cabelo de Jayminho sejam os que elogiam a insubordinação da atriz para não cortar as madeixas ruivas.

Houve um tempo em que os negros com destaque na mídia, no Brasil, talvez para não receberem “críticas muito pesadas”, raspavam a cabeça. Alexandre Pires, Jacaré do É o Tchan e todos os cantores de pagode nos anos 90 usavam cabeça raspada. Na Seleção que disputou a Copa do Mundo na França em 1998 todos os jogadores negros eram carecas, e somente os negros; Dunga, Bebeto e Leonardo não rasparam. Zé Roberto é que rompeu esse ciclo.

As novelas, há muito, não criam somente um simulacro de sociedade no Brasil, elas confundem a realidade com esse simulacro.

Mamãe não sabe se a campainha tocou na novela ou se foi na casa dela.

 

 

Fonte: Brasil 247

+ sobre o tema

Obama precisa se justificar perante o Congresso sobre ação militar na Líbia

A Casa Branca enviou, nesta quarta-feira, um dossiê de...

Pacto Histórico confirma chapa presidencial com Gustavo Petro e Francia Márquez na Colômbia

Nesta quarta-feira (23), na Colômbia, a coalizão Pacto Histórico...

O duplo desafio de Obama

- Fonte: O Estado de São Paulo - Conforme...

Manutenção do Bolsa Família depende de atualização dos cadastros

    Beneficiários do Bolsa Família que não atualizarem as informações no Cadastro...

para lembrar

Mino Carta e a Herança da Casa Grande

Não quero que os ricos chorem, dizia o líder...

Pesquisa Sensus aponta empate entre Serra e Dilma

Pesquisa Sensus encomendada pelo Sintrapav (Sindicato dos Trabalhadores...

“Pare de reclamar e vá trabalhar”: a PEC 241 e a assistência social

Quem repete a frase acima certamente sabe quantos idosos,...

Serra prometeu à Chevron mudar regras do pré-sal

Wikileaks revela que José Serra, então pré-candidato do PSDB...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

O circo chegou

a chegada do circo, na minha quebrada, causava grande alvoroço na molecada de nariz sujo e pele acinzentada. do nada, brotava em meio à paisagem...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...
-+=